Ensino e Formação

Coordenadores das Comissões de Ensino e Formação falam sobre projetos dos CAU/UF

O Encontro de Coordenadores das Comissões de Ensino e Formação, que aconteceu durante os dias 10 e 11 de março, oportunizou espaço para a exposição das experiências, desafios e propostas de cada CAU/UF. Durante os dois dias, representantes de conselhos de arquitetura de todos os estados brasileiros estiveram reunidos no evento, que teve formato híbrido (on-line e presencial na sede do CAU Brasil, em Brasília).

 

Em entrevistas à Assessoria de Comunicação Social do CAU Brasil, os coordenadores das falaram sobre os desafios de melhorar a qualidade da formação em arquitetura e urbanismo a partir de suas múltiplas realidades locais. Também apontaram suas impressões sobre o evento e comentaram os projetos que a CEF/CAU Brasil pretende desenvolver em 2022.

 

“Ensino de qualidade traz mais garantia de um bom exercício profissional. Então, a CEF-CAU/SC vem desenvolvendo um projeto de levantamento das condições de ensino em Santa Catarina que está muito em sintonia com o banco de dados que a CEF do CAU Brasil está propondo”, destacou Gogliardo Vieira Maragno, coordenador da Comissão de Ensino e Formação do CAU/SC, fazendo referência ao Banco de Dados Interativo que foi apresentado durante o Encontro.

 

Gogliardo Vieira Maragno, professor da UFSC e coordenador da Comissão de Ensino e Formação do CAU/SC

 

A coordenadora Márcia Reis comentou as propostas da CEF-CAU/BA para os próximos dois anos. “Queremos manter a aproximação com as coordenações de cursos de arquitetura no intuito de incorporar informações pós-pandemia, especialmente considerando a retomada das aulas presenciais. Queremos saber quais foram as questões problemáticas e o que podemos incorporar de forma positiva ao ensino e à formação dos nossos estudantes de Arquitetura” afirmou a conselheira. Os estágios também estão na pauta da CEF-CAU/BA. A autarquia deseja se aproximar dos escritórios de arquitetura para esclarecer dúvidas sobre a contratação de estudantes. Também pretende incentivar parcerias entre instituições que regulamentam estes estágios com os escritórios.

 

Márcia Reis, coordenadora da CEF do CAU Bahia

 

Já o coordenador Adjunto da Comissão de Ensino, Formação e Exercício Profissional do CAU/RO, Rogério da Silva, falou sobre as trocas de experiências entre as comissões dos diferentes estados. “A partir do encontro com as outras CEFs, tivemos novas ideias. Agora, pretendemos desenvolver estratégias e chamar as faculdades para conversar e saber o que o aluno precisa para que possamos prepará-lo para a atuação profissional, afirmou.

 

Rogério da Silva, da Comissão de Ensino, Formação e Exercício Profissional (CEFEP) de Rondônia

 

Segundo a coordenadora Cristina Reis, a CEF do CAU/RJ tem oferecido enfoque à educação continuada. Com base em uma pesquisa realizada em conjunto com a Comissão de Exercício Profissional (CEP) e entidades de arquitetura, a CEF-CAU/RJ desenvolveu um edital de cursos para qualificação do exercício profissional. “A pesquisa e o primeiro investimento nos cursos estão dando base para que possamos construir um novo edital, melhorado e com maior abrangência”, conta a conselheira. Ela também destacou a atuação de grupos de trabalho focados nos temas de tecnologia e de educação remota.

 

Coordenadora Cristina dos Reis (CAU/RJ)

 

Representante do CAU/SE e conselheira federal suplente, Karinne Santiago Almeida destacou dois projetos desenvolvidos pelo CAU/SE e que procuram oferecer suporte aos futuros arquitetos e aos profissionais recém-formados: o CAU Jovem e o Café com o Egresso. Por meio das ações, o CAU/SE faz o acolhimento e tira dúvidas sobre os desafios do início da carreira. Outra ação é a estruturação do Fórum de Coordenadores de cursos de arquitetura. “Temos sete instituições de ensino. É muito importante ouvir o coordenador, entender suas necessidades, fazer essa integração dos professores, coordenadores e trazê-los para perto do CAU”, afirmou. A partir deste canal, a CEF-CAU/SE deseja conquistar abertura para participar de aulas especiais nas instituições e dialogar com os alunos sobre ética e exercício profissional.

Representante do CAU/SE e conselheira federal suplente, Karinne Santiago Almeida

 

Em Minas Gerais e no Espírito Santo, o trabalho das Comissões ganhou destaque graças aos concursos de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) junto aos estudantes. “No ano passado, nosso maior programa foi o concurso de TCC. Consideramos uma ação importante para envolver os alunos no mundo do CAU. É um concurso voltado para uma atividade que eles já estão realizando, além de valorizar a produção estudantil dentro das faculdades e mostrar para todo o estado”, disse a coordenadora da CEF-CAU/ES, Liane Destefani. A coordenadora da CEF-CAU/MG, Ilara Duran, destaca a crescente participação na competição no estado de Minas Gerais. “A cada ano, temos um número maior de inscritos. O concurso aproxima o CAU tanto do egresso com o aluno que ainda vai ser formar”, explicou.

 

Coordenadora da CEF/ES, Liane Destefani

 

Ilara Duran, coordenadora da CEF/MG

 

O encontro teve transmissão ao vivo pelo canal do CAU/Brasil no Youtube.  Acesse aqui 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

EVENTOS

Patrícia Sarquis Herden é presença confirmada no 3º Fórum Mundial Niemeyer 

EVENTOS

Inscrições abertas para o Fórum Urbano Mundial

EVENTOS

World Architecture Festival (WAF) recebe inscrições com desconto até 28 de março

Ensino e Formação

UFMG recebe inscrições para pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo

Pular para o conteúdo