CATEGORIA

CAU/SP notifica Prefeitura de Paulínia sobre salário abaixo do piso em Edital

 

O CAU/SP enviou um ofício no dia 01/04 à Prefeitura de Paulínia solicitando a retificação de concurso público para o cargo de arquiteto com salário abaixo do piso profissional.

 

No edital Nº 01 (veja abaixo), de 23 de março de 2016, o quadro de vagas informa um salário de R$ 3.867,50 para o cargo, considerando uma carga horária semanal de 40 horas, e a exigência de nível superior.

 

O valor acima contraria a Resolução Nº 38 do CAU/BR, que estabelece como salário mínimo profissional para uma jornada de trabalho de 6 horas diárias o equivalente a seis salários mínimos (valor atualizado do salário mínimo é de R$ 880).

 

O pedido de retificação também se baseia na lei Nº12.378/2010 (criação do CAU), citando ainda a lei Nº 4.950-A/66, que definiu o salário mínimo profissional para os profissionais de Engenharia, Química, Arquitetura, Agronomia e Veterinária.

 

“Diante do exposto, solicitamos que a remuneração apresentada para o cargo de Arquiteto seja alterada de acordo com a legislação vigente o quanto antes, para garantir a lisura do certame em questão”, pede o presidente Gilberto Belleza no ofício dirigido ao prefeito José Pavan Junior.

 

FONTE: CAU/SP

 

Publicado em 06/04/2016

MAIS SOBRE: CATEGORIA

0 resposta

  1. Parabéns a Cau pelo site, muito bonito e moderno. Estou montando uma palestra sobre o bom uso da internet pelo poder público e o site de vocês será um excelente exemplo.

    Atenciosamente,
    Fábio Costa

  2. Lamentável!!!! É de chorar !!! O dinheiro que se gasta para fazer uma faculdade de arquitetura, pra dps ver uns absurdos desses !!! Falta de respeito com os profissionais, que tanto se dedicam nessa área! É vergonhoso !!!! Um empregado doméstico sem nível algum escolar ganha quase isso praticamente, dependendo do que faz no domicílio.
    O CAU, desde que foi criado, parece que só piorou mais ainda a situação dos arquitetos. Só a falta de organização para isso, já nos monstrou o que teríamos pela frente. Eu, particularmente, tenho muitasss razōes, para ter tanta raiva, pois em sua transferência do CREA , pederam minhas documentações, assim como de outros, que fiquei sabendo também, sem me comunicarem. Acreditam???!!! É coisa para ae fazer com um profissional? Aí um belo dia, precisava renovar minha carteira e nada, mandei vários mails, até que 3 meses depois, 3 MESES DPS, palhaçada, me retornam, pedindo para eu ir até lá na sede pra levar todas as documentaçoes. O serviço não pode ser online! Muitaaa mancada! E eu que me lasco . E estou já há 3 anos nessa! Piada!!! È de piada!!!

  3. Acredito que o CAU deveria cancelar todos os concursos. Quase nenhum paga piso. Em minas tem lugar pagano menos ainda.

  4. Desde 2013 arquitetos da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro (observe que não estou falando de uma cidadezinha do interior) lutam, negociam, argumentam sobre o fato de a prefeitura pagar abaixo do piso (mesmo somando gratificações que eles inventam pra compor a remuneração sem aumentar o salário) sem absolutamente NENHUM apoio do CAU. Estão até hoje sendo enrolados pelo prefeito e não vi o CAU publicar uma vírgula a respeito, não vi mexer um dedo pra apoiar a causa.

  5. Isso ocorre na maioria das prefeituras e a legislaçao citada nao socorre aqueles que trabalham sob regime estatutario, mas apenas CLT.
    A lei eh falha neste ponto.

  6. Em Passos-MG vai acontecer um concurso com carga de 40 horas semanais, e estão oferecendo apenas R$ 2.185,00 o mesmo na cidade de Guaxupé-MG, a quem procurar para esses casos ? Peço encarecidamente por retorno. Grato!

  7. Constituição Federal, Art. 37: “XIII – é vedada a vinculação ou equiparação de quaisquer espécies remuneratórias para o efeito de remuneração de pessoal do serviço público”.

    Como fica isso?

    1. Aí depende se o cargo público é regido pela CLT. Se o for, a entrada deve ser no minimo o piso. Depois não pode ir indexando, tem que haver reajuste normal como o resto do Estado ou Cidade.

    2. Sou arquiteta concursada, pela CLT….desde o primeiro contrato de trabalho não ganho o piso salarial. Já reclamei…e nada.

    3. Na época que fiz o concurso não soube de nenhuma manifestação contra o edital. Os candidatos fizeram a inscrição e deram graças a Deus por surgir uma vaga pra arquiteto na capital cearense.

  8. Esta acontecendo um corcurso da cidade do Conde estado da Paraíba onde carga horário é 40 horas semanais, e o salario informado era de , absurdo, R$ 1.500,00!!! O Cau/PB ou BR também poderia tomar essa mesma atitude com essa prefeitura!!

    1. Para que haja alguma manifestação, deve haver denúncia! Denuncie e peça para que outros denunciem. Muitas vezes nada é feito pois as pessoas observam caladas. Não digo que este é o seu caso, porem é que acontece geralmente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Central de Atendimento do CAU/BR não funcionará na Sexta-feira Santa

ACERVOS

Seminário TOPOS:  CAU/BR e FAU/UnB promovem debate sobre a importância de acervos e arquivos de urbanismo no país 

#MulherEspecialCAU

“Arquiteta, na solidão da sua profissão, seu nome pede valorização!”, defende Tainã Dorea

Assistência Técnica

Mais médicos/Mais arquitetos: mais saúde para o Brasil (artigo de Nadia Somekh no portal do Estadão)

Pular para o conteúdo