CATEGORIA

CAU/PB reúne arquitetos para discutir campanha “Arquitetos pela Ética”

 

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo da Paraíba (CAU/PB) reuniu arquitetos e urbanistas paraibanos na noite desta segunda-feira (14) na sede do Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento Paraíba (IAB.pb) para discutir a campanha veiculada pelo CAU/BR intitulada “Arquitetos pela Ética”, onde é abordada a prática da “Reserva Técnica” (RT).

 

Além dos arquitetos presentes e do presidente do CAU/PB, Cristiano Rolim, também compareceram à reunião os conselheiros Amélia Panet (coordenadora da Comissão de Exercício Profissional, Ensino e Formação), Paulo Peregrino (primeiro vice-presidente do CAU/PB e coordenador da Comissão de Finanças), Ricardo Vidal (segundo vice-presidente do CAU/PB e coordenador da Comissão de Ética e Disciplina), Sônia Matos (coordenadora da Comissão de Organização e Administração), Silton Henrique, Ernani Henriques, Silvia Muniz, Janine Holmes e Valder Sousa. Também estavam presentes os conselheiros federais Hélio Costa e Fábio Galisa, a assessora do CAU/BR Cristina Evelise e os presidentes do IAB.pb, Fabiano Melo e do Sindicato dos Arquitetos da Paraíba (Sindarq-PB), Fábio Queiroz. A arquiteta e urbanista Suelen Montenegro representou o grupo de arquitetos presentes ao evento.

 

A reunião teve início com uma apresentação do presidente do CAU/PB, Cristiano Rolim, que mostrou as atribuições do CAU, sua missão e a importância da ética profissional. Em seguida o presidente destacou a divulgação da segunda fase da campanha do CAU/BR, que não teve repercussão positiva junto aos profissionais na Paraíba.

 

“Iniciamos o processo de discussão da campanha ‘Arquitetos pela Ética’ no ano passado e vínhamos numa construção de diálogo com os grupos de decoração e profissionais, juntamente com as comissões de Exercício Profissional, Ensino e Formação e Ética e Disciplina. Com a divulgação da segunda fase da campanha do CAU/BR, iniciou-se uma repercussão negativa dos profissionais da Paraíba em relação à divulgação das peças publicitárias da campanha. Então decidimos realizar essa reunião para dar uma resposta aos profissionais”, contou Cristiano Rolim.

 

 

 

 

Após a divulgação da segunda fase da campanha “Arquitetos pela Ética”, o CAU/PB levou ao CAU/BR a repercussão negativa junto aos profissionais da Paraíba para reflexão e solicitou a suspensão da campanha na forma adotada, sugerindo uma reavaliação das imagens, no sentido de possibilitar a melhor discussão sobre a matéria nas unidades da federação com vistas a uma melhor aceitação por parte dos profissionais.

 

Em ofício enviado ao CAU/BR, o CAU/PB destacou: “Ressaltando que o CAU/PB entende e corrobora com a proibição do recebimento da RT e com a necessidade de uma campanha de conscientização e aprimoramento das práticas profissionais que valorizem nossa atuação perante a sociedade, não acreditamos, no entanto, que a forma como está sendo realizada seja a mais eficaz e positiva. Sublinhamos ainda que o CAU/PB nunca se opôs ao mérito da questão, mas sim à maneira como a campanha foi veiculada e as distorções geradas junto aos nossos profissionais e à sociedade”.

 

Em resposta, o CAU/BR retirou as peças da campanha do seu site e das redes sociais e informou que voltariam a usar as peças da primeira fase da campanha, voltada à valorização dos profissionais.

 

“No encontro conseguimos reunir boa parte dos profissionais, principalmente os mais ligados à arquitetura de interiores, que colocaram seus questionamentos e ouviram do conselho as nossas questões legais e como nos posicionamos. Entendemos que trata-se de um processo de mercado, que se estabeleceu, e que existe ainda, dentro desse mercado, profissionais que têm atuação extremamente ética e coerente com a qualidade do produto final de arquitetura que apresenta, mas há um desvirtuamento muito grande e a profissão só vai se valorizar quando cobrar corretamente pelos seus honorários”, destacou Cristiano Rolim.

 

 

 

Durante a apresentação o presidente do CAU/PB também informou aos profissionais que a questão da RT extrapolou a alçada administrativa do CAU quando foi firmado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público do Mato Grosso do Sul, onde alinhado ao código do consumidor, serão caracterizadas as relações de consumo, no âmbito de outras profissões como, decoradores, engenheiros e arquitetos. Cristiano Rolim informou ainda que a Associação Brasileira de Design de Interiores (ABD) divulgou nota afirmando que “exorta seus associados a refletirem e buscarem, como firme propósito de sua atuação em seus escritórios, o fim da RT, pois este, necessariamente, é o seu destino”.

 

“Ficou claro para os profissionais que o posicionamento do CAU é pela valorização e pela requalificação dos nossos honorários, pagos pelo cliente, sobre um projeto completo. Sabemos que a questão é polêmica e complexa, mas ela precisa ser encarada, numa construção a médio e longo prazo”, finalizou Cristiano Rolim.

 

O presidente agradeceu a presença de todos os arquitetos e urbanistas, agradeceu ainda ao IAB.pb pelo apoio e por ter cedido o local e ao Sindarq-PB pela presença, mostrando a coesão do CEAU – CAU/PB no enfrentamento da questão. Agradeceu ainda a Pedro Rossi, pela transmissão online da reunião.

 

FONTE: CAU/PB

 

Publicado em 16/03/2016

MAIS SOBRE: CATEGORIA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Central de Atendimento do CAU/BR não funcionará na Sexta-feira Santa

ACERVOS

Seminário TOPOS:  CAU/BR e FAU/UnB promovem debate sobre a importância de acervos e arquivos de urbanismo no país 

#MulherEspecialCAU

“Arquiteta, na solidão da sua profissão, seu nome pede valorização!”, defende Tainã Dorea

Assistência Técnica

Mais médicos/Mais arquitetos: mais saúde para o Brasil (artigo de Nadia Somekh no portal do Estadão)

Pular para o conteúdo