CATEGORIA

CODHAB abre edital de concorrência para contratação de 16 arquitetos

 

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (CODHAB/DF) abriu edital para a contratação de profissionais de Arquitetura e Urbanismo, para as funções de Coordenador Titular e membro do júri titular em Concurso Público Nacional de projeto executivo de Arquitetura. As funções têm remuneração de R$ 5.000 e R$ 10.000 (por cada certame finalizado). Podem se candidatar arquitetos de todo o país.

 

Serão promovidos oito concursos pela CODHAB-DF nas áreas do Sol Nascente, Paranoá Parque, Samambaia, Santa Maria e Sobradinho, que irão ocorrer dentro dos 12 meses de vigência do contrato. Cada certame irá demandar uma dupla, que irá trabalhar no projeto por pelo menos dois meses. Para isso, são necessários profissionais habilitados e eficientes para a equipe de 16 arquitetos que serão contratados.

 

Clique aqui e leia o edital.

 

Cada Coordenador irá exercer seu trabalho durante o tempo necessário para conclusão de cada concurso (previsão de dois meses), acompanhando junto à CODHAB o desenvolvimento do Projeto Executivo de Arquitetura e Complementares e dar suporte no intermédio para aprovação dos projetos pelos órgãos competentes. Já os arquitetos contratados como membros do júri irão exercer seu trabalho durante o tempo necessário para o julgamento e conclusão de cada Concurso.

 

Os candidadtos devem apresentar propostas técnicas comprovando a prestado serviços de organização e assessoria de Concursos Públicos Nacionais de Projetos de Arquitetura no Território Nacional e/ou internacional (para coordenadores); e a prestação de serviços como jurado de Concursos Públicos Nacionais de Projetos de Arquitetura no Território Nacional e/ou internacional e comprovação de ter sido classificado em concurso de projetos de arquitetura e urbanismo, mediante publicação em meio oficial (para membros do júri).

 

A CODHAB/DF é responsável por desenvolver os programas e projetos habitacionais do Governo do Distrito Federal, bem como o Plano Habitacional de Interesse Social, definidos pela Secretaria de estado de Gestão do Território e Habitação – SEGETH, além de monitorar e fiscalizar o cumprimento das normas referentes ao ordenamento territorial, desenvolvimento urbano, controle urbano, habitação e regularização fundiária do Distrito Federal, comunicando aos órgãos competentes as medidas necessárias.

 

Os concorrentes deverão ter diploma de graduação em Arquitetura e Urbanismo, comprovado por meio de cópia autenticada em instituição reconhecida pelo MEC; Registro no Conselho de Arquitetura e Urbanismo, comprovado por meio de cópia autenticada da carteira profissional expedida pelo Conselho e comprovante de quitação de anuidades verificado por meio de Registro de Responsabilidade Técnica que tenha elaborado projeto de arquitetura.
A sessão pública para o recebimento e a abertura das propostas será realizada no dia 14 de junho, às 10h, na sala de reunião da Presidência da CODHAB.

 

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (61) 3214- 1830.

 

Publicado em 23/05/2016

 

MAIS SOBRE: CATEGORIA

0 resposta

  1. senhores (as,

    alguma novidade sobre a concorrencia 01/2016 da codhab df (objeto acima descrito na materia) cuja data do resultado foi 14/06/2016?

  2. Como o próprio CAU pode publicar a matéria dizendo que um dos requisitos é que comprove registro no Conselho através de cópia da carteira profissional autenticada (?????) e comprovante de quitação de anuidades através de RRT de projeto???
    GENTEEEEE AMBOS SÃO COMPROVADOS PELA CERTIDÃO DE REGISTRO E QUITAÇÃO!
    A CARTEIRINHA NÃO COMPROVA REGULARIDADE JUNTO AO CONSELHO MUITO MENOS QUE AS ANUIDADES ESTÃO PAGAS ATRAVÉS DO RRT DE PROJETO! PELO AMOR CAU/DF!!!!!!!!!!!!!

  3. Acho de uma restrição inaceitável.
    Para que o concurso então?
    Qtos arquitetos no Brasil inteiro têm experiência em concursos e/ou já participaram de um?
    Qtos têm experiência mais do que suficiente para analisar um projeto e/ou organizar e dar assessoria a qualquer processo?
    Se não é fica parecendo direcionado.
    Expliquem melhor.

  4. Eu nunca vi um texto tão mal elaborado e tão mal redigido gramaticalmente. Que vergonha hein doutores arquitetos!!!!

  5. Complementando (…)

    Por outro lado as exigências de experiencias e documentos comprobatórios deve ser coerente com o objeto que esta sendo licitado, para que se atinja a o resultado esperado. Não havendo quaisquer incompatibilidades neste item o tramite tem seu encaminhamento totalmente legal.

    Caso um interessado nao tenha tais competencias e habilitação, este nao é um fato para pedir impugnação do certame.

    Segue o que diz a Lei Art. 41 da Lei Federal N. 8666/1993 “A Administração não pode descumprir as normas e condições do edital, ao qual se acha estritamente vinculada.

    § 1o Qualquer cidadão é parte legítima para impugnar edital de licitação por irregularidade na aplicação desta Lei, devendo protocolar o pedido até 5 (cinco) dias úteis antes da data fixada para a abertura dos envelopes de habilitação, devendo a Administração julgar e responder à impugnação em até 3 (três) dias úteis, sem prejuízo da faculdade prevista no § 1o do art. 113.

    § 2o Decairá do direito de impugnar os termos do edital de licitação perante a administração o licitante que não o fizer até o segundo dia útil que anteceder a abertura dos envelopes de habilitação em concorrência, a abertura dos envelopes com as propostas em convite, tomada de preços ou concurso, ou a realização de leilão, as falhas ou irregularidades que viciariam esse edital, hipótese em que tal comunicação não terá efeito de recurso. (Redação dada pela Lei nº 8.883, de 1994)”

  6. Resumindo irão ”contratar” Arquitetos e Urbanista que já trabalham com concursos e são premiados assim como seus respectivos escritórios renomados!

  7. Como ter a chance de trabalhar na organização ou juri de um concurso público pela primeira vez sendo que a pontuação válida para classificação depende de quem já tenha trabalho nisso antes?
    Sem chance para nós, meros mortais que ralamos na arquitetura projetiva e executiva todos os dias!

  8. Queria saber como poderia ser impugnado este edital por conter diversos erros, e também na solicitação documentos, ela se visa muito restritiva. Ou seja parece um edital direcionado a pequena parcela de profissionais, sendo que a lei 8666/93, especifica claramente que deva haver ampla concorrência.

    1. É meu Caro FELIX…
      .
      Pelo que eu também entendi, os candidatos devem comprovar que já prestaram serviços de organização e assessoria de Concursos Públicos Nacionais de Projetos de Arquitetura no Território Nacional e/ou internacional (para coordenadores)…e também, que já prestaram serviços como jurado de Concursos Públicos Nacionais de Projetos de Arquitetura no Território Nacional e/ou internacional e já ter sido classificado em concurso de projetos de arquitetura e urbanismo, mediante publicação em meio oficial (para membros do júri).
      .
      Resumindo, podem se candidatar Arquitetos de todo o país “pero”, desde que preencham esses tais “requisitos”…rsrsrs

    2. Bom dia Felix,

      Eu tenho alguma experiencia em Concursos, especificamente ao fato exposto, onde vc menciona a constatação de erros, o próprio edital deve trazer informações referente a procedimentos para impugnação, em todo caso, caso nao haja tal informação (…) isto por si só já basta para impugná-la, neste caso, você deve oferecer “denuncia” no CAU do seu estado, o qual tem todas as prerrogativas para tomar as providencias cabíveis e necessárias.

      Espero ter ajudado… Boa sorte e forte abraço
      Att
      Odenil Alcântara

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Central de Atendimento do CAU/BR não funcionará na Sexta-feira Santa

ACERVOS

Seminário TOPOS:  CAU/BR e FAU/UnB promovem debate sobre a importância de acervos e arquivos de urbanismo no país 

#MulherEspecialCAU

“Arquiteta, na solidão da sua profissão, seu nome pede valorização!”, defende Tainã Dorea

Assistência Técnica

Mais médicos/Mais arquitetos: mais saúde para o Brasil (artigo de Nadia Somekh no portal do Estadão)

Pular para o conteúdo