CATEGORIA

CAU/BA emite Nota Pública contra novas políticas públicas de preservação

NOTA PÚBLICA

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo da Bahia – CAU/BA, em Reunião Plenária realizada em 14 de junho de 2016, manifestou a sua preocupação com os rumos das políticas públicas que envolvem as questões da preservação do patrimônio histórico e cultural existentes no Brasil.  Por pugnar pela valorização do Patrimônio Arquitetônico e em razão da Arquitetura representar materialmente a cultura e o conteúdo histórico da sociedade brasileira, vem, de público, manifestar sua indignação pelo processo de notório esvaziamento do IPHAN.

 

A preocupação do CAU/BA já cuidou de ser evidenciada em outras oportunidades, inclusive sinalizando o esvaziamento institucional do IPHAN, verificado pela desconstrução e desaparelhamento da estrutura, resultando no abandono do patrimônio nacional, a exemplo do que ocorre no Estado da Bahia, mais precisamente em Salvador, com mais de 1.500 imóveis do seu Centro Histórico em risco, conforme Denúncia apresentada por este Conselho junto à UNESCO.

 

Neste sentido, preocupa-nos a criação do organismo administrativo denominado Secretaria Especial do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, concebido de forma paralela à autarquia existente, sem atribuições definidas e delineadas objetivamente, de tal modo que se possa garantir a ausência de superposições institucionais. A indefinição das atribuições, funções e finalidades da secretaria proposta, ao nosso sentir, pode resultar no descumprimento da atividade em essência, qual seja, a preservação do patrimônio.

 

Sala do Plenário
Conselho de Arquitetura e Urbanismo da Bahia

 

FONTE: CAU/BA

 

Publicado em 17/06/2016

MAIS SOBRE: CATEGORIA

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CATEGORIA

Fórum de Presidentes do CAU/BR cumpre extensa pauta em Belo Horizonte (MG)

ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Central de Atendimento do CAU/BR não funcionará na Sexta-feira Santa

ACERVOS

Seminário TOPOS:  CAU/BR e FAU/UnB promovem debate sobre a importância de acervos e arquivos de urbanismo no país 

#MulherEspecialCAU

“Arquiteta, na solidão da sua profissão, seu nome pede valorização!”, defende Tainã Dorea

Pular para o conteúdo