ARQUITETOS EM DESTAQUE

Arquiteto e urbanista brasileiro vai auxiliar na reconstrução de casas em Moçambique

 

O arquiteto e urbanista Rodrigo Ávila, vice-presidente do CAU/RR, está em Moçambique para ajudar na reconstrução do país, após dois ciclones – o Idai e o Kenneth – destruírem casas e prédios públicos. Mais de 600 pessoas morreram, centenas ficaram feridas e milhares desabrigadas. “Ficarei no mínimo um mês lá”, conta Rodrigo. “Participei de uma seleção e serei um dos dois brasileiros na missão, junto a mais dois engenheiros da Nicarágua e dos Estados Unidos. Esse grupo vai ajudar na construção de casas e hospitais”.

 

Graduado em Arquitetura e Urbanismo e Engenharia Civil pela Universidade Federal de Roraima, Rodrigo participa de uma missão organizada pela organização não-governamental Engenheiros Sem Fronteiras e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Ele levará para a África a experiência de projetos de recepção de imigrantes venezuelanos em Boa Vista. “Ajudamos a Operação Acolhida e outras instituições filantrópicas. Com a chegada dos refugiados venezuelanos, nós, da Engenheiros sem Fronteiras, pudemos colaborar com as Forças Armadas e outras ONGs com a parte técnica”.

 

“Entendo que cada um tem sua missão. A minha é ajudar o próximo. Trabalhei na construção de aproximadamente três mil casas espalhadas por Roraima e vivenciei junto com a população carente suas necessidades, sonhos e medos. O coração da gente fica mais sensível e aprende a ter outro olhar”, diz Rodrigo. “Tenho um sonho de ver meu Estado vencer, tenho fé que iremos conseguir, que seremos referência e exemplo no mundo pelos profissionais que saem de Roraima. Espero estar contribuindo para que isso aconteça”.

 

Na viagem, os cuidados com a saúde foram prioridade: Rodrigo tomou mais de oito vacinas para poder viajar a Moçambique. Depois do primeiro ciclone, mais de mil pessoas foram diagnosticadas com cólera, que se espalha pela água ou comida contaminada por fezes que contenham a bactéria causadora da doença.
Esta é a primeira vez que Rodrigo participa de uma missão fora do país e o apoio da família é fundamental neste momento. “O coração aperta, a saudade vem, mas eles sabem que essa missão é importante e me apoiam”.

 

Mesmo antes de chegar à África, o engenheiro já recebeu um novo convite, para ir a outro país e trabalhar por quatro meses. “Ainda não dei a resposta. Agora tenho que me concentrar nessa missão, dar meu tudo nela. Durante a viagem, vejo como posso colaborar”. A ajuda humanitária do Brasil a Angola inclui ainda bombeiros brasileiros que atuaram no desastre de Brumadinho, em janeiro deste ano, e militares da Força Nacional de Segurança Pública.

 

Com informações do jornal Correio do Lavrado

Uma resposta

  1. Parabéns Rodrigo Ávila! Que linda missão! Muito sucesso!

Os comentários estão desabilitados.

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CAU/BR

NOTA DE ESCLARECIMENTO

CAU/BR

CAU/BR aponta protagonismo feminino na arquitetura e urbanismo durante 98º ENIC

CAU/BR

Comissões do CAU/BR debatem temas de interesse dos arquitetos e urbanistas

CAU/BR

CAU/BR celebra uma década dos primeiros empregados públicos efetivos

Pular para o conteúdo