Acessibilidade

Campanha Mais Arquitetos 2022 mostra que Arquitetura e Urbanismo é acessível a todos

Desmistificar o estereótipo de que o trabalho do arquiteto e da arquiteta é caro ou se restringe às obras monumentais, além de ampliar a visão da sociedade quanto aos benefícios que a profissão gera para o indivíduo e para a coletividade, são os objetivos da campanha “Mais Arquitetos 2022”.

 

Arquitetura e Urbanismo não é luxo. É a chave para qualidade de vida em casa e na cidade. Arquitetura e Urbanismo pode melhorar sua saúde, sua rotina, e até mesmo as relações com sua comunidade. Arquitetura e Urbanismo é assim um instrumento de transformação de interesse geral.  E é acessível para todos e todas. “Não importa o tamanho de sua obra, contrate profissionais de arquitetura e urbanismo”, dizem as peças publicitárias.

 

 
Um dos cinco “cards” a serem postados nas redes sociais durante a campanha

 

Iniciada neste 4 de julho, a nova campanha de valorização profissional promovida se prolongará até o final de novembro. Promovida pelo CAU Brasil, a campanha é assinada apenas como CAU, dado ao entendimento de que o Conselho é um só em todo país.

 

O público alvo é a população em geral, com uma ênfase maior, durante o mês de setembro, nos gestores públicos. 

 

São cinco os temas a serem explorados:

  • ACESSIBILIDADE E RESPEITO: o profissional de Arquitetura e Urbanismo como agente da melhoria da acessibilidade nas ruas e nos prédios e no planejamento de espaços que proporcionem segurança para mulheres, pessoas com deficiência, crianças e idosos, bem como possibilitem conciliar convivência social com equidade de gênero e raça
  • SUSTENTABILIDADE: a contribuição do e da arquiteta e urbanista na mitigação e adaptação às mudanças climáticas, desde o planejamento de construções com eficiência energética e com uso de materiais de baixas emissões de carbono, até o planejamento de cidades resilientes e verdes
  • SAÚDE: como o trabalho do arquiteto ou da arquiteta e urbanista, tanto na concepção de moradias, escolas e outros edifícios com segurança, conforto, boa ventilação e iluminação natural, assim no planejamento de cidades saudáveis, repercute diretamente na saúde da população, como ficou evidenciado no auge da pandemia da Covid 19
  • QUALIDADE DE VIDA: os profissionais de Arquitetura e Urbanismo são formados para proporcionar melhores condições de vida para todos e todas, com a inclusão e o desenvolvimento socioterritorial
  • IGUALDADE SOCIAL: o protagonismo do profissional de Arquitetura e Urbanismo na implementação de moradias dignas para a população de baixa renda, em especial projetos de Assistência Técnica Pública e Gratuita em Habitações de Interesse Social (ATHIS), já enfatizada na campanha de 2021

 

Bio de Lorena Eltz,  influenciadora participante da campanha

 

As ações envolvem:

  • Hotsite www.caubr.gov.br/maisarquitetos
  • Depoimentos de influenciadoras digitais (Ana Paula Xongani, Jaqueline Goes, Lorena Eltz, Mõnica Benini e Verônica Oliveira-Faxina Boa) publicados simultaneamente (com o uso da ferramenta “collab”) em seus perfis e nas mídias sociais do CAU Brasil e, logo em seguida, replicados nas plataformas  dos CAU dos Estados e do DF. Juntos,  os perfis delas contam com mais de 1.800.000 de seguidores. As postagens terão início na primeira semana de julho. 
  • Postagens sobre os temas da campanha patrocinadas nas redes sociais do CAU Brasil  e compartilhados pelos CAU dos Estados e do DF, pelo IAB (Instituto de Arquitetos do Brasil), pela FNA (Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas), pela AsBEA (Associação Brasileira de Escritórios de Arquitetura) e pela FeNEA (Federação Nacional dos Estudantes de Arquitetura e Urbanismo)
  • Entrevistas temáticas em áudio e vído para o “podcast” Mais Arquitetura do CAU Brasil, e para a TV CAU , conduzidas por conselheiros federais com especialistas convidados de diversas áreas de conhecimento e estudantes de Arquitetura e Urbanismo das cinco regiões do país. A produção contou com a colaboração da  FeNEA As datas de publicação serão divulgadas em breve. Veja mais detalhes abaixo. 
  • Uma série de narrativas (“storytelling”) em áudio sobre histórias que mostram o trabalho dos arquitetos e das arquitetas nos temas da campanha. Esta ação encerrará a campanha em novembro. 
  • Publicidade em revistas e jornais

 

Em setembro, as postagens nas redes sociais serão direcionadas em grande volume e com alta frequência para 30 cidades de todo país, de maneira a que a informação circule entre gestores e funcionários públicos. Na sequência, eles serão visitados por representantes do CAU de cada Estado ou do Distrito Federal, para discutirem a implementação ou ampliação do uso da Lei da ATHIS e outras ações do campo da Arquitetura e Urbanismo.

 

“Com esta campanha, o CAU Brasil dá continuidade às contribuições para a valorização profissional e a ampliação do conhecimento coletivo dos benefícios proporcionados às pessoas quando a Arquitetura e Urbanismo é chamada a atuar”, resume a presidente do CAU Brasil, Nadia Somekh. 

 

ENTREVISTAS TEMÁTICAS

São cinco as entrevistas temáticas foram gravadas em estúdio em São Paulo apropriado para podcasts. As datas de postagens no podcast Mais Arquitetura, disponível no Spotify e outras plataformas, e no canal do CAU Brasil no Youtube,  serão divulgadas em breve.

 

Eis os temas e participantes:

 

1º TEMA: COMO ARQUITETOS E URBANISTAS PODEM AJUDAR NA REDUÇÃO DA DESIGUALDADE SOCIAL?

Mediação:

  • Conselheiro federal Ricardo Soares Mascarello, representante do Sergipe,  coordenador da Comissão de Política Urbana e Ambiental. Graduado em Arquitetura e Urbanismo,

Convidados:

  • Ester Carro: arquiteta e urbanista, de São Paulo,  presidente do Fazendinhando, movimento de transformação territorial, cultural e social que atua na comunidade de Paraisópolis, São Paulo
  • Aquiles Miguel Alves Lima: estudante de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). Extensão relacionada ao estudo de Comunidades Populares, Favelas, Autoconstrução e Eliminação da Pobreza

 

Ricardo Mascarello, Aquiles Miguel Alves Lima e Ester Carro

 

 

2º Tema: POR QUE ARQUITETOS E URBANISTAS PRECISAM REPENSAR O PLANETA?

Mediação: conselheira federal Sonia Lopes da Silva, suplente pelo Rio de Janeiro. 

Convidados:

  • Clara de Queiroz: arquiteta e urbanista, especializada em Sustentabilidade e Mudanças Climáticas
  • Zaquarias Ferreira: estudante de Arquitetura e Urbanismo da FIAM, São Paulo

 

Zaquarias Ferreira, Sonia Lopes e Clara de Queiroz

 

3º  Tema: ARQUITETURA E URBANISMO ALIADA À SAÚDE DA POPULAÇÃO

Mediação: conselheira federal Camila Leal, representante da Paraíba.

Convidados:

  • Jaqueline Goes de Jesus: biomédica, coordenou a equipe responsável pelo sequenciamento do genoma do SARS-CoV-2 apenas 48 horas após a confirmação do primeiro caso de COVID-19 no Brasil
  • Brunna Barcelos: estudante de Arquitetura e Urbanismo, da Faculdade Multivix, de Vitória, Espírito Santo

 

Brunna Barcelos, Camila Leal e Jaqueline Goes de Jesus

 

4º Tema: ARQUITETURA, MULHERES, AS CIDADE E OS NEGÓCIOS

Mediação: conselheira federal e primeira vice-presidente Daniela Sarmento, representante de Santa Catarina

Convidados:

  • Flávia Durante: Comunicadora, DJ, empresária, professora e ativista. Desde 2012 ela produz em São Paulo o Pop Plus, a maior feira de moda e cultura “plus size” da América Latina. 
  • Flávia Moldo Domingos: estudante de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Maringá, Paraná

 

Flávia Durante, Daniela Sarmento e Flávia Moldo Domingos

 

5º Tema: ARQUITETURA INCLUSIVA. PRECISAMOS FALAR MAIS SOBRE O ASSUNTO

Mediação: conselheira federal Maira Rocha, pelo Rio de Janeiro

Convidados:

  • Lorena Eltz: é influenciadora digital e porta-voz de uma geração de jovens que lutam por acessibilidade no Brasil
  • Kamila do Rocio Conegundes: estudante de Arquitetura e Urbanismo da Universidade do Estado de Santa Catarina

 

Kamila Conegundes, Maira Rocha e Lorena Eltz

 

 

Banner para sites do CAU Brasil e dos CAU/UFs

 

 

 

6 respostas

  1. Eu acho que ~´e chover no molhado fazer campanha para arquitetos. tá bonita, mas ela tem que ir pra tv, pro onibus , pro rádio. pro banner do youtube, pro instagram, pra pessoas que não sebem o que é arquitetura e não acham acessível.
    Vender arquitetura como produto de primeira necessidade. No horário nobre da TV.
    falar pras pessoas, e não pra arquitetos.
    Para os 92% que segundo o CAU não consomem arquitetura.
    isso sim é algo necessário. Fazer campanha juntando arquiteo pra falar de arquitetura não é util.
    Espero que essa seja a meta dessa campanha.

    1. Concordo plenamente Carla, a campanha tem que ir ao consumidor, nos veículos de comunicações que vc apontou, ficar circulando em grupo fechado (somente arquitetos) não vai alcançar o resultado esperado, acrescento que o tema deveria ser voltado para aquilo que aprendemos na faculdade, a projeção de espaço, com conforto e satisfação para os nossos clientes. Com relação à pesquisa que apontou 92% não consomem arquitetura isso já serve de parâmetro para gerir os dados pós-campanha e não achar que aumento de 3% na emissão de RRT é comemorável, considerando que não levou em conta a emissão de novos registros.

  2. INFELIZMENTE AINDA TEMOS RESQUICIO VERBAIS DE UM GORVENO ANTERIOR QUE APROXIMA A NOSSA PROVISSÃO A ESCANDALOS E OBRAS FARAÔNICAS SEM FINALIZAÇÃO, NÃO DEIXANDO DINHEIRO PUBLICO DISPONÍVEL PARA AS OBRAS SOCIAIS…
    SOLICITO QUE SEJA REPENSADO O USO DO TERMO “MAIS”…
    UMA VERGONHA PARA A CATEGORIA…

  3. Boa tarde como nos podemos partilhas essas noticias? tem o padrão da arte para abaixar e colocar no feed?
    do instagram
    Obrigado
    Claudio Ferreira
    Arquiteto e Urbanista

  4. Família Quilombo, uma família preta de São Paulo, fez um vídeo excelente falando da importância de de contratar um arquiteto…
    Acho que seria uma boa vitrine para difundir a a profissão, afinal, também existem arquitet@s pret@s que projetam para pret@s…

    https://youtu.be/mqeBXDQ3uJ0
    (A partir de 6:05)

  5. Acho que a campanha precisa ter mais representatividade na sociedade. Vamos falar sinceramente; quais são os serviços de arquitetura que custam barato? Acho que a única coisa que poderia ser disponibilizada para todos seria a consultoria e aconselhamento nas construções. Mas esse aconselhamento não envolveria responsabilidade técnica e sim uma simples orientação. Qualquer outro aprofundamento em arquitetura ou construção civil, fica caro e nem todos podem pagar, na verdade quase ninguém possui um nível econômico para sustentar a contratação de um profissional de arquitetura. O profissional de arquitetura difere bastante do da engenharia pois o arquiteto agrega as suas habilidades artísticas, passando a ser um produtor de arte, mais do que um simples construtor. O profissional de arquitetura além de reunir todo o conhecimento da engenharia ainda possui o conhecimento e a habilidade da arte, ou seja, ele é, além de um engenheiro, um artista. É muito bom ter um conselheiro artista da construção para executar a obra de sua casa ou a reforma ou ampliação, etc. A cultura, em geral de quem quer construir é de arranjar um empreiteiro e comprar material de construção. Desperdícios, aborrecimentos constantes, gastos desnecessários e situações inesperadas são os resultados que vem neste pacote, além da ilegalidade. Para fazer qualquer casa, qualquer construtor serve, como também qualquer porcaria. Para fazer uma moradia de estilo com a estampa da arte e do bom gosto e a valorização do seu empreendimento, legal e do seu orgulho de ter investido em algo que lhe proporciona a plena satisfação, sabendo que não foi enganado pelas armadilhas construtivas, só contratando o arquiteto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ARQUITETURA SOCIAL

Representantes do CAU Brasil e do CEAU se reúnem com Secretário Nacional de Habitação

PATRIMÔNIO HISTÓRICO

Presidente do IPHAN e diretor de Patrimônio Material visitam sede do CAU Brasil

ARQUITETURA SOCIAL

CAU Brasil apresenta projetos de ATHIS ao Ministério do Desenvolvimento Regional

CAU/BR

CAU Brasil lança política de benefícios para aquisição de softwares e outros bens e serviços

Skip to content