CAU/BR

Comissão Eleitoral Nacional discute regulamento para Eleições do CAU

 

Em 2017 acontecem as próximas eleições do CAU para escolha dos conselheiros federais, estaduais e distritais – o segundo pleito realizado pelo Conselho. Nesta quarta-feira, 22 de julho, a Comissão Eleitoral Nacional do CAU/BR reúne os conselheiros federais para debater os principais pontos do regulamento eleitoral para 2017.

 

Na ocasião será apresentado um relatório das Eleições de 2014 e a composição da nova Comissão Eleitoral Nacional. Depois serão debatidos os pontos considerados estratégicos para aperfeiçoar o processo eleitoral, a saber:

 

  • Composição das candidaturas
  • Mandato de conselheiro federal e estadual e do Distrito Federal
  • Colégio Eleitoral
  • Eleição do conselheiro representante das instituições de ensino
  • Desincompatibilização do cargo de conselheiros e presidentes e vice-presidentes candidatos

 

O objetivo do encontro é reunir contribuições para que a Comissão possa apresentar uma nova minuta de regulamento eleitoral para ser apresentado ao Plenário do CAU/BR. As novas regras seriam válidas já na próximo eleição do CAU, em 2017.

 

Publicado em 21/07/2015

MAIS SOBRE: CAU/BR

7 respostas

  1. CONCORDO COM O COLEGA GUILHERME SILVA DE SP,O CANDIDATO A SER VOTADO TEM QUE SER CONHECIDO DE TODOS OS ARQUITETOS,SENDO ASSIM NÃO SERÁ PELA IMPOSIÇÃO QUE GANHARAM NOSSA CONFIANÇA.

  2. Rever o voto de TODOS os registrados.
    Votar é um direito que do deve ser dado aos que estão em dia com suas obrigações profissionais. O voto deve ser direito apenas de quem está devidamente registrado, ATIVO e quite.
    Att

  3. Engraçados esses nossos colegas que reclamam do CAU.Relutam em participar da construção do Conselho, não acreditam em nada nem em ninguém, criticam tudo e todos, mas querem as coisas funcionando e suas demandas atendidas. Meus caros, a sociedade é formada por grupos sociais distintos que se digladiam para fazer valer suas opiniões e projetos. Entre nós não é diferente, o desafio é construir um projeto minimamente coletivo para a classe e pô-lo em prática. Se não houver participação e consciência política é óbvio que os grupos mais organizados tenderão a dominar, se perpetuar e impor suas vontades. Portanto, não adianta ficar de fora criticando e esperando que as coisas aconteçam ao seu modo.
    É sempre bom lembrar uma antiga frase: quem não gosta de política é governado por quem gosta!

  4. Poderiam também, incluir a discussão sobre a obrigatoriedade do voto……grato

  5. Eleições diretas para o CAU. Urgente! Num país democrático, nada justifica o tipo de eleições indiretas que hj temos no CAU.

    1. Amilcar, a eleição dos conselheiros é direta, feita pelo voto dos arquitetos. Caso não tenha votado em 2014, pedimos que justifique sua ausência no SICCAU.

  6. Favor tornar o voto opcional como em qualquer país desenvolvido!
    Sabemos que toda esta discussão política pouco mudará o andamento da
    Profissão neste país.

Os comentários estão desabilitados.

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CAU/BR

NOTA DE ESCLARECIMENTO

CAU/BR

CAU/BR aponta protagonismo feminino na arquitetura e urbanismo durante 98º ENIC

CAU/BR

Comissões do CAU/BR debatem temas de interesse dos arquitetos e urbanistas

CAU/BR

CAU/BR celebra uma década dos primeiros empregados públicos efetivos

Pular para o conteúdo