RECENTES

Brasília: 27 anos de tombamento como Patrimônio da Humanidade

 

 

No dia 07 de dezembro de 1987, a capital federal recebia o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, concedido pela Unesco – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Brasília foi a primeira cidade do século XX a receber o tombamento.

 

Para refletir sobre a preservação do conjunto urbanístico e arquitetônico da nova capital nesses 27 anos, o telejornal Bom Dia DF, da TV Globo, levou ao ar no dia 01/12/2014 uma reportagem especial sobre o assunto. Foram utilizados trechos de matérias feitas à época e de entrevistas com os arquitetos e urbanistas Lúcio Costa e Oscar Niemeyer. Em gravação feita no ano do tombamento, Costa atribuiu o pioneirismo da cidade à iniciativa e liberdade de criação concedidas pelo ex-presidente Juscelino Kubitschek e por Israel Pinheiro, que coordenou a construção da capital. Já Niemeyer, em entrevista de 1997, reclama das alterações de gabarito feitas por especulação imobiliária e que desconfiguravam a ideia original de Brasília.

 

A matéria conta ainda com uma análise atual do arquiteto e urbanista Frederico Flósculo, professor da Universidade de Brasília (UnB),sobre os desrespeitos ao tombamento na região do Plano Piloto.

 

CLIQUE AQUI e assista à reportagem completa.

 

 

Publicado em 02/12/2014

 

5 respostas

  1. Me sinto bem em Brasília…
    Não porque a cidade pareça estar à frente do resto do país em civilidade, respeito ao zoneamento urbano e sua paisagem.
    Me sinto bem, só isso.
    Me sinto bem ao andar, dirigir, fazer compras, respirar… isso já basta para fazer valer a inspiração de Lúcio Costa.
    Não é a cidade quem segrega. Somos nós.
    Quem joga parte da população mais pobre para os “Sobradinhos” e a classe média para as “Águas Claras” é o dinheiro, não a concepção urbanística. Essa já previa diversos extratos sociais vivendo ainda dentro das asas.
    Resumindo: não precisamos ser socialmente míopes, abrir mão de convicções sociais, para valorizar um trabalho bem feito.

  2. Às vezes é estranho ouvir certos colegas falarem que Brasília é uma vergonha e que é a cara do Brasil. Óbvio que a cidade e o país têm problemas, assim como o restante do mundo, não sei se em outro planeta ou galáctia, com outra raça que não a humana, as questões que enfrentamos na Terra já tenham sido resolvidas. Esses nossos colegas parecem comungar da ideia de existência do paraíso cristão, e aí querem sua concretude aqui e agora. Como assim pensavam os modernistas: arquitetura resolvendo problemas sociais, que ilusão!
    Cada país, cidade ou lugar, meus caros, representa a sociedade que ali habita. Se queremos – e todas as pessoas de bem querem – um país diferente, mais justo, igualitário e belo, temos que construí-lo e isso exige exercitar a cidadania na sua mais plena tradução. Não é só cumprir os direitos políticos, mas trabalhar valores sociais e culturais e isso exige o esforço de gerações!!
    Brasília é o que é: uma cidade com qualidades e defeitos como qualquer outra do planeta Terra, pois a sociedade humana é assim. A cidade não é pior ou melhor que qualquer outra. Óbvio que aqui, em boa parte dos seus espaços, temos uma paisagem urbana e arquitetônica de boa qualidade.
    E aí, colegas, lembrem do conceito de Milton Santos: espaço não é paisagem – nós, arquitetos e urbanistas, não podemos confundir!

  3. Caríssimos colegas,
    Muito oportuna e louvável a lembrança desse reconhecimento de Brasília pela Unesco, feito que tem sido motivo de júbilo para o urbanismo e a arquitetura brasileira, e também de empecilho para uma série de intervenções desastrosas na cidade, as quais temos a responsabilidade institucional de enfrentar. Em outras palavras, além do seu valor intrínseco, esse título tem nos amparado em muitas questões contenciosas e merece ser comemorado. Só peço aos colegas que façam uma pequena e inadiável correção: na verdade o dia em que o Comitê do Patrimônio Mundial homologou a inscrição foi 11 de dezembro de 1987, portanto 11 de dezembro é a data reconhecida e comemorada como da inscrição. E não 7 de dezembro, como os colegas marcaram.
    Grato, Carlos Madson Reis, Superintendente do Iphan/DF

  4. Brasília é a cara do nosso país : uma vergonha sem tamano! Quem passa por aqui não consegue imaginar a quantidade de problemas que apresenta. Uma cidade modelo daquilo que não se deve planejar,pensada para os mais favorecidos.

  5. Brasília é a capital perfeita para o país. É grande, desigual e com sérios problemas de infraestrutura.
    É tempo de botar nossos urbanistas para pensar em como aprimorar e “atualizar” a Capital Federal, sem descaracterizar o projeto original. Se isso não for feito, logo o Plano Piloto se tornará uma ilha ocupada apenas por especuladores e ocupantes de cargos que recebem auxílio moradia.

Os comentários estão desabilitados.

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

RECENTES

Terceira edição da Revista Urbanidade apresenta desafios e soluções

RECENTES

CAU/SP recebe doação de acervo do arquiteto Miguel Alves Pereira

RECENTES

Edital de consulta pública de solução BIM para automação de projetos de edificações em Minas Gerais

RECENTES

Cadastrados no CAU terão descontos na inscrição da sexta edição do Seminário Internacional A ERA BIM, evento que acontecerá em São Paulo

Pular para o conteúdo