ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Atendimento aos Arquitetos: Responda à nossa Pesquisa de Satisfação 2018

 

Arquitetos e urbanistas e demais cidadãos que utilizam os serviços do CAU/BR e dos CAU/UF podem agora avaliar a eficiência e a qualidade do atendimento e dos serviços prestados pelo Conselho. A Central de Atendimento atende a uma média de 6.000 demandas mensais, por meio dos telefones 0800-883-0113 e 4007-2613 e do atendimento online. A Pesquisa de Satisfação do Atendimento e Serviços vai avaliar a percepção do público sobre os diversos serviços prestados, como: Registro de Profissionais; Registro de Empresas; Registro de Responsabilidade Técnica (RRT); Registro de Direito Autoral; Emissão de Carteira; Emissão de Certidão de Acerto Técnico; Emissão de Boletos de Anuidades; Interrupção de Registro; Cadastro e acompanhamento de denúncias; Tabelas de Honorários; e Canais de Atendimento.

 

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER A PESQUISA

 

O levantamento atende ao Decreto Federal nº 9.094/2017, que determina que “os órgãos e as entidades do Poder Executivo federal deverão utilizar ferramenta de pesquisa de satisfação dos usuários dos seus serviços (…) e utilizar os dados como subsídio relevante para reorientar e ajustar a prestação dos serviços”. A pesquisa é realizada pela Rede Integrada de Atendimento do CAU (RIA-CAU), que faz parte do Centro de Serviços Compartilhados do CAU (CSC-CAU), que centraliza os serviços em comum prestados pelo CAU/BR e pelos CAU/UF em todo o Brasil. Dessa forma, o CAU/BR e os CAU/UF seguem buscando as melhores práticas de gestão pública, conforme os parâmetros definidos pelo Governo Federal.

 

Um exemplo dessa busca pelas melhores práticas de gestão foi o lançamento da Carta de Serviços do CAU, que informa os mais de 40 serviços disponibilizados pelo Conselho e quais as formas de acesso, requisitos e compromissos para o atendimento que são adotados pela instituição pública, tendo como premissas o foco no cidadão, a qualidade no atendimento e transparência da informação. Acesse aqui.

63 respostas

  1. Gostaria que o campo COMPLEMENTO (do endereço) da RRT fosse maior, ou que se adaptasse à descrição, quando for mais extensa. Minhas RRTs sempre ficam com a descrição deste campo sobreposta ao outro campo na sequência,ficando ilegível. É possível fazer esta alteração??? Na minha opinião isso deveria ser automático!!!!! Algo tão básico!

  2. Sou formada a 02 anos, a principio estava fazendo tudo devagar ; conseguir fazer meu registro provisório em seguida meu definitivo.
    Só em Maio/2018 consegui pagar minha carteira nacional. Fui ao Cau e dei entrada, tirando foto e atualizando meus dados.
    E para minha felicidade até hoje nau recebi tal carteira…
    pagamos R$ 60,00 reais para um serviço de má qualidade. confesso que estou decepcionada
    Posso até comparar com Crea que no começo era assim, mas a tecnologia deles melhoraram 100% e hoje a carteira é emitida na hora que se vai fazer a foto.
    Já vai p 02 meses e gostaria de um posicionamento, ter minha carteira em maos é um direito que me assiste.

    Arq. Zuldmair

  3. No Brasil há quase 160 mil arquitetos e o perfil médio desse profissional é: mulher com até 30 anos, ganhando R$ 4.300 por mês para trabalhar com decoração. 85% do país é construído à revelia dos poderes públicos, arquitetos e engenheiros, CAU e CREA.

    Com a crise econômica que se arrasta no país há algum tempo, o setor de AEC (Arquitetura, Engenharia e Construção) é um dos mais atingidos, seja pelo desemprego, seja pela falta de investimentos públicos em infraestrutura ou crédito imobiliário acessível, deixando arquitetos e engenheiros sem perspectivas a curto ou médio prazo.

    E ao fim, no CAU há salários de até 25 mil reais por mês (ver PCS do CAU na internet). O CAU é uma autarquia e como tantas outras do governo/estado vive às expensas dos profissionais que sofrem para exercer sua profissão, não tem trabalho ou são mal remunerados ou vilipendiados em seus honorários.

  4. Quanta insatisfação… Um serviço que surgiu para abrir e ajudar o campo do arquiteto, acaba limitando e prejudicando. Falo isso porque tenho um registro jurídico desde o CREA, e paguei todas as anuidades. O CAU se manifestou somente em 2015, sem ter ao menos um cadastro jurídico. Tinha somente o nome da razão social. A empresa foi migrada para o CAU, como deveria assim ser, mas não obtive nenhuma informação. Ao contrário do que aconteceu com o registro físico. E o que aconteceu é que não tive nenhum acordo e pago as atrasadas para não correr o risco de fechar a empresa ou ter problemas com o meu registro de pessoa física. Essa brincadeira, está me custando mais de R$ 3.000,00. Dá para entender?

  5. -Um absurdo declararmos a validade da RRT, uma vez que não sabemos os prazos, tanto para aprovação do projeto nos órgãos oficiais quanto do prazo para execução da obra.
    -Outra coisa, é complicadíssimo “dar baixa” numa RRT, porque tanta burocracia?
    -Estas observações já foram feitas num evento realizado pelo CAU na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de Santos- UNISANTOS, há alguns anos atrás e pelo jeito não adiantou nada.

  6. até hoje nao tenho tido nenhuma queixa a registrar… os atendimentos para esclarecer dúvidas sempre foram suficientes.
    apenas sinto que tenhamos que preencher em separado, projeto e execução… é perda de tempo.

  7. Pelo que li de alguns comentários aqui, a CAU presta um desserviço à sociedade. Fiz uma denúncia na CAU PE em FEV/18 sobre um profissional que tive a infelicidade de contratar, pois após quase 2 anos de ter terminado uma reformado em minha casa ainda não recebi a maioria das plantas/projetos, pelas quais paguei antecipadamente, e tudo que obtive até o momento foram adiamentos da apresentação de um Parecer de Admissibilidade, que pelo andar da carruagem, no meu entendimento, não dará em nada. Nesse ínterim abri uma Ouvidoria que simplesmente também recebeu as mesmas informações vazias, mas que o Ouvidor aceitou e ficou por isso mesmo. É impressionante o descaso com o consumidor. Para reformar qualquer coisa em nossos imóveis temos que contratar um profissional, pagar taxas e cumprir todas as normas exigidas, porém quando precisamos do apoio do Conselho ficamos à ver navios, nada se resolve, ninguém nos apoia, nada funciona. Mais um retrato de um país permeado de burocratas que vivem criando institutos, autarquia, conselhos etc apenas para gerar cabides de empregos. Lamentável.

  8. Não valorizam nossa classe e não sabem esclarecer dúvidas. Eu queria saber se há obrigatoriedade de fazer registro de autônoma na Prefeitura ou se havia outra alternativa para recolhimento do ISS (pois o valor fixo é absurdo) e não souberam me informar, só me enrolaram. Perguntei sobre empresas individuais e como funcionava a questão de anuidade. Ridículo o arquiteto que tem empresa individual ter que pagar duas anuidades (a dele e a da empresa que é ele mesmo). Todas as denúncias que fiz não deram em nada, aliás, nem consigo pesquisá-las no sistema. Qual será a dificuldade de listar todas as denúncias feitas se para acessar o sistema eu coloco minha senha? Para proteger minha privacidade é que não é… Cheio de site oferecendo projeto pronto por 300 reais, mas as denúncias somem sem qualquer resposta. Descontos ínfimos em planos de saúde “coletivos” pelo conselho.
    Talvez em 200 anos tenhamos um conselho tão bom quanto a OAB, que trabalha não apenas fiscalizando os advogados de forma a defender os direitos da sociedade, mas também preza pela valorização da classe (muito mais unida do que a nossa) e oferece diversos benefícios. Se você consultar a lista de descontos oferecida pela Caixa de Assistência dos Advogados ficará de queixo caído. Possuem até sistema de previdência privada, descontos e isenção de anuidade em caso de desemprego ou doença, auxílio maternidade e enxoval, auxílio funeral… Quem dera nossa anuidade fosse assim bem aproveitada.

  9. Sinceramente não sei como o CAU pode ter a coragem de pedir a pesquisa de satisfação dos Arquitetos. Lamentável o grau que os Arquitetos e Urbanistas como eu passaram a ter com esse novo Conselho, eu com quase 23 anos de formada, era Inscrita no CREA, um Conselho de fato mil vezes melhor que o CAU, que não me serviu para nada, a não ser venha a nós, cobrar taxas e anuidades é a única coisas que eles sabem fazer bem.
    De quem foi a má ideia de tirarem os Arquitetos do CREA para passar para o CAU? Um Conselho que passei 18 anos Inscrita e tinha toda a assessoria que precisasse, fora os custos com as RT’S que era o mínimo, pois poderíamos agregar Arquitetura e Execução.
    Aqui em Parnaíba-Piauí está uma verdadeira palhaçada a área de construção, fazem a festa…até o pipoqueiro faz projeto, até o bombonzeiro constrói casa, e tudo sem a assinatura de um Profissional.
    Agora que precisei, pedi orientação quanto ao acordo que eles possuem com a OA de Portugal e não sabem responder nada definido, enquanto ao CREA, os sortudos engenheiros já estão lá Inscritos na Ordem dos Engenheiros e trabalhando.É lamentável esse nível que o Brasil chegou, onde as pessoas se satisfazem com tão pouco, sendo cobrado muito. Espero que seja o último ano que pago este Conselho, nem que tenha que cursar novamente Arquitetura e Urbanismo em Portugal, para me livrar desse peso morto.

  10. em vários país da Europa os arquitetos são auditor fiscal voluntário isto funciona, já varias entidade no Brasil já tem fiscal voluntários. que um exemplo no estado de Goiás eu sou um deles na AGR Agencia Goiana de Regulação, controle e fiscalização do estado de Goiás. eles min atende melhor que o CAU/Goiás. fone 61996774325 vamos cobra do CAU/Br

  11. Sempre fico na dúvida sobre quais são os serviços prestados pelo CAU/UF e o que eu posso esperar de um conselho representativo de classe. Por essa pesquisa listam “diversos serviços prestados, como: Registro de Profissionais; Registro de Empresas; Registro de Responsabilidade Técnica (RRT); Registro de Direito Autoral; Emissão de Carteira; Emissão de Certidão de Acerto Técnico; Emissão de Boletos de Anuidades; Interrupção de Registro; Cadastro e acompanhamento de denúncias; Tabelas de Honorários; e Canais de Atendimento”.Então, o CAU/UF só exerce a função de polícia, fiscalização e cobrança? Necessário, porém pouco representativo. Quero saber qual é a instituição que responderá, de forma transformadora e efetiva, sobre a chegada dos cursos de arquitetura e urbanismo à distância? Quero saber qual é o coletivo organizado que salvaguarda o trabalho do arquiteto urbanista brasileiro devidamente registrado e atendo a legislação brasileira de arquitetos estrangeiros que pouco se importam com a máquina burocrática do país e divulga livremente seus portfólios, ganham clientes e trabalham livremente sob o cunho de assinaturas emprestadas? Quero saber qual é o conselho que exige da União, do Estado ou do Município o exercício dos arquitetos urbanistas em projetos de proteção do patrimônio cultural e artístico de uma cidade ao invés de repassar as responsabilidades para outras instâncias deixando a deriva a ação de muitos padres de boa vontade? Quero um conselho que atenda, escuta, discuta e, pela sua voz representativa, faça valer posturas afirmativas frente a classe do qual representa. De contas e boletos…. estou cheia!!!!

  12. Achei que só eu tinha problemas com o site do CAU, porém, lendo os comentários acima percebo que a insatisfação é geral. Errei o preenchimento do RRT, acabei pagando em duplicidade, entrei em contato telefônico com um atendente que me orientou a enviar uma carta explicando o ocorrido e solicitando o ressarcimento do valor cobrado a mais. Procedi conforme orientado, porém, o ressarcimento estou aguardando até hoje.
    Um absurdo sermos obrigados a votar e absurdo ainda maior, sermos multados por não votarmos.
    Site, serviços, atendimento telefônico horríveis, tudo péssimo! Uma anuidade altíssima pelo que nos proporcionam. O CAU – Conselho de Arquitetura e Urbanismo parece ser mais contra os Arquitetos do que a favor dos mesmos. É um lixo esse Conselho! Tenho saudades do CREA!

  13. Sempre que precisei dos serviços do CAU/BR e dos CAU/UF fui muito bem atendida.

  14. Considerando que muitos serviços prestados por Arquitetos e Engenheiros Civis são bastante semelhantes;

    E também, considerando que no mercado real, as pessoas buscam qualidade mas também buscam melhores preços;

    Entendo que os mecanismos e valores de RRTs e ARTs deveriam ser idênticos. Observem:

    1- A taxa do RRT é mais cara que a da ART.

    2- Num mesmo RRT (mesmo cliente e mesma obra) às vezes tenho que pagar o dobro ou o triplo da taxa base. Na ART isso não ocorre. e

    3- Parte da arrecadação com as ARTs retorna às entidades de classe. Como isso não ocorre com o RRT, nós Arquitetos e Urbanistas estamos sendo cerceados em nossas associações. Como que sendo rebaixados a uma casta inferior pois o nosso Conselho “não colabora”!

    Diante de tudo isso, penso que a lei está errada e merece ser revista através de uma ADI – Ação Direta de Inconstitucionalidade pois fere, dentre outros, o “Direito de Isonomia”, presente em nossa “Carta Magna” a Constituição Brasileira de 1988.

    O princípio da isonomia, também conhecido como princípio da igualdade, representa o símbolo da democracia, pois indica um tratamento justo para os cidadãos.

    De acordo com a Constituição Federal, o princípio da igualdade está previsto no artigo 5º, que diz que ‘Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza’. Esta igualdade é chamada de formal. De acordo com ela, é vetado que os legisladores criem ou editem leis que a violem. O princípio da igualdade garante o tratamento igualitário de acordo com a lei para os cidadãos.

    1. Concordo com você Jorge Samaha à respeito da RRT! Para um conselho que foi praticamente desmembrado de outro, ainda estamos reclamando de coisas básicas como preenchimento e atividades de RRT! Não deveríamos ter iniciado de forma mais eficiente(por já possuir um “modelo” de conselho)?
      Estou tentando acessar a ouvidoria, mas é impossível. No preenchimento da RRT, gostaria que fosse ampliado o espaço da aba COMPLEMENTO, no item 3.DADOS DA OBRA, pois em meus preenchimentos, esse sempre sobrepõem ao item bairro, ficando inelegível.

  15. Totalmente insatisfeita! Cade a fiscalização? Cada vez mais designers, tecnologos, engenheiros civis e ate marceneiros tomando nossos projetos! Ate pra denunciar e burocrático! Depois obrigam a eliminação das nossas reservas técnicas como valorização do profissional se o próprio CAU não nos valoriza! Exijam que projeto arquitetônico seja unicamente e exclusivo nosso, porque a anuidade todo ano tai cada vez mais cara e pra que? me pergunto!

    1. Bruna, agradecemos a atenção e pedimos que por favor registre suas sugestões junto à Ouvidoria do CAU/BR em http://ouvidoria.caubr.gov.br/

      Informamos que a fiscalização é realizada pelos CAU/UF, conforme determina a Lei 12.378/2010. Ao CAU/BR cabe promover as normas gerais de fiscalização e analisar possíveis recursos de processos já julgados pelo CAU/UF.

      Saiba mais como funciona a fiscalização dos CAU/UF em http://www.caubr.gov.br/cartadeservicos/

      Para fazer uma denúncia, por favor clique em https://siccau.caubr.gov.br/app/view/sight/externo.php?form=CadastrarDenuncia

  16. Pelo nº grande de reclamações e insatisfação dos profissionais, o CAU deve rever suas ações, sua plataforma de comunicação, suas taxas, suas orientações e facilitar os procedimentos de registros e pagamentos. A comunicação digital hoje é fundamental, porém ela tem que ser esclarecedora, principalmente para quem não tem grande conhecimento com tecnologias digitais, e ser rápida e de fácil compreensão nas informações solicitadas. Deve intensificar a fiscalização e impedir a atuação de profissionais “não habilitados” e que trabalham livremente, o que é grave, e de profissionais que não tem nenhuma formação na área e se apresentam como arquitetos, tb muito grave. A multa por não ter votado na eleição do Conselho acho absurda, assim como várias outras cobranças porém está na lei, e vivemos num país de risco, onde a atenção deve ser re-re-redobrada em datas limites, em eventos com participação obrigatória, onde se paga eternamente taxas e registros e licenças.E para que se possa atuar no mercado de trabalho de forma digna e profissional, adequadamente remunerada e com condições que resulte em satisfação e bem estar para a vida, ainda estamos aqui reclamando por itens muito primários, qdo deveríamos conversar e buscar resultados sobre tecnologias que melhorem nossas vidas muito mais. Ainda confio que o CAU vai se rever e se melhorar.

  17. – O CAU tem prejudicado os arquitetos com o numero excessivo de RRT’s que temos de confeccionar para uma mesma obra, onerando esta classe que tem de pagar uma anuidade cara e ainda concorrer com agrônomos, técnicos em edificações e engenheiros que tem suas anotações mais baratas, tudo isto que pagamos e agora esta sendo exigido que na cidade de londrina para a construção de uma casa de 70,00 m², temos de recolher 03 RRT’s, o que acredito ser “tri-tributação”, se contar-mos a anuidade então é “quadri-tributação”, e temos que suportar a fiscalização do CAU, CREA e Prefeitura, não bastasse a vergonha de termos os projetos corrigidos pela secretaria de obra como se não soubéssemos projetar, onde esta a ética com nossa classe, parece que só servimos para pagar…..

    1. Sergio, o CAU/BR e os CAU/UF existem desde 2011, tendo criado o SICCAU, Tabela de Honorários, Código de Ética, Resolução sobre Direitos Autorais, Resolução sobre Atividades Privativas de Arquitetos e Urbanistas, Site Ache um Arquiteto, desenvolveu campanhas nacionais de valorização profissional e têm lutado no Congresso Nacional pelo planejamento correto de nossas cidades, entre outras ações.

      Os CAU/UF realizam ainda ações de fiscalização, de apoio às prefeituras e orientação dos profissionais recém-formados. Existem ainda uma série de benefícios, como planos de saúde, desconto em softwares BIM e financiamento de projetos. Você pode conferir todos em http://www.caubr.gov.br/indice-beneficios/

      Lembramos que o CAU é de todos os arquitetos e urbanistas. Caso tenha alguma dúvida, por favor entre em contato com a nossa Central de Atendimento:

      Chat: http://www.caubr.gov.br/atendimento
      Telefones: 0800-883-0113 (ligações realizadas a partir de telefones fixos) e 4007-2613

  18. Olá! Li alguns comentários e vou aproveitar para expor novamente ao CAU oque acontece com os profissionais em cidade de interior. Pois bem, pagamos a mesma anuidade que todos, altíssima por sinal, porém em cidade pequenas, fora de capitais, não existe NADA nos beneficiando e que justifique o valor da anuidade. As ações de valorização dos profissionais que o CAU sempre frisa não chega em cidades menores. O atendimento por e-mail e telefone não resolve as nossas questões. Por exemplo, estou a mais de 6 anos tentando dar baixa em um RRT de cargo e função de uma empresa que trabalhei e não existe mais, porém até hoje sem sucesso, estou presa a ela por um vínculo que só existe no sistema, após incansáveis contatos por telefone e e-mails, após taxas e mais taxas pagas, agora o CAU me solicita um documento da empresa, porém como todos sabemos, nós somos funcionários, não temos em nosso poder documentos de baixa de firma por exemplo, oque acontece comigo é algo comum, os sócios encerraram suas atividades, porém não dão baixa em todos os registros e mudam até mesmo de cidade, e claro, fazem pouco caso de nos ajudar, não estão nem aí para o profissional. E o abacaxi fica na mão do arquiteto! estou de “mãos amarradas” sem ter como finalizar o processo de baixa!!! Outra coisa que me deixa extremamente decepcionada com o CAU, são sobre as denúncias que não seguem em frente, já fiz várias mas até agora sem resposta alguma. Acompanho o andamento online, porém nunca tem desfecho. Nas cidades pequenas as prefeituras “pintam e bordam”, NENHUMA lei é cumprida por aqui! os profissionais não respeitam o código de ética, é profissional servidor público com escritório particular e ainda prestando serviço pra prefeitura pelo seu escritório! é gente dizendo que é profissional e não fez mais que um curso técnico. E por aí vai!! Espero mesmo, quase sem esperança, que esse Conselho seja o conselho de ARQUITETOS e não um conselho pra acabar com os arquitetos!

  19. O RRT EXTEMPORÂNEO FOI MUITO MAL PENSADO NA LEI 12.378, A MULTA DE 300% É ALGO FORA DA REALIDADE E DA CONSTITUIÇÃO. ESTÁ NA LEI E O CAU TEM QUE COBRAR ESSE ABSURDO. NA CEP TENTAMOS MUDAR E NÃO FOI POSSÍVEL POR ESTAR NA LEI. SEI QUE JÁ TEM ESTUDO PARA SER REGULAMENTADO O RRT ESPONTÂNEO EXTEMPORÂNEO PARA TIRAR ESSA MULTA DE 300%. NÃO SEI COMO ESTÁ O ANDAMENTO.

    IMAGINA UMA SITUAÇÃO TAMBÉM SEM LÓGICA: O PROFISSIONAL FAZ O SEU RRT NORMAL DENTRO DO PRAZO, RETIRA O BOLETO QUE É PROGRAMADO PARA ALGUNS DIAS ADIANTE E ESQUECE OU DEIXA DE PAGAR. O ABSURDO DOS ABSURDOS, O PROFISSIONAL É OBRIGADO A CANCELAR O RRT NORMAL QUE JÁ FIRMOU COM SEU CLIENTE E O CAU LHE OBRIGA À FAZER UM RRT EXTEMPORÂNEO E PAGAR A MULTA DE 300% MAIS O VALOR DO RRT NORMAL. A LEI 12.378 FOI PARA VALORIZAR OS BOLETOS E NÃO OS RRTs. BOLETO É COBRADO NO CARTÓRIO, BANCO NA JUSTIÇA COM MULTA DE 2% MAIS CORREÇÃO MONTÁRIO, JURO DE MORA DE 1% AO MÊS. CAU/BR VAMOS ESTUDAR ESSA SITUAÇÃO, SE VOR NECESSÁRIO MUDE A LEI.

    Arq. ALTAIR MEDEIROS
    Ex-Conselheiro do CAU/MT nas 02 gestões anteriores.

  20. Quanto ao atendimento do CAU aqui em Porto Alegre, comigo sempre foi muito atencioso por todos. Sempre com a intenção de resolver as questões. Com isso estou satisfeito.
    A minha maior queixa, e pelo jeito não só minha, continua sendo o preenchimento dos RRT’s. Até hoje não consigo entender a intenção de fazer 2 RRT’s para projeto e execução separados. Também acho desmedido o tamanho da fonte que obriga a gerar 2 folhas ao passo que, com um layout mais eficiente, uma folha só seria suficiente não desperdiçando folhas em vão!

  21. Me formei agora no final de 2017, e por enquanto estou impressionado com a eficiência e a capacidade de auxiliar os novos arquitetos no mercado. Desde já agradeço a todo o conselho!

  22. Eu gosto. As pessoas sempre se colocam a disposição e se esforçam em atender e informar da melhor maneira possível.
    Somos jovens e temos muito que caminhar.
    Parabéns!

  23. Realmente estou decepcionado com o CAU e seus atendimentos. Um órgão que cobra absurdos 533 reais de anuidade sem ao menos ter benefícios pra categoria, alem do mais essas RRTs que precisa fazer uma de projeto outra de execução e ainda por cima tem que pagar pra ser múltiplo. Então tem que ter duas RRTS num único projeto com dois autores? sinceramente isso é taxas e mais taxas. Nos arquitetos devemos nos unir e pedir a extinção dessa entidade que esta se beneficiando com suas taxas absurdas sem ao menos favorecer a categoria. Não me venha dizer que esta fazendo por onde melhor por que não estão.

    1. Jakson, informamos que o CAU/BR promove diversas ações objetivando a valorização da Arquitetura e do Urbanismo no Brasil, por meio de campanhas publicitárias, diálogo institucional com o Governo Federal e Congresso Nacional, eventos nacionais e agora também ações de apoio à Assistência Técnica para Habitação de Interesse Social.

      O Código de Ética, a Tabela de Honorários, Resolução sobre Atribuições Privativas dos Arquitetos e Urbanistas e Resolução de Direitos Autorais também são ações que visam valorizar a profissão e estabelecer as regulações básicas que se referem a Arquitetura e Urbanismo.

      Saiba mais em http://www.caubr.gov.br/cartadeservicos

      Para conhecer os benefícios que o CAU/BR e os CAU/UF oferecem aos arquitetos, por favor acesse http://www.caubr.gov.br/beneficios

    2. Caro colega Jakson,também acho que deveríamos nos unir pra essa finalidade. Essa situação de ter que fazer uma RRT de projeto e outra de execução pra um mesmo projeto é ridícula. Isso nos desfavorece. Assim como também somos desfavorecidos em concursos públicos e oportunidades de emprego. Nossa área cada vez mais tem menos oportunidades…triste isso.

  24. Continua o absurdo de precisar preencher RRT separadas para projeto, execução e outros. Se o objetivo é cobrar mais taxas, façam o sistema somar no final, porque dessa forma é só mais papel(e árvores para produzi-lo) para imprimir.
    Outro problema grave é no autopreenchimento de endereços, ao digitar, por exemplo, bairro “Boa Vista” ou outro nome comum no Brasil, DEPOIS de digitar cidade e CEP, aparece uma tela com sugestões em outras localidades esdrúxulas e é preciso esperar a maldita tela sumir para continuar preenchendo. Deveriam ao menos deixar a opção de desligar esse serviço burro e inútil, ou fazer essa tela aparecer onde não atrapalhe.
    Resumindo, com certeza precisam repensar todo esse sistema que, tenho certeza, não é utilizado por quem o projetou.

    1. Marcus, informamos que o CAU/BR promove constante diálogo com arquitetos e urbanistas de todo o país para aperfeiçoar as regras do RRT. Desde 2012, o CAU/BR já expediu 6 resoluções sobre RRT. A Resolução CAU/BR Nº 91, atualmente em vigor, foi objeto de extensa revisão em 2017.

      Foi feita uma consulta pública aberta a todos os arquitetos e urbanistas. Com divulgação via site, e-mail e facebook. Veja em http://www.caubr.gov.br/consulta-publica-novas-regras-para-registro-de-responsabilidade-tecnica-rrt/

      A Comissão de Exercício Profissional do CAU/BR utilizou as sugestões dos arquitetos e urbanistas e dos CAU/UF para uma nova resolução que foi discutida pelo Plenário do CAU/BR no final de 2017, mas não houve consenso sobre o assunto, permanecendo a Resolução CAU/BR Nº 91 em vigor. Veja em http://www.caubr.gov.br/resolucao91

  25. Acho o atendimento dos funcionários prepotente e incompetente para resolver os problemas.
    A fiscalização de obras e realizada pelo CREA com apoio do CAU.
    O CAU não relisa reunião com as Prefeituras para explicar que a RRT
    O CAU não teve força para resolver o problema da legislação do PPCI, o primeiro manual foi escrito por um dentista, o segundo foi escrito por decretos / Leis que torna soldado raso como profissional
    Espero que esta pesquisa relate a verdade sem maquiagem.

  26. Pago o Cau apenas por que sou obrigada, super insatisfeita com o orgao, outro dia liguei para perguntar como dar baixar em uma RRT, e a pessoa que me atendeu nem sabia o que era isso. Nao somos devidamente informados sobre as nossas obrigações e direitos, deveriam ter palestras constantes para nos ensinar como usar o site de forma correta, como cobrar do cliente e mais uma seria de coisas, isso ate ajudaria a fortalecer a classe. Fora a fiscalização que não existe, o país esta cheio de obras de irregulares, pessoas que colocam na placa de obra o seu nome e se dizem arquiteto e nunca pisaram em uma faculdade, fazemos denuncia e o denunciado só é obrigado a pagar cestas básicas, mas vai um profissional receber RT de loja, que pode ir pra cadeia por ate 4 anos. Hipocrisia vemos por aqui!!!!

    1. Nos deveremos nos unir e pedir a extinção desse órgão, que ao meu ver não beneficia a categoria em nada.
      Ja fiz varias denuncias e nenhum foi averiguada ou respondida. É Lamentável o que esse órgão proporciona pra os arquitetos, aqueles que frequentaram uma faculdade e se pós graduaram, pois aqueles que não se graduaram estão na praça e se beneficiando de clientes leigos.

  27. Respondi a pesquisa… Pesquisa mal elaborada e sem espaço para contribuições e comentários, a cara do CAU.

    1. Também concordo, só serve para dar um ar de democracia à algo imposto…

      1. André, agradecemos a sua contribuição e informamos que esta pesquisa tem como objetivo avaliar a qualidade dos serviços prestados pela Central de Atendimento. O CAU/BR desde o início, em 2012, tem aberto todos os canais de participação possíveis aos arquitetos e urbanistas. Nossa Central de Atendimento atende a uma média de 5.200 demandas de arquitetos e urbanistas por mês, com índice de satisfação de 95%. A Ouvidoria do CAU/BR, que trabalha de forma autônoma, tem um índice de sucesso nas respostas de 98%. Veja em http://www.caubr.gov.br/atendimento-online-ja-responde-por-25-do-total-das-demandas/

        Desde 2015 o CAU/BR já promoveu 14 consultas públicas abertas a todos os arquitetos e urbanistas. Veja em http://www.caubr.gov.br/consultapublica/

    2. Concordo. No caso do CAU do meu estado (RN) a pesquisa teria páginas de reclamações e sugestões. A começar pela padronização de placas de obras que muitos estados (CAUs regionais) já tem o modelo com especificação do QR code e etc. Aqui só temos um medíocre modelo em pdf sem indicação/sugestão de medidas ou o QR Code/Ferramenta para emissão desse. Vários condomínio nem nos permeitem que coloquemos a placa com a informação técnica e gráfica da obra (Seria mais um meio de propaganda e promoção de nossa profissão) Mas a pesquisa é fria, distante da realidade em que gostaríamos de opinar.

  28. Participei da pesquisa, mas senti falta de espaços para comentários.
    Sobre honorários de arquitetos e urbanistas, gostaria que o Conselho fosse mais atuante em cobrar de órgãos, entidades públicas e empresas privadas o respeito à nossa profissão e o pagamento correspondente ao previsto em lei.
    Nossa categoria sofre demais com salários abaixo de 1/3 do que deveria ser pago.
    Já fiz denúncias pelo site, mas até hoje, nunca recebi retorno ou notícia de que as denúncias foram averiguadas e as empresas notificadas para correção da prática.

  29. Necessário facilitar a forma de fazer baixa em RRT. Não induzir os profissionais a pagar contribuição sindical. O que antes, nunca foi obrigatório, ainda teve a confirmação disso em novembro 2017. O comentário do Luiz Jamil Akel não procede. Recebeu e-mail. Não leu. Não votou. “Dançou”. Pagou multa. Essa situação é normal.

  30. Fico me perguntando qual a efetiva participação do CAU nos órgãos colegiados das prefeituras mediante a confirmação das atribuições que são legalmente concedidas aos arquitetos. Ocorre que na prefeitura de São Paulo não há representante do CAU no colegiado do CONPRESP. É o CREA que ocupa a cadeira que deveria ser assento do CAU. Ressalto que não é a primeira vez que me manifesto acerca do assunto. Tudo o que um engenheiro, sem a devida especialização na área,decidir sobre tombamento e restauro de imóveis deveria ser contestado pelo CAU.
    Qual a razão do órgão que nos representa se quedar inerte?

  31. O serviço telefônico do Rio de Janeiro é horrível e o setor responsável pelo Desligamento temporário (GERÊNCIA TÉCNICA Siccau ) pior ainda , vide abaixo !
    (Atualização no Processo de Solicitação do RRT N° 3197832
    Despacho:

    Considerando documentação apresentada, o processo foi DEFERIDO pela Gerência Técnica do CAU/RJ.

    Para acompanhar o processo de solicitação, acesse à Área do Profissional no SICCAU

    Atenciosamente,
    SUPORTE SICCAUer 26/12/2017, 12:11 )
    ATÉ HOJE NÃO CANCELARAM O MEU REGISTRO e nenhum e-mail me foi enviado até a presente data .

  32. Prezados senhores,
    Venho por intermédio deste, fazer uma solicitação: Sou profissional liberal, tenho o meu registro na SEDUR (Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo) obrigatoriamente!! para dá entrada em um projeto preciso está em dias com a SEFAZ (Secretaria da Fazenda do Município) Acontece que o valor cobrado da anuidade é o dobro da anuidade do CAU. Sinceramente é onde entra a minha indignação, porque o CAU não faz nada com a finalidade de reduzir esse valor?
    Sem mais despeço-me no aguardo.

  33. Realmente esperava muito mais. Imaginava que fosse um órgão que iria trabalhar em conjunto com os arquitetos e não na contra mão dos profissionais sérios. Que iriam punir os que atuam ilegalmente, denunciar e melhorar a imagem dos profissionais junto à sociedade. Que não haveriam panelinhas, como no antigo conselho. Que quando fossem redigir um estatuto da classe, houvesse tempo hábil e bastante divulgação na hora da elaboração, para que um numero muito grande se manifestasse.
    Um tempo desses conversei com um conselheiro, que me disse que o CAU tem obrigação de defender a sociedade, acho que é uma atribuição muito grande e seria até honrada se fosse possível, mas essa atribuição é do Ministério Publico, que o faz com maestria. Enfim, imaginava tudo diferente. Talvez seja por essas e outras que tenha o apelido de CAUS.

  34. O atendimento pelo telefone no Rio de Janeiro é abaixo de péssimo. Não atendem ao telefone, NUNCA.

  35. O serviço de atendimento pelo telefone no Rio de Janeiro é abaixo de péssimo. Não atendem ao telefone NUNCA.

    1. E você acha que são loucos de fazer algo do tipo? Já sabem a resposta.

    2. De fato, é o tipo de pesquisa que não precisam fazer. Seria dinheiro gasto a toa. Muito melhor usar o recurso para, quem sabe, impedir que tantas e tantas obras e serviços de arquitetura ocorram nas cidades sem que haja um profissional habilitado a frente dela. Fiscalização que é bom, nada. Mas se deixar de pagar o registro, rapidinho o arquiteto recebe uma notificação.

    3. Aqui em Brasilia é a coisa mais difícil de se ver é o CAU fazer uma reunião para os arquitetos pra explicar o que de fato ele faz. Porque eu não sei, cobrar taxas de anuidade e taxas de RRT qualquer órgão que tenha dois funcionários e um gerente pode fazer sem problemas. Devemos nos unir e pedir a extinção desse órgão.

      1. Jakson, informamos que o CAU/BR promove diversas ações objetivando a valorização da Arquitetura e do Urbanismo no Brasil, por meio de campanhas publicitárias, diálogo institucional com o Governo Federal e Congresso Nacional, eventos nacionais e agora também ações de apoio à Assistência Técnica para Habitação de Interesse Social.

        O Código de Ética, a Tabela de Honorários, Resolução sobre Atribuições Privativas dos Arquitetos e Urbanistas e Resolução de Direitos Autorais também são ações que visam valorizar a profissão e estabelecer as regulações básicas que se referem a Arquitetura e Urbanismo.

        Saiba mais em http://www.caubr.gov.br/cartadeservicos

        Para conhecer os benefícios que o CAU/BR e os CAU/UF oferecem aos arquitetos, por favor acesse http://www.caubr.gov.br/beneficios

  36. Participei da pesquisa enviada hoje e gostaria de ressaltar a comunicação do SICAU somente através de email.
    No período anterior de 2017, acabei não participando de votação especifica e fui penalizado por isso com multa.
    Sugiro utilizarem também os correios ou criarem outro canal de comunicação direta, pois recebo um volume muito grande de email´s e acabo não acessando diariamente, perdendo prazos como este da ultima votação. Nossa anuidade de Arquiteto/Urbanista justifica uma melhor comunicação com os profissionais.

    saudações,

    Luiz Jamil Akel

Os comentários estão desabilitados.

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CAU/BR

NOTA DE ESCLARECIMENTO

CAU/BR

CAU/BR aponta protagonismo feminino na arquitetura e urbanismo durante 98º ENIC

CAU/BR

Comissões do CAU/BR debatem temas de interesse dos arquitetos e urbanistas

CAU/BR

CAU/BR celebra uma década dos primeiros empregados públicos efetivos

Pular para o conteúdo