CAU/BR

Comissão defende exercício profissional ético para melhor atender a sociedade

A principal estratégia da Comissão de Ética e Disciplina (CED) é promover o exercício ético e qualificado da profissão, mas, sobretudo, como defendeu o coordenador da CED, Guivaldo D’Alexandria Baptista, durante a apresentação das ações realizadas pela comissão na III Conferência de Arquitetura e Urbanismo, construir e consolidar uma ética numa categoria profissional para melhor servir à sociedade.

 

 

Matozalém Sousa Santana (TO), José Gerardo Soares (PI), Carlos Fernando Leão Andrade (RJ), Roberto Salomão do Amaral (PE), Nikson Dias de Oliveira (RR) – Coordenador-adjunto e Guivaldo D’Alexandria Baptista (BA) – Coordenador

 

 

“É necessário construirmos um processo para sairmos do patamar de agentes morais, onde o indivíduo age somente porque existe uma norma, com medo de uma sanção, e irmos para o patamar de sujeitos morais, ou seja, alcançarmos essa plenitude de boa vontade de fazer e promover o bem, que no nosso caso é fazer e promover a Arquitetura e Urbanismo para melhor servir a sociedade”, defendeu o conselheiro federal.

 

Nessa construção de parâmetros éticos para a profissão, compete à CED elaborar atos normativos de ética e disciplina; uniformizar ações voltadas para a eficácia do funcionamento das CEDs em todos os Estados, monitorar o CAU/BR e os CAU/UF, caso ocorra descumprimento da Lei nº 12.378/2010, e apurar irregularidades e responsabilidades relacionadas à ética e disciplina nessas instituições.

 

A comissão propõe ações para aprimorar, alterar e divulgar o Código de Ética e Disciplina do CAU/BR. Para a próxima gestão, umas das demandas apresentadas pela CED no Plano de Trabalho para 2021-2023 é a revisão do Código. “Nosso Código de Ética e Disciplina tem uma natureza deontológica e foi construído de forma empírica, do ponto de vista filosófico. Portanto, baseado nas experiências daqueles que o elaboraram e, considerando isso, é necessário, periodicamente, uma reflexão e revisão e, se for o caso, um ajuste do texto ou definição de novos princípios e novas regras”, ressaltou o conselheiro Guivaldo.

 

O objetivo da CED é dar início a esse processo, caso seja aprovada a revisão, envolvendo vários atores em seminários nacionais e regionais, para verificar quais os ajustes são necessários. Ainda para democratizar o debate sobre a ética profissional, a comissão propõe para a nova gestão a criação de um portal na internet como um catálogo de ementas de processos julgados no CAU/BR em grau de recurso. Na gestão atual, a CED deliberou sobre 95 processos ético-disciplinares e 90 foram julgados pelo Plenário do CAU/BR.

 

Confira aqui, todas as atividades de CED na gestão de 2018-2020

 

 

Mais sobre a III Conferência Nacional de Arquitetura e Urbanismo

III Conferência de Arquitetura e Urbanismo: Como foi a palestra da Ermínia Maricato

III Conferência de Arquitetura e Urbanismo: Veja como foi o primeiro dia do evento

III Conferência: CEAU apresenta as ações realizadas entre 2018 e 2020

CAU/BR divulga vídeo para promover a equidade de gênero na cidade e no trabalho

CAU Educa levará educação urbana e ambiental para as escolas do ensino fundamental

CAU/BR lança documentário em defesa da Habitação Social como questão de saúde pública

Site oficial da III Conferência de Arquitetura e Urbanismo

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CAU/BR

NOTA DE ESCLARECIMENTO

CAU/BR

CAU/BR aponta protagonismo feminino na arquitetura e urbanismo durante 98º ENIC

CAU/BR

Comissões do CAU/BR debatem temas de interesse dos arquitetos e urbanistas

EVENTOS

Patrícia Sarquis Herden é presença confirmada no 3º Fórum Mundial Niemeyer 

Pular para o conteúdo