CAU/UF

CAU/BA denuncia professor que se passava por arquiteto

Um falso professor de Arquitetura e Urbanismo que atuava na Bahia foi denunciado pelo CAU/BA. Ele apresentou a uma faculdade de Vitória da Conquista um diploma falso e um falso atestado de registro no conselho para conseguir o emprego. Mais de um ano depois, a coordenadora de ensino suspeitou do professor e fez uma verificação junto ao CAU/BA, que atestou a fraude e apresentou representação criminal junto à Policia Federal.

 

A representação acusava o professor dos crimes de falsa identidade (art. 307 do Código Penal), falso material (art. 297), falsidade ideológica (art. 299), estelionato (art. 171) e uso de documento falso (art. 304). Imediatamente após a denúncia, o professor foi conduzido à Delegacia Regional da PF, onde confessou a falsificação de documentos. A faculdade o demitiu no mesmo dia.

 

O presidente do CAU/BA, Guivaldo Baptista, destaca a importância da colaboração entre o conselho, a faculdade e a Polícia Federal para a rápida solução do caso. “Não precisamos sequer nos locomover para Vitória da Conquista e desembolsar passagens e diárias, zelando, assim, pela coisa pública. É o exercício da fiscalização inteligente”, afirma.

 

O CAU/BA continua em contato com a direção da faculdade de Vitória da Conquista para repor as aulas ministradas pelo falso arquiteto. Em todo o Brasil, os CAU/UF têm fiscalizado e denunciado dezenas de casos de exercício ilegal da profissão. Veja aqui.

 

Publicado em 04/05/2017

44 respostas

  1. .
    “Mais de um ano depois, a coordenadora de ensino suspeitou do professor e fez uma verificação junto ao CAU/BA…”
    .
    É PA CA BÁ HEIN !!!! Essa verificação não poderia ter sido feita antes da contratação ??????????????????????
    .
    Fica a pergunta…

    1. tb penso da mesma forma, antes da contratação a verificação no CAU e entre outras instituições como CAPES, e demais!

    2. É evidente que sim.
      Esta confirmação teria que ter sido feita na hora da contratação.
      A escola, no mínimo, teria que ter pedido o Diploma correspondente.
      Vai ver a própria escola é conivente e acertou um preço menor por aula. Negociata.
      A Escola, mais do que o “suspeito” teria que ser condenada.
      Faz isto é esta enxurrada de instituição de ensino, até a distância.
      Arquitetura à distância ?
      Não consigo entender isto.
      CAU, dá licença.
      Tem um monte de coisas pra fazer e que não precisam de denúncia. Pelo menos nestas, poderiam estar atuando.
      Denúncia é para fatos que são feitos na surdina, na calada da Noite. Esta aí em cima são “escancaradas”.
      Vamos trabalhar, vamos ?

  2. Conheço um arquiteto aqui em Belo Horizonte que não possui nem metade dos titulos que ele afirma ter.

    1. O problema desta denúncia, CAU-BR, é que nem sempre temos acesso aos documentos solicitados para a denúncia. Existe outra forma de denunciar sem a obrigatoriedade de tantos dados, como endereço e CPF?

  3. Como ficam seus alunos? As aulas que ele deu serão válidadas, serão anuladas ou qualquer coisa assim? A faculdade é responsável pois como disse o Gilberto Taccolini ela deveria ter feito a verificação antes da contratação!

    1. Paulo, o CAU/BA continua em contato com a direção da faculdade de Vitória da Conquista para repor as aulas ministradas pelo falso arquiteto.

  4. Depois que as coisas ruins acontecem, fica muito fácil criticar! Ninguém pode julgar o outro, desconhecendo as circunstâncias, sem saber das agravantes e das atenuantes.

  5. Sou da turma que ele foi professor e por um tempo até coordenador! Su recém formada em arquitetura e estou cursando design de interiores, cuso no wual ele também ministrava aulas! Por sorte aproveitei todas as matérias que ele deu!! O caso ta pegando fogo aqui!

  6. Ok, concordamos sobre o exercício ilegal da profissão… Mas o CAU só funciona a partir de denúncias? Só se interessa pelos itens arrecadatórios, tal como o antigo conselho, do qual penamos para sair mas que ironicamente mantemos a mesma estrutura? Que tal ser maios propositivo, principalmente com os jovens profissionais e com os estudantes?

    1. Concordo plenamente a principal funcão desse orgao como o anterior e pegar a nossa anuiudade, e aumentar o valor da rrt ano apos anos, ja atuação em favo da nossa classe vejo muito pouco quase nada!

  7. E quanto aos arquitetos que ensinam moradores a desenhar e construir suas próprias casas? Não é ilegal?

    1. Se a autarquia se recusa a responder uma pergunta simples como essa, ao que parece concorda com esse tipo de ação.

  8. Esse o exemplo da nossa qualidade do ensino superior, que não exige curso de preparo para à docência de Ensino Superior e amiúde contrata-se a dedo, por indicação ou amizade, professores amadores para graduar profissionais arquitetos e ainda flagra um falso profissional, um pilantra ministrando aulas por um periodo de dois semestres. Professores sem qualificação proliferam por todo canto neste degradado meio. Um ano para ser descoberto? Por qual assídua constatação? Em qual matéria ministrava aula? A cada dia, em todo lugar constatamos falcatruas por mera negligencia dos responsáveis em seguir os mínimos requisitos e parámetros de diligencia contratual.

  9. Isso não só acontece em Conquista. Em nossa região por exemplo, ( Eunápolis e Porto Seguro), é frequente e comum, inclusive o fiscal do Crea, tem conhecimento dessas pessoas e não faz nada. Os alunos que se formam no IFBA, fazendo curso técnico em edificações no período de 2 anos, disputam a mesma vaga no mercado se apresentando como Arquiteto e ou Engenheiro ao cliente e esse cliente sem conhecimento da formação de cada um, o contrata sem saber que existe uma diferença grande entre uma pessoa que fez a Universidade em 5 anos e outra que fez um curso técnico de apenas 2 anos. Um absurdo mas é comum por aqui. Precisamos urgente de uma fiscalização.

  10. COMO DIZ O DITADO ANTES TARDE DO QUE NUNCA!!!
    AS VEZES TEMOS QUE RIR PRA NÃO CHORAR:/

    Aproveitando esse gancho…na minha região não temos fiscalização do CAU nas obras e sim do CREA. Já liguei várias vezes para o CAU do estado reclamando sobre essa questão, não concordo com isso, já que nós arquitetos temos o próprio conselho!!

    1. Michele Santin, também sou de SC e realmente a fiscalização aqui é muito deficitária por parte do CAU. Eu já fiz várias denuncias, afinal o que não falta aqui na região da Grande Florianópolis são obras irregulares, depois de 2 meses de várias denuncias, aparece um fiscal do CAU, que vai uma vez, notifica e nunca mais volta. O cidadão que resolve construir sem acompanhamento técnico termina a construção e nada mais lhe acontece, uma vergonha, da até desanimo de continuar denunciando obras irregulares, vejo pelo menos 3 todo dia que saio de casa. Um descaso, e ainda querem cobrar um absurdo de anuidade e beneficio para a classe, até hoje não vi nenhum.

  11. Esse tipo de fiscalização deveria se estender por todo o pais, acho muito ineficaz a fiscalização do cau, os caras tem a certeza dá impunidade que até postam em redes sócias projetos sem mesmo terem concluído a graduação, exemplo claro em minha cidade ‘Campina Grande- Pb. E não me venha o cau querer dizer que desconhecem tais fatos pois os mesmos curtem páginas dos órgãos fiscalizadores.

  12. muito reclamam de falta de fiscalização… talvez seja deficiencia em algumas regioes, pois por aqui, me parece ser atuante.

  13. Não me surpreendeu a notícia. A falta de fiscalização é crônica e permanente. Me digam o que é que funciona bem no Brasil do jeitinho e da corrupção ? Os Gilmar Mendes da vida, estão aí para garantir a impunidade.

  14. E quanto aos engenheiros desenvolverem atividades que são atribuições exclusivas de arquitetos? Gostaria de saber do CAU quando essa novela termina, pois não há campo de trabalho justo para arquitetos com uma anuidade e RRT’s tão caras!

  15. O que mais existem são desenhistas passando por arquiteto, uma vergonha, como tudo neste país.LAMENTÁVEL.

  16. As ações do CAU junto as Universidades, não me parece estar tendo resultados efetivos – Vejo estudantes que quando pisam pela 1ª vez na Universidade para cursar arquitetura – já colocam nas redes sociais e criam páginas como arquiteta e designer e por estarem desenvolvendo 3D repassam imagens que para o cliente leigo acreditam tratar-se de profissionais. Hoje o valor da ARQUITETURA está deturpado vendem apenas imagem e não conceito, planejamento, eficacia e etc. Desânimo total – Da forma que caminha o curso a distância caberá bem nessa nova era … não há preocupação alguma com FORMAÇÃO TÉCNICA, apenas visual. Bjs

  17. Colegas, outra situação que tem envergonhado a nossa classe a nível nacional é a existência de Arquitetos que concorrem com tremenda falta de ética, no quesito valor de projeto. O profissional ético apresenta um preço por m² e o anti-ético procura o seu cliente, cobrando valor bem abaixo. Inclusive, existem profissionais que pagam “motoboys” como captadores de projetos. Isso é a verdadeira “prostituição” da profissão, como se não bastasse a concorrência desleal dos desenhistas e assemelhados.

  18. Eu tenho mais de 30 anos de profissão e peguei uma fase onde o Conselho era o CREA…..BONS TEMPOS!!! havia fiscalização.
    quando tínhamos quaisquer dúvidas,éramos prontamente atendidos!
    Hoje no CAU,quando tento tirar alguma dúvida via fone…ninguém atende!!!ou se atende…não sabe de nada!!!
    Os funcionários de prefeituras deitam e rolam…pegando projetos” por fora” e por trás “” ferram “” os profissionais.
    Já está mais do que na hora desse pessoal levantar da cadeira e fazer alguma coisa pelos ARQUITETOS.
    Não adianta fazer onda e cair matando em cima de um ou outro arquiteto que tenta sobreviver…isso é atuar em escala minimalista.
    a verdade é que nunca vi este conselho bater de frente junto às Prefeituras para facilitar a vida dos arquitetos…que estão perdendo clientes pela arrogância desses funcionários públicos!!!
    Quer saber ??? Pra mim é tudo politicagem !!!

  19. Pra dizer que no geral é flagrante o descontentamento dos profissionais associados.
    Não estaria na hora de repensar a criação do CAU e desvinculamento do CREA ?
    Anuidades caras, valores de RRT altos, considerando as atitudes denunciadas.
    Onde estão consumindo estas receitas ?
    Deve ser nas sedes.
    Pelo menos aqui em Florianópolis-SC, é uma bela de uma sede, em um edifício muito conceituado e muito bem localizado.
    Não estou dizendo que não deveria ser assim mas, que seria por isto, falta de verba que não teem fiscais suficientes ?

  20. Novamente: E quanto aos arquitetos que ensinam moradores a desenhar e construir suas próprias casas? Não é ilegal? Aguardo resposta.

  21. E quando um professor arquiteto e urbanista tem prática de boicote infundado a orientandos e movimenta um “complô” contra eles, envolvendo todo o Colegiado de Arquitetura e Urbanismo – com provas dessa prática-, e a coordenação (também arquiteto e urbanista) acata a prática antiética e injustificada, resultando em um linchamento público, humilhante e injusto na banca final de alunos e por conseguinte sua reprovação no curso? É passivo de denúncia por prática ilegal (assédio moral e formação de quadrilha)?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

Fiscalização

Conferência valida diretrizes estratégicas da fiscalização da Arquitetura e Urbanismo

Fiscalização

CAU/BR realiza I Conferência Trienal de Fiscalização nos dias 27 e 28/03 

CAU/UF

Conselho de Arquitetura e Urbanismo do RN anuncia concurso público para níveis médio e superior

EXERCÍCIO PROFISSIONAL

FNDE vai contratar 21 arquitetos(as) e urbanistas para atuar em projetos educacionais

Pular para o conteúdo