ARQUITETOS EM DESTAQUE

Arquitetos de Brasília vão ao Chile apresentar projeto de Ações Urbanas Comunitárias

 

Depois de ter apresentado na Coreia do Sul a experiência bem-sucedida do governo de Brasília em moradia popular, a Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab) mostrará seu trabalho agora no Chile. O projeto Ações Urbanas Comunitárias foi selecionado entre os mais de 400 inscritos na 20ª Bienal de Arquitetura e Urbanismo daquele país. O evento ocorrerá de 26 de outubro a 10 de novembro, em Valparaiso.

 

A edição deste ano da bienal vai propor uma reflexão sobre os temas normalmente deixados de lado na construção das cidades. É o caso dos gigantescos assentamentos humanos precários e das metodologias para tentar contornar os problemas. A ideia é proporcionar maior qualidade de vida aos moradores desses locais. “É justamente isso que o nosso projeto tem feito: a qualificação dos espaços urbanos, com criatividade, baixo custo e participação efetiva da comunidade, o que faz toda a diferença”, explica o presidente da empresa pública, o arquiteto e urbanista Gilson Paranhos.

 

O projeto já teve 55 ações desencadeadas em diferentes regiões administrativas do DF. As ações consistiram, por exemplo, na renovação de fachadas e na pintura de painéis artísticos, que beneficiaram indiretamente mais de cinco mil famílias. Governo e sociedade trabalham juntos para transformar ambientes abandonados em espaços de convivência, como parques, praças e hortas. “Deu tão certo que está sendo, felizmente, copiado por outras instituições em todo o País. Lançamos, inclusive, um manual detalhado com todas as explicações para colocar o projeto em prática”, conta.

 

Praça construída em mutirão na comunidade do Sol Nascente, na Ceilândia

 

De acordo com o presidente da Codhab, é preciso, antes de mais nada, envolver a comunidade, e isso é feito com o trabalho corpo a corpo entre arquitetos e moradores. A companhia tem postos de assistência técnica em dez comunidades carentes. “É ali, no dia a dia, que nossa equipe está, em contato direto com as pessoas que moram na região, conhecendo seus problemas e indo atrás das soluções”. A equipe de cada posto faz também projetos de infraestrutura urbanística e de melhorias habitacionais, com custo zero para os beneficiados. A ação faz parte do projeto Na Medida, um dos eixos de atuação do programa Habita Brasília.

 

As melhorias habitacionais servem para solucionar problemas de salubridade e segurança habitacional, na maioria das vezes em cozinhas e banheiros. Paranhos explica que é muito comum, por conta da autoconstrução, essas moradias carecerem de luz natural e ventilação, o que é resolvido com ajuda de um profissional. “Com o projeto adequado, conseguimos dar mais qualidade de vida a esses moradores”. Até o momento foram feitas quase 100 obras de melhorias habitacionais e mais 50 estão em andamento. A expectativa é que sejam executadas mais 1,9 mil obras até o fim de 2018.

Uma resposta

  1. Olá. Quero parabenizar a equipe pelo trabalho e gostaria de saber mais detalhes do projeto. Por exemplo: o recurso para as reformas são dos moradores ou do Governo? Os trabalhos são apenas nas residências ou em ambientes urbanos? Questões sobre ausência de infra-estrutura urbana, caso exista, como são abordados?
    Obrigada

Os comentários estão desabilitados.

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CIDADES

Conferência das Cidades: espaço para discutir a implementação da política urbana para todo o país

CIDADES

Iniciadas Convocações para a 6ª Conferência Nacional das Cidades

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Projeto brasiliense ganha destaque Internacional no Prêmio ArchDaily Edifício do Ano 2024

CIDADES

Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul seleciona profissional de Arquitetura

Pular para o conteúdo