CAU/BR

CAU reafirma a importância do arquiteto e urbanista na Segurança do Trabalho

 

O I Seminário de Segurança do Trabalho, promovido pelo CAU/BR em parceria com o CAU/RO, nos dias 3 e 4 de fevereiro, aprovou dois importantes encaminhamentos: defesa do curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho na modalidade presencial, com carga horária de 620 horas, e a atuação integrada das entidades que participaram do evento, com o compartilhamento de conhecimentos específicos. A Lei 7.410/1985 determina que essa especialização pode ser realizada, exclusivamente, por arquitetos e urbanistas e engenheiros.

 

A mesa de abertura do seminário foi composta pela coordenadora da Comissão de Política Profissional (CPP) do CAU/BR, Josemée Gomes de Lima (AL); pelo arquiteto e urbanista e gerente técnico e de fiscalização do CAU/RO, Max Queinon Batista de Sousa; pelo consultor em especializações do IPOG em Porto Velho, Fábio Batista; pelo representante da Associação Nacional de Engenharia de Segurança do Trabalho (ANEST), engenheiro civil Eudes de Souza Fróes, e pelo engenheiro agrônomo e de Segurança do Trabalho Allan Robert Ramalho Morais.

 

 

A conselheira federal Josemée Gomes de Lima destacou que um dos projetos da CPP-CAU/BR para 2020 é disseminar a Segurança do Trabalho na sociedade e valorizar o arquiteto e urbanista com especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho. “Precisamos perceber que esse é um grande nicho profissional, valorizarmos o arquiteto e urbanista com especialização em Engenharia de Segurança no Trabalho e mostrar para a sociedade a importância dessa área para a vida, que é o bem maior”, afirmou a conselheira.

 

Max Queinon Batista de Sousa, arquiteto e urbanista e gerente técnico e de fiscalização do CAU/RO; Fábio Batista, consultor em especializações do IPOG em Porto Velho; Josemée Gomes de Lima, coordenadora da Comissão de Política Profissional (CPP) do CAU/BR; Eudes de Souza Fróes, representante da Associação Nacional de Engenharia de Segurança do Trabalho (ANEST), e Allan Robert Ramalho Morais, engenheiro agrônomo e de Segurança do Trabalho.

 

O coordenador da Comissão de Ética e Disciplina do CAU/BR, Guivaldo D’Alexandria Batista (BA), que também participou do seminário, abordou os valores éticos na prática da Segurança do Trabalho. Para ele, tudo é uma questão de atitude profissional, pois o engenheiro de Segurança do Trabalho é um ser ético.

 

O ex-presidente do CREA/RO, engenheiro civil e de Segurança do Trabalho, Nélio Alzenir Afonso Alencar, destacou o amplo campo de atuação para arquitetos e urbanistas e engenheiros da Segurança do Trabalho, e que estes devem priorizar a vida do trabalhador no exercício profissional. Para o representante do CAU/RO, Max de Sousa, a iniciativa do CAU/BR de levar para Rondônia este debate, de grande relevância, foi fundamental para os profissionais da área e a sociedade.

 

Da esquerda para a direita: O assessor da Comissão de Política Profissional (CPP) do CAU/BR, Jorge Moura; a conselheira Josemée Gomes de Lima (coordenadora da CPP-CAU/BR, AL); o conselheiro Eduardo Fajardo Soares (MG); e o conselheiro Emerson do Nascimento (coordenador-adjunto, MA).

 

O representante do IPOG, instituição que sediou o evento, ressaltou a qualidade dos cursos de especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho, fundamental para a formação. Já o engenheiro agrônomo e de Segurança do Trabalho, Allan Robert Ramalho Morais, que representou o secretário de Saúde do Estado de Rondônia, Fernando Rodrigues Máximo, apresentou um histórico da Segurança do Trabalho no Brasil e o quanto ainda é preciso avançar na área.

 

A segurança nas edificações e os processos de aprovação de projetos de incêndio, tendo como foco a Lei 13.425/2027, que estabelece diretrizes gerais sobre medidas de prevenção e combate a incêndio e a desastres em estabelecimentos, edificações e áreas de reunião de público, foi o tema da palestra do subcomandante do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia (CBMRO), coronel Gilvanir Gregório de Lima.

 

Exposição de itens de Engenharia de Segurança do Trabalho durante o Seminário

 

No dia 4, último dia do evento, os participantes conheceram, na prática, como se desenvolvem os instrumentos para a prevenção e eliminação de riscos no trabalho na Usina de Santo Antônio/Furnas (RO). Ficou a cargo da engenheira e especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho e analista socioambiental da Usina, Betânia Barcelar, apresentar as boas práticas adotadas pela empresa.

 

A Usina Santo Antônio é referência em segurança do trabalho e por isso foi escolhida para a visita técnica do seminário. No local também foi realizada uma exposição de materiais de segurança.

4 respostas

  1. Gostaria de saber a opinião dos colegas é Impressão minha ou a gente é protelado no Mercado de Trabalho! Na maioria das vezes é pedido especificamente Engenheiro de segurança com diploma de Engenheiro Civil ou outras…

  2. O profissional Especializado em Engenharia de Segurança do Trabalho é aquele cuja graduação ocorreu em alguma Engenharia ou em Arquitetura e Urbanismo, estes e somente estes.

  3. Tenho recebido RRT como documento substituindo a ART em documentações de segurança (PPRA, PGR, etc). Esse documento pode ser utilizado para esses fins? Isso é correto ou o Arquiteto/Urbanista deveria emitir ART da sua atividade de engenheiro de segurança?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CAU/BR

CAU/BR aponta protagonismo feminino na arquitetura e urbanismo durante 98º ENIC

CAU/BR

Comissões do CAU/BR debatem temas de interesse dos arquitetos e urbanistas

ÉTICA E DISCIPLINA

CAU/BR promove treinamento técnico para membros da Comissão de Ética e Disciplina

CAU/BR

CAU/BR celebra uma década dos primeiros empregados públicos efetivos

Pular para o conteúdo