CATEGORIA

Arquiteto e urbanista Ângelo Arruda lança livro de poesias

O arquiteto e urbanista Ângelo Marcos Arruda vai lançar, no dia 27 de junho, o livro de poesias A Invenção do Silêncio. O evento acontecerá às 19h30 no Sesc Morada dos Bais, em Campo Grande (MS). 

 

Neste dia, o livro será vendo a R$ 30,00 e terá a renda revertida para duas entidades sociais: a AACC e a Fundação Chico Xavier. “Essa é uma forma que encontrei da sociedade ajudar ao próximo. A AACC, que sou fundador, é uma entidade importante para ajudar as crianças com câncer e a Fundação foi a que criadora da Orquestra Jovem Emmanuel de meninos e meninas. Ambas precisam de apoio” afirma Ângelo.

 

 

A Invenção do Silêncio é composto por 50 poemas, resultado de mais de 40 anos de escrita. Até então, Ângelo, nunca tinha publicado um conteúdo deste tipo. “Tomei coragem há 4 anos de publicar um livro assim. Eu que já tinha pesquisado e escrito diversos livros de arquitetura e de repente me vi com versos nas mãos e queria compartilhar com meus amigos” conta o autor.

O livro foi editado pela Diniz Marketing e tem desenhos do arquiteto e urbanista Luiz Pedro Scalize. “Encontrei uma forma de dar asas aos versos. Scalize
desenha muito bem em bico de pena. Escolhi 15 dos 50 poemas e ele fez a leitura e desenhou.” completa Ângelo.

 

Ângelo Marcos Arruda é mestre em Arquitetura e Doutor em Educação. Professor na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) já publicou 12 livros na área. Foi presidente da FNA (Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas).

 

MAIS SOBRE: CATEGORIA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CATEGORIA

Conferência das Cidades: espaço para discutir a implementação da política urbana para todo o país 

ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Central de Atendimento do CAU/BR não funcionará na Sexta-feira Santa

ACERVOS

Seminário TOPOS:  CAU/BR e FAU/UnB promovem debate sobre a importância de acervos e arquivos de urbanismo no país 

#MulherEspecialCAU

“Arquiteta, na solidão da sua profissão, seu nome pede valorização!”, defende Tainã Dorea

Pular para o conteúdo