CATEGORIA

CAU/BR assina primeiro Acordo Coletivo de Trabalho

 

Os presidente do CAU/BR, Haroldo Pinheiro, e do SINDECOF-DF, Douglas de Almeida, assinaram na última segunda-feira (14/12/2015), durante a 49ª Reunião Plenária Ordinária do Conselho, o primeiro Acordo Coletivo de Trabalho do CAU/BR. O documento e seus anexos são válidos para todos os empregados públicos do Conselho, sejam eles efetivos ou ocupantes de cargos de livre provimento e demissão, e vigoram retroativamente de 1º de janeiro de 2015 a 31 de dezembro de 2016.

 

 

O Acordo Coletivo de Trabalho 2015-2016 foi aprovado por unanimidade em Assembleia Sindical realizada em 11/12/2015. Estiveram presentes a maioria absoluta dos empregados públicos do CAU/BR (que são 85, no total). O instrumento foi protocolado no Ministério do Trabalho e Emprego no dia 15/12/2015, aniversário de quatro anos de fundação do CAU.

 

 

O documento histórico é fruto de negociações realizadas durante todo o ano de 2015 com a participação do SINDECOF-DF, do Comitê de Servidores, da Gerência Administrativa e da Gerência-Geral.

 

Clique aqui para acessar o Acordo Coletivo de Trabalho 2015-2016 e seus anexos.

 

MAIS SOBRE: CATEGORIA

Uma resposta

  1. Acordo coletivo bem elaborado, com reconhecimento e respeito aos servidores. Espero que a gestão continue assim, valorizando os seus empregados. Um servidor concursado do poder executivo, a exemplo Ministério da Saúde, recebe R$ 374,00 de auxílio alimentação. É lamentável isso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Central de Atendimento do CAU/BR não funcionará na Sexta-feira Santa

ACERVOS

Seminário TOPOS:  CAU/BR e FAU/UnB promovem debate sobre a importância de acervos e arquivos de urbanismo no país 

#MulherEspecialCAU

“Arquiteta, na solidão da sua profissão, seu nome pede valorização!”, defende Tainã Dorea

Assistência Técnica

Mais médicos/Mais arquitetos: mais saúde para o Brasil (artigo de Nadia Somekh no portal do Estadão)

Pular para o conteúdo