A+P Arquitetos Associados e Adriano Mascarenhas: Cerimonial da Conceição da Praia

A+P ARQUITETOS ASSOCIADOS E ADRIANO MASCARENHAS:
Cerimonial da Conceição da Praia

Salvador, BA
Fotos: Leonardo Finotti

Vizinhas à Basílica da Conceição da Praia, um importante marco religioso da capital baiana, as três edificações agenciadas pelo projeto estavam em más condições e precisavam ser requalificadas – o que se deu por meio de intervenção do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) realizada como parte do PAC Cidades Históricas em Salvador.

Assumido pelo escritório A+P Arquitetos Associados e por Adriano Mascarenhas, o projeto de restauro e construção partiu de uma demanda concreta: converter as edificações em um corpo único destinado a abrigar os eventos da Irmandade do Santíssimo Sacramento e Nossa Senhora da Conceição da Praia. Como contrapartida, a Irmandade se encarregaria da manutenção da basílica, que também necessitava de reparos na fachada e na cobertura

O partido arquitetônico considerou os diferentes níveis de integridade das três edificações. “Resumidamente, a casa mais deteriorada – contígua à igreja – e o galpão na parte de trás do lote passaram a abrigar os ambientes mais amplos, como o grande salão, que se estende até o fundo do terreno”, revela Alexandre Prisco, arquiteto e sócio do A+P.

As divisórias entre os imóveis foram mantidas, sendo que o casarão em melhor estado – o seguinte, na lateral – foi restaurado na fachada e na cobertura, passando a receber a circulação vertical (elevadores de carga e escadas).

Do ponto de vista material, foi preciso adotar peças metálicas para dar estabilidade às paredes do imóvel em ruínas – a estrutura autoportante ajudou a firmar as alvenarias restantes e viabilizar espaços amplos, livres de pilares. O arcabouço de aço também contribuiu para apoiar a nova infraestrutura instalada e garantir a almejada flexibilidade de usos.

Recuperou-se a volumetria original do telhado, completamente refeito. A cobertura, aliás, permitiu uma referência ao valor histórico da localidade: uma ampla claraboia deixa avistar a Cidade Alta e o antigo quintal (reforçando a separação tipológica entre as edificações).

Outro desafio de projeto foi reformular a fenestração do primeiro edifício (aquele em pior condição, dentro do qual fica o salão). O novo desenho das janelas buscou emular o contexto e a fachada desabada, com alguma liberdade. Nichos brancos na moldura das esquadrias passaram a revelar a espessura da parede externa e insinuar o plano anterior – as partes restantes da fachada antiga.

 

Área de Intervenção: 2.507 m2

Arquitetura: A+P Arquitetos Associados – Alexandre Prisco e Nivaldo Andrade (autores do projeto arquitetônico e de restauração), Adriano Mascarenhas (coautor, pertence ao Sotero Arquitetos), Rodrigo Motta, Diego Serra, Lucas Paes, Augusto Motta (colaboradores), Clara Oliveira, Vanessa Orrico, Gabriela Lauria, Maiara Gaspar, Alessandra Pittau, Amanda Ornelas, Laertes Abreu, Vitor Teles (graduandos em arquitetura e urbanismo) 

Texto resumido a partir de matéria publicada no Anuário 2020 da revista PROJETO

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário