ARQUITETOS EM DESTAQUE

Arquiteto surdo conclui graduação com projeto de clínica especializada para PcDs

Emerson: “Temos que fazer projetos para que as pessoas com deficiências sejam vistas e tenham todos os seus direitos respeitados” | Foto: Acervo pessoal

 

No dia 7 de janeiro de 2023, Emerson Rafael Galli da Silva realizou o sonho de concluir o curso de Arquitetura e Urbanismo. Mais do que uma conquista pessoal, o jovem arquiteto de Erechim, no norte do Rio Grande do Sul, produziu um feito simbólico: é um dos poucos estudantes surdos a receber diploma no país. Apenas 7% das 10,7 milhões de pessoas com deficiência auditiva concluem o ensino superior completo no Brasil, segundo levantamento da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada pelo Ministério da Saúde em 2019. 

 

Emerson conta que a arquitetura e urbanismo despertou sua atenção ainda na infância. “Desde muito cedo tive interesse por arquitetar projetos, desenhar cidades, observar a natureza…”, relata. Mas o caminho entre a decisão pelo curso e a conclusão da graduação revelou as barreiras que se impõem para as pessoas com deficiência no ambiente acadêmico e que levam ao baixo número de profissionais PcDs. Apenas 1% dos/as arquitetos/as e urbanistas que responderam ao Censo 2020, realizado pelo CAU Brasil em parceria com o Instituto Datafolha, declararam ser portadores de algum tipo de deficiência. 

 

 “Um dos maiores desafios foi a aceitação de um surdo pela falta de conhecimento dos professores e, às vezes, até de colegas que não acreditavam muito”, conta Emerson. A condição que costuma excluir pessoas como ele virou potência criativa na graduação. Ao longo dos seis anos que passou na universidade, ele conta que se dedicou a provocar o olhar da comunidade acadêmica para as pessoas com deficiências, especialmente as surdas. “Quando vê um cego ou um cadeirante, você sabe qual é a deficiência que ele tem. Mas você não sabe quando uma pessoa é surda. O surdo tem uma deficiência invisível”, observou. 

 

IAB homenageia Emerson pelo projeto de conclusão de curso, uma clínica especializada em atendimento a PcDs | Foto: Acervo pessoal

 

A inclusão é um desafio que os profissionais de arquitetura e urbanismo precisam atender, alerta Emerson. “Temos que fazer projetos para que as pessoas com deficiências sejam vistas e tenham todos os seus direitos respeitados”, disse o jovem arquiteto. A própria passagem do estudante pela universidade pode ter sido transformadora para a formação dos colegas. “Eu acredito que a minha presença em sala de aula possa ter ajudado, porque se você não convive com a deficiência, ela vai passar despercebida”, disse.

 

Segundo Emerson, frequentar a universidade por seis anos apenas foi possível com muito esforço diário e suporte profissional. O apoio da família também foi fundamental; em especial, o da mãe. A pedagoga e intérprete de Língua Brasileira de Sinais, Veranice Galli, chegou a  acompanhar o filho em alguns semestres.

 

No trabalho final de graduação, o estudante uniu os conhecimentos adquiridos ao longo do curso e a experiência pessoal para criar o projeto Liberté – Clínica Especializada no Atendimento de Pessoas com Deficiências. A edificação conta com espaço dedicado a fisioterapia aquática, iniciativas educacionais, ensino bilíngue (Libras), consultórios e outros ambientes adequados ao público. O projeto contou com a orientação da professora Kelly Pavan e foi selecionado pelo IAB – Instituto dos Arquitetos do Brasil – seção Erechim – como um dos três melhores trabalhos de conclusão de curso. 

 

Conheça o projeto:

 

 

5 respostas

  1. Parabéns Filho, quanto orgulho tenho de sua caminhada… Amo você…. agora sim.. voa que o mundo é seu….

  2. Parabéns Emerson pela dedicação e esforço. Que seu exemplo seja de fato um incentivo para outros mais. Espero ver publicações de trabalhos seus porque é muito bom no que faz. SUCESSOS!

  3. Como pai sinto-me orgulhoso em participar da conquista do Emerson. Foram 6 anos com o privilégio de que o acompanhou diariamente. Sua maior virtude dedicação. Suas maiores atitudes não desistir é otimismo. Parabéns.

  4. Tenho orgulho da conquista de meu filho. Foram 6 anos de esforço e dedicação. Tive o privilégio de acompanha-lo diariamente. Seu otimismo e dedicação foram essenciais a sua caminhada. Parabéns.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Projeto brasiliense ganha destaque Internacional no Prêmio ArchDaily Edifício do Ano 2024

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Arquiteto Washington Fajardo vai atuar na Divisão de Habitação e Desenvolvimento Urbano do BID

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Arquitetura Modernista: New York Times indica Brasília como um dos melhores lugares para visitar 2024

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Conheça os profissionais premiados pelo CAU Brasil no Dia do Arquiteto e Urbanista 2023

Pular para o conteúdo