Travessa Piratininga

Travessa Piratininga

São Paulo, SP
Projeto: Rafael Novaes de Athayde Ribeiro

O presente projeto implanta-se em uma quadra muito particular no bairro do Brás em São Paulo, delimitada pelas ruas Prudente de Morais, Martim Buchard, Piratininga e Avenida Rangel Pestana. O local é cortado por uma travessa, a Rua Maurício Salomão Nahas, de leito muito estreito. A quadra é marcada pela presença do antigo Cine Piratininga, projeto de Rino Levi, da antiga fábrica da Copag, do Fórum Brás das Varas Especiais da Infância e Juventude, do Grupo Escolar Romão Puiggari, de novos empreendimentos imobiliários, de galpões e residências unifamiliares, próximas a locais de possível trabalho exploratório. Portanto o local configura uma paisagem fruto da sobreposição de diversos períodos históricos do local.

O projeto parte do agenciamento de um grande vazio no centro da quadra, cujo objetivo é ligar os pontos numa travessia, por meio de espaços de estar e pátios. Para tanto, o projeto estrutura-se em três blocos edificados, com características distintas, os quais não conformam volumes, apenas delimitam pátios internos, abrigando também um percurso elevado em uma nova cota criada. O Bloco 1 partiu da demolição de um galpão abandonado, abrindo o percurso para o resto da quadra através de uma passagem de dois metros; o Bloco 2 localiza-se entre os pátios d’água e do campo, abrigando sanitários e arquibancada; o Bloco 3 articula o percurso da travessa para o cinema, com um bar de suporte para atividades, integrado com a água e arquibancada do Bloco 2. Na intersecção dos eixos visuais foi implantada uma torre d’água, marco vertical do projeto.

Portanto, o projeto é sobretudo um agenciamento do resto, por excelência, que configura um lugar de travessia e de estar – uma rua que antes não existia, desenhada a partir de um enfrentamento profundo do território, onde os espaços dão suporte para a imprevisibilidade da vida, reconhecendo que é sobretudo a própria cidade que informa o projeto.

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário