CAU/BR

Lei das Estatais: CAU/BR divulga Carta Aberta à Presidência da República

O CAU/BR publicou uma Carta Aberta à Presidência da República, pedindo que o presidente em exercício Michel Temer vete os pontos da Lei das Estatais que preveem a possibilidade de essas empresas contratarem obras sem projeto. Saiba mais sobre a posição do CAU/BR e de mais nove entidades de Engenharia e de Arquitetura e Urbanismo clicando aqui.

 

INFORME PUBLICITARIO

 

FOLHA SP

 

Publicado em 30/06/2016

MAIS SOBRE: CAU/BR

0 resposta

  1. No momento atual,a legislação municipal,de Porto Alegre, permite que venha a ser aprovado e licenciado, o Projeto Arquitetônico, de forma “simplificada”.Resumindo, o mesmo pode ser apresentado somente com o perímetro dos pavimentos do Projeto Arquitetônico proposto.
    Recai sobre o RT,toda a responsabilidade de cumprir “TODAS” as legislações vigentes,municipal,estadual e federal.
    Fico a imaginar, que no rumo deste ambiente de simplificar e agilizar ao máximo,como é o teor da lei sancionada,sem entrar em detalhes,logo adiante, como comprovar algo, em caso de imperícia, se sequer existe um documento executivo e detalhado.A quem imputar, a falha,se não há sinal,de recomendação a tal norma,ou a tal procedimento técnico.Como lidar com tamanha irresponsabilidade distribuída em diversas categorias,que convivem em um canteiro de obras.É evidente que os custos de uma obra “simplificada”, desde sua orçamentação, logo adiante resultará em aumento de despesas,para equilibrar o desequilíbrio.
    Não entendo,nesta lei,o objetivo legal,visto que a mesma fere,a todas as áreas envolvidas em uma obra privada ou estatal,onde o dinheiro é público, mas as responsabilidades técnicas, são restritas a cada RT, portanto esta matéria,invade o espaço de cada RT, induzindo a condução de uma obra,dentro da “ilegalidade”,já prevista em todos os códigos de ética, e procedimentos de normas técnicas, onde a boa construção exige,total atenção a todos os aspectos,inclusive o da moral pública, visto que se houver algum dano,a população pagará com seus impostos,pelos prejuízos de uma obra inacabada,por exemplo.
    Temos leis inócuas,esta não vem para qualificar a engenharia e a arquitetura,como deveria ser de fato.

  2. Sério?? Agora que a Lei é sancionada o CAU publica uma nota no jornal?? Tarde demais pela “iniciativa” ou, melhor, pela falta de iniciativa.
    Publicidade totalmente fraca e falha do CAU, que acumula mais uma derrota para os arquitetos.

  3. É uma boa iniciativa. Agora devemos é lutar para extirpar da nossa coletânea jurídica as lacunas existentes que sempre beneficiam essas pragas contagiosas que atinge a nossa sociedade.

  4. Apoio total a iniciativa do Cau essa nova lei das estatais é um retrocesso…desrespeito aos trabalhos profissionais de arquitetos e engenheiros…desrespeito à sociedade que precisa das obras e edificações…desrespeito ao dinheiro publico

  5. Todo apoio a essa carta aberta.
    O tiro é certeiro.
    Falta saber que efeito terá no alvo.

    1. João, o RDC foi sancionado. O assunto é destaque no clipping do CAU/BR.

  6. Enquanto não houver um novo marco político no país, muitos políticos vão continuar trabalhando contra, ou seja, tentando criar oportunidades para continuar lucrando por fora.
    Importante é que agora estamos muito mais “de olho”.
    Parabéns ao CAU e demais entidades pela atitude!

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CAU/BR

NOTA DE ESCLARECIMENTO

CAU/BR

CAU/BR aponta protagonismo feminino na arquitetura e urbanismo durante 98º ENIC

CAU/BR

Comissões do CAU/BR debatem temas de interesse dos arquitetos e urbanistas

CAU/BR

CAU/BR celebra uma década dos primeiros empregados públicos efetivos

Pular para o conteúdo