CAU/BR

CAU/BR recebe visita de presidente da União dos Auditores do TCU

Encontro aconteceu na sede do CAU/BR, em Brasília (Foto: Emerson Fonseca Fraga – CAU/BR)

 

Convidado para conhecer em detalhes as Tabelas de Honorários dos Serviços de Arquitetura e Urbanismo do Brasil, o  novo presidente da União dos Auditores Federais de Controle Externo (Auditar), Paulo Martins, visitou nessa quarta-feira (20/05), a sede do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR),  em Brasília.

 

O objetivo do convite foi demonstrar como as Tabelas podem ser um importante insumo para a formulação de orçamentos de projetos completos que resultem em melhor qualidade e custos corretos das obras públicas, como destacou o presidente do Conselho, Haroldo Pinheiro. Válidas para todo país, elas podem ser consultadas pela Internet, pelos profissionais e pelo público em geral, e já tem sido utilizada em diversas licitações.

 

A apresentação foi feita pelo arquiteto e urbanista Odilo Almeida Filho, presidente do CAU/CE, coordenador da elaboração das Tabelas, e por Roberto de Castro Mello, executivo do escritório Botti e Rubin Arquitetos, representando a Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA), que também colaborou no projeto.

 

(Da esquerda para a direita) Roberto de Castro Mello, da AsBEA (Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura); Odilo Almeida Filho, presidente do CAU/CE; Paulo Martins, presidente da Auditar; Haroldo Pinheiro, presidente do CAU/BR; e Anderson Fioreti, 1º vice-presidente do CAU/BR  (Foto: Emerson Fonseca Fraga – CAU/BR)

 

As Tabelas abrangem metodologia para formação de preços de 211 tipos de projetos e serviços de competência dos arquitetos e urbanistas, tais como projetos arquitetônicos de edificações, de urbanismo, de instalações e equipamentos, arquitetura paisagística e arquitetura de interiores, entre outros. Os preços gerados podem ser decompostos em custo, encargos sociais, despesas indiretas, lucro e despesas legais, o que permite aos arquitetos um melhor planejamento de seus serviços sob os aspectos administrativo e financeiro.

 

Ressaltando não poder falar em nome do TCU, o presidente da Auditar disse ser do total interesse da entidade colaborar para o aprimoramento do conhecimento e das ferramentas de trabalho dos auditores. No caso específico das obras públicas, disse ele, as Tabelas têm potencial para ser mais um parâmetro para o trabalho dos controladores.

 

Novas reuniões deverão ser agendadas, inclusive para o debate da revisão da Lei de Licitações em tramitação no Congresso. A entidade, assim como o CAU/BR, tem criticado a extensão da “contratação integrada”, criada pelo RDC (Regime Diferenciado de Contratação de Obras Públicas), para todas as obras públicas. Essa modalidade permite a licitação de obras com base apenas em anteprojetos, deixando sob responsabilidade das empreiteiras a elaboração do projeto completo onde se definem todos os detalhes da obra.

 

Matéria relacionada:

Auditores do TCU:  projeto da nova lei de licitações enfraquece planejamento e controle

MAIS SOBRE: CAU/BR

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CAU/BR

Inegável a relação entre o turismo e a profissão de arquiteto e urbanista

CAU/BR

NOTA DE ESCLARECIMENTO

CAU/BR

CAU/BR aponta protagonismo feminino na arquitetura e urbanismo durante 98º ENIC

CAU/BR

Comissões do CAU/BR debatem temas de interesse dos arquitetos e urbanistas

Pular para o conteúdo