ABEA

CAU/BR participará de programa do MEC para supervisão de cursos

O CAU/BR foi convidado pelo Ministério da Educação para participar do Programa Nacional de Supervisão dos cursos superiores na área de Arquitetura e Urbanismo.
  
O convite, aceito, foi feito pelo ministro Rossieli Soares da Silva em audiência no dia 9 de maio com a comitiva do Conselho, encabeçada pelo presidente, Luciano Guimarães. O programa, a ser lançado oficialmente em breve, segundo Henrique Sartori, titular da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (SERES), deverá envolver três aspectos: o ensino a distância, diplomas irregulares e atos institucionais. 
 
Geraldine Júnior, Luciano Guimarães, Henrique Sartori, ministro Rossieli Soares da Silva e Jean Faria
  
Outro resultado da reunião foi o agendamento de um encontro de trabalho entre os membros da Diretoria de Regulação da Educação Superior (DIREG) e da Comissão de Ensino e Formação (CEF) do CAU/BR para troca de informações sobre a visão de ambos lados a respeito do ensino da Arquitetura e Urbanismo no país. 
  
Participaram da audiência a coordenadora da Comissão de Ensino e Formação do CAU/BR, Andrea Vilella; o presidente do CAU/SP, José Roberto Geraldine Júnior, coordenador da Comissão de Ensino e Formação do CAU/BR na gestão passada; o presidente e a vice-presidente do CAU/AM, respectivamente Jean Faria dos Santos e Meglen Cristina Valau da Silva; Luciana Rubino, chefe da Assessoria de Relações Institucionais e Parlamentares do CAU/BR e Paul Beyer, analista da Comissão de Ensino e Formação do CAU/BR.
 
 
Geraldine Júnior, Luciano Guimarães, Henrique Sartori, ministro Rossieli Soares da Silva, Paul Beyer, Jean Faria e Meglen Cristina Valau da Silva 
 
 
O ministro e o secretário receberam propostas para suspensão da oferta de cursos de graduação em Arquitetura e Urbanismo, considerando a oferta de vagas atual por todo o território nacional, e para a revisão das diretrizes curriculares nacionais, para atualização da formação, como já sugerido nos anos anteriores pelo CAU/BR e pela ABEA.
 
 Luciano Guimarães manifestou ao ministro a preocupação do CAU/BR com a qualidade do ensino atual em razão da rápida expansão e o aumento dos cursos, que dobraram em número nos últimos cinco anos. Hoje existem 155 mil arquitetos e urbanistas registrados, número que cresce a um ritmo de 15 mil profissionais ao ano. Enquanto isso, estão autorizadas 180 mil vagas anuais para Arquitetura e Urbanismo, sendo mais de 70 mil delas na modalidade a distância. 
 
 Em relação ao ensino a distância, o presidente do CAU/BR ressaltou que o espaço físico adequado é parte do processo de ensino e favorece o aprendizado na área. O Conselho se dispõe a participar de um amplo debate público sobre o tema.   
 
 
Geraldine Júnior, presidente do CAU/SP; Luciano Guimarães, presidente do CAU/BR; Rossieli Soares da Silva, ministro da Educação; Andrea Villela, coordenadora da CEF-CAU/BR e o analista Paul Beyer
 
 
O CAU/BR colocou à disposição do MEC o IGEO (Sistema de Inteligência Geográfica) que poderia ser usado, por exemplo, na análise da abertura de novos cursos com base em uma distribuição territorial planejada. Por meio do IGEO é possível mapear todas as instituições existentes, número de alunos cursando a área, número de egressos e os locais onde eles passaram a atuar.  
 
 
Apresentação do IGEO durante a audiência

 

Durante o encontro, Andrea Vilella e Geraldine Júnior ressaltaram também a preocupação com a grande redução de carga horária em sala de aula.  No que diz respeito aos diplomas falsos, o ministro foi informado de que o CAU já recebeu 37 solicitações de registro com documentos falsos, sendo 16 apenas no Estado de São Paulo, tendo havido inclusive o caso de um coordenador de curso que teve o registro cassado pelo Conselho paulista.  

 

Os temas acima são objeto de Carta pela Qualidade do Ensino de Arquitetura e Urbanismo assinada pelos  presidentes dos CAU/UF.

  
Também na reunião foi solicitada ao secretário Henrique Sartori agilização nas demandas encaminhadas sobre o reconhecimento de cursos de instituições que mantém mais de um curso em um mesmo município, através de nota técnica da SERES, para orientar a Comissão de Ensino e Formação do CAU e permitir o registro dos egressos nos termos da legislação em vigor.

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CAU/BR

NOTA DE ESCLARECIMENTO

CAU/BR

CAU/BR aponta protagonismo feminino na arquitetura e urbanismo durante 98º ENIC

CAU/BR

Comissões do CAU/BR debatem temas de interesse dos arquitetos e urbanistas

CAU/BR

CAU/BR celebra uma década dos primeiros empregados públicos efetivos

Pular para o conteúdo