Estúdio Módulo: Edifício Ágora

ESTÚDIO MÓDULO: Edifício Ágora (2018 / 2019)

Joinville, SC
Fotos: Nelson Kon

A arquitetura do Ágora, edifício que funcionará como porta de entrada do Ágora Tech Park (2019), área de expansão do Condomínio Perini Business Park (2001), no norte de Santa Catarina, é fundamentada no uso de sistemas construtivos pré-fabricados. Evidente a sinergia do partido arquitetônico com a filosofia de trabalho do Estúdio Módulo, pautada pela racionalidade como bem sugerido pelo seu nome, mas nesse caso se tratava de uma condição a priori.

O cliente e promotor do concurso de arquitetura – que teve como jurados os arquitetos Gustavo Cedroni, Mário Biselli e Roberto Loeb, além do secretário de Planejamento Urbano e Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Danilo Conti, e de diretores do empreendimento, Emerson Edel e Marcelo Hack – tem uma construtora que, igualmente sediada no condomínio empresarial, foi a responsável pela implantação desse e de grande parte dos edifícios nele localizados, nos quais costuma utilizar a construção seca, industrializada.

A arquitetura é organizada em torno de ruas internas que, de livre acesso, correspondem aos eixos (norte e leste) do masterplan concebido pelo estúdio. No térreo, há um auditório com 170 lugares, lanchonete, restaurantes, praças de alimentação, coworking, salas integráveis de reunião, administração e áreas abertas de estar, que têm uso complementar mas independente dos escritórios dos pavimentos superiores.

É marcante a distinção entre o térreo e o corpo elevado do edifício, sendo este último conformado por duas alas longitudinais paralelas, com dimensões distintas. Elas possuem dois pavimentos, e a mais larga é destinada aos escritórios enquanto que a mais estreita, às salas de uso compartilhado: multiúso, reuniões e copa. Por causa da complementaridade de funções, favorece-se a conexão entre as laterais através de passarelas.

A cobertura é um grande retângulo de 52,5 metros por 38 metros, parte vedada com telha termoacústica e parte em forma de shed (sobre o átrio de pé‑direito triplo), que se prolonga nas fachadas laterais através de abas verticais feitas com telhas metálicas perfuradas. Essa pele externa recobre, por sua vez, as fachadas envidraçadas, ora translúcidas ora transparentes. Na precisão da arquitetura do Ágora, cada material e forma cumpre papel decisivo de imprimir sensações no espaço.

Área Construída: 7.917,8 m2 (edifício); 74.578,9 m2 (masterplan)

Arquitetura (concurso): Estúdio Módulo Arquitetura – Marcus Vinicius Damon, Guilherme Bravin, Andressa Diniz (autores); Daniel Korn, Manon Garcia, Raquel Andrade (colaboradores); Alessandra Figueiredo (revisão textos); Miguel Marata (consultoria de estrutura)

Arquitetura (executivo): Marcus Vinicius Damon (coordenador geral); Guilherme Bravin (responsável administrativo); Andressa Diniz, Fabiana Perazolo, Jéssica Oliveira, Julia Dell’Acqua, Paula Máximo, Roberta Alecrim (colaboradores); Gabriela Galuppo Parisi (BIM manager)

Texto resumido a partir de matéria publicada no Anuário 2020 da revista PROJETO

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário