CATEGORIA

Arquitetos combatem os focos de Aedes aegypti no canteiro de obras

 

Com a chegada do outono e o calor ainda intenso na maior parte do país, agrava-se a proliferação do aedes aegypti.  Isto porque as altas temperaturas e água parada são propícias para que o mosquito se reproduza, em particular no ambiente de obras onde são muitas as oportunidades para acúmulo de água.

 

Arquitetos que executam e administram obras estão atentos para a prevenção das doenças causadas por vírus que tem o Aedes aegypti como vetor: dengue, zica e chikungunya. Os profissionais tem orientado seus colaboradores para redobrar o cuidado para evitar o acúmulo de água em lajes, tonéis, carrinhos de mão, betoneiras e fossos de elevador sejam, além do armazenamento adequado de sacos de cimento e de lonas.

 

O arquiteto Floriano Mendonça, explica as providências que tem adotado nas obras que executa: “realizamos a limpeza constante do canteiro, com a colocação de tampas nos reservatórios de água e a manutenção dos baldes e vasilhames, sempre com as aberturas para baixo.”  Já o arquiteto Adriano Sotero afirma que “por meio do DDS (diálogo diário de segurança) com todos os colaboradores antes do início dos serviços, tratamos a cada dia um tema relacionado à segurança e prevenção de doenças.  Com a proliferação do mosquito Aedes aegypti, este tema tem sido abordado com frequência. Nos preocupamos não apenas com os procedimentos para o combate ao mosquito no canteiro de obra, mas também na residência de cada um. Cuidados como: não deixar água parada em vasilhames, pneus, baldes e tudo que possa reter água, caso o vasilhame não possa ser descartado, deixa-lo com a boca virada para baixo, limpeza de calhas e ralos, afim de deixar a água fluir livremente, evitar água acumulada sobre lajes e em locais de pouco acesso”.

 

A empresa de CCR Metrô Bahia, concessionária responsável pela construção e operação do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas, também tem trabalhado com a detecção, prevenção e combate do mosquito. Além de distribuir uma cartilha explicando os sintomas das doenças, os métodos de prevenção e o uso de repelentes, a CCR envia dicas aos associados, pelo site da empresa e por redes sociais.

 

Publicado em 10/03/2016

Fonte: CAU/BA

 

MAIS SOBRE: CATEGORIA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Central de Atendimento do CAU/BR não funcionará na Sexta-feira Santa

ACERVOS

Seminário TOPOS:  CAU/BR e FAU/UnB promovem debate sobre a importância de acervos e arquivos de urbanismo no país 

#MulherEspecialCAU

“Arquiteta, na solidão da sua profissão, seu nome pede valorização!”, defende Tainã Dorea

Assistência Técnica

Mais médicos/Mais arquitetos: mais saúde para o Brasil (artigo de Nadia Somekh no portal do Estadão)

Pular para o conteúdo