Entre a cidade e o mar – Revitalização da Praça Feira-mar de Antonina

CONCURSO PÚBLICO NACIONAL DE ARQUITETURA PARA REVITALIZAÇÃO DA PRAÇA FEIRA-MAR

Classificação: 1º lugar
Organização: Associação de Defesa do Meio Ambiente e Desenvolvimento de Antonina – ADEMADAN, Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Paraná – CAU/PR
Ano concurso: 2016
Localização: Antonina, Paraná, Brasil
Equipe do concurso: Bernardo de Magalhães, Camila da Rocha Thiesen, Cássio Sauer, Diogo Valls, Elisa T Martins
Colaboradores: Jefferson Scapineli, Lucas Schneider Zimmer

ENTRE A CIDADE E O MAR

Projetar a partir de um cenário único como o de Antonina é uma oportunidade de combinar estratégias que potencializem o existente e, ao mesmo tempo, mantenham viva a história e a memória do lugar.

A cidade de Antonina está situada no litoral sul paranaense, e é marcada pela implantação entre a baía e a cadeia de montanhas da Serra do Mar.

Sua formação urbana está diretamente relacionada às atividades portuárias e comerciais que determinaram sua origem. Em condição semelhante às de inúmeras cidades brasileiras, as áreas remanescentes do antigo porto configuram um espaço público junta à água que, embora indefinido, reflete uma grande possibilidade de transformação.

O projeto busca qualificar a praça Feira-Mar como um equipamento de lazer, de forma a ampliar seu potencial turístico e retomar a conexão da cidade com o mar. Tanto a proposta para a esplanada, o trapiche e a cobertura multiuso quanto as intervenções nas ruínas existentes buscam amplificar a relação entre a exuberante paisagem natural e o importante patrimônio construído.

Um eixo central de esplanada percorre toda a extensão da praça e a conecta com a escadaria de acesso ao belvedere e à Igreja Nossa Senhora do Pilar. O percurso histórico proposto estimula o visitante a caminhar pela cidade e desfrutar das diferentes visuais para a baía.

A cobertura leve e translúcida configura uma área sombreada de encontro e contemplação. Nela é possível abrigar o programa do mercado – um mercado aberto – que também se apropria dos lotes subutilizados do entorno e se dilui por toda a extensão da orla.

Neste sentido, a proposta prevê uma intervenção que, embora singela, possibilite reconhecer e contar a história da cidade de Antonina.

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário