CATEGORIA

Desafios para os próximos gestores

Com o tema Habitação e Cidade, a arquiteta e urbanista Elisabete França fez a palestra de abertura do Congresso Itinerante do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Santa Catarina, etapa Lages. Por aproximadamente uma hora no auditório da CDL, a atual diretora da Companhia de Habitação de São Paulo falou sobre os fracassos das cidades e dos desafios que tanto os arquitetos e urbanistas, quanto os futuros gestores têm à frente do cenário econômico atual, citando o crescimento do PIB para os próximos anos e destacando que os próximos prefeitos terão que trabalhar com menos dinheiro.

 

 

Ao compartilhar algumas experiências profissionais, Elisabete falou de algumas formas para atrair o setor privado e, ainda, sobre a criação de um concurso público no estado de São Paulo para planos urbanos e de habitação. Doutora pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, ela explicou, também, como as cidades são pensadas pelos arquitetos e urbanistas do século XXI, abordando problemas como poluição, falta de coleta de esgoto e precariedades urbanas que se reproduzem nas cidades. Segundo ela, cerca de 83 milhões de pessoas não tem acesso à rede de esgoto.
 

Visão de urbanismo
 

Para o arquiteto e urbanista João Pablo dos Santos que estava na plateia, a palestra abriu os olhos principalmente dos acadêmicos. “Serviu para vermos como é difícil fazermos algo quando a gente sai da faculdade. A Elisabete mostrou que a gente deve se orgulhar do nosso trabalho e poder mudar a vida das pessoas”, explicou.
 

Segundo a professora de arquitetura e urbanismo, Karem Tiner a iniciativa do CAU/SC em realizar o Congresso Itinerante é louvável e representa um avanço. “Tanto a Elisabete quanto o CAU/SC estão de parabéns, a palestra de abertura foi maravilhosa, a palestrante tem propostas fantásticas e uma visão de urbanismo bastante moderna. Com esse trabalho podemos promover a integração entre os profissionais, projetos e estudantes pra vermos o que tem sido feito na arquitetura em termos de Brasil”, finalizou.

 

FONTE: CAU/SC

 

Publicado em 17/10/2016

MAIS SOBRE: CATEGORIA

2 respostas

  1. .
    Ótima Palestra !
    .
    E somos testemunhas que nosso esforço é enorme…
    .
    Principalmente nas grandes metrópoles, nós Arquitetos e Urbanistas somos incansáveis… trabalhamos duro diariamente, como milhares de “formigas” que passam a vida carregando “folhas” nas costas.
    .
    Infelizmente, por conta de péssimos e inescrupulosos gestores públicos, essas folhas nos são arrancadas sistematicamente, porque eles sempre colocam os seus interesses políticos como prioridades…
    .
    Como vemos acontecer com frequência, na maioria dos mandatos municipais, anos de trabalho dedicados a um Plano Diretor Descente, são simplesmente jogados no lixo…
    .
    Somente quando houver respeito pelo dinheiro público, o caos urbano começará a dar lugar ao Urbanismo.

    1. .
      Apenas retificando… “Plano Diretor DECENTE”… pois “descente” é o que mais vemos por aí…

Os comentários estão desabilitados.

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CATEGORIA

Fórum de Presidentes do CAU/BR cumpre extensa pauta em Belo Horizonte (MG)

ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Central de Atendimento do CAU/BR não funcionará na Sexta-feira Santa

ACERVOS

Seminário TOPOS:  CAU/BR e FAU/UnB promovem debate sobre a importância de acervos e arquivos de urbanismo no país 

#MulherEspecialCAU

“Arquiteta, na solidão da sua profissão, seu nome pede valorização!”, defende Tainã Dorea

Pular para o conteúdo