COMUNA_ Ensaio de uma arquitetura socioeducativa no sistema carcerário para menores infratores

COMUNA_ Ensaio de uma arquitetura socioeducativa no sistema carcerário para menores infratores

São Paulo, SP
Projeto: Mariana de Souza Rolim; Autora: Maria Carolina Mantovani; Orientadora: Prof.ª Dr.ª Mariana de Souza Rolim

O tratamento recebido por menores infratores no Brasil é muito mais punitivo do que corretivo. Ainda que as infrações cometidas por eles sejam um décimo daquelas cometidas por adultos, eles são considerados um grande problema para a segurança pública. Tal realidade se torna mais perversa considerando a relação entre o tratamento pedagógico e dos ambientes onde os menores ficam, já que os espaços têm grande influência em nosso comportamento. Lembramos, ainda, que as taxas de apreensão estão relacionadas com renda, escolaridade e raça.

Nas unidades de atendimento do país vemos que o sofrimento físico e psicológico é mais bem aceito do que a recuperação e tratamento adequado e humanizado. Como arquitetos, temos o dever de assegurar que nossos projetos não se tornem ferramentas de punição, mas sim possam contribuir para a recuperação desses menores.

Além da legislação urbana não prever locais para a implantação destas instituições, damos pouca atenção para o que se passa dentro delas. Os altos muros, janelas pequenas e com grades e a integração nula com a rua e bairro contribuem com a exclusão social e urbana. Dessa maneira, o projeto aqui apresentado optou por galpões tombados, localizados na região central de São Paulo, para abrigar uma nova unidade de atendimento para a reabilitação desses jovens, juntamente com um centro de desenvolvimento comunitário, promovendo interação com a comunidade.

O nome “Fundação Casa” não foi utilizado, já que a “casa” seria nossa identidade, local de construção de vínculos e memórias, nada que a instituição hoje prega. O complexo foi nomeado “comuna_”, considerando o conceito de criação de uma comunidade local com relativa autonomia, com espaços de bem coletivo e com direitos iguais.

O símbolo “_” representa os menores que já cumpriram medidas socioeducativas e que foram, simplesmente, marcados e esquecidos. É necessário completar tal lacuna, contribuindo para que eles nos ajudem a enxergar o que não queremos ver.

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário