ABNT

Fantástico: Arquiteta e urbanista orienta audiência da TV Globo sobre como fazer reformas em casa

Clique para assistir

 

“Na Arquitetura tudo tem solução”. A frase da arquiteta e urbanista Fabíola Occenstein, exibida no programa Fantástico, da TV Globo, destaca a necessidade de se contratar um profissional especializado na hora de construir ou reformar. Ela foi entrevistada no segundo episódio do quadro “Não Faça Você Mesmo”, que mostra o perigo de se tentar fazer obras em casa sozinho. O ator Rodrigo Santana foi ao Recife conversar com o empresário Andrei.

 

Andrei: Teve um problema no ar-condicionado da sala, que teve que fazer um dreno. No local onde o dreno entrava, tinha uma viga.
Rodrigo: Quem é que poderia ver essa viga antes de colocar o aparelho?
Andrei: Era um arquiteto.

 

 

Conforme o Fantástico esclareceu no primeiro episódio da série, a Norma de Reformas da ABNT (NBR 16.820) estabelece que toda obra de imóvel que altere ou comprometa a segurança da edificação ou de seu entorno precisará ser submetida à análise da construtora/incorporadora e do projetista, dentro do prazo decadencial (a partir do qual vence a garantia). Após este prazo, exigirá laudo técnico assinado por engenheiro ou arquiteto e urbanista. E o síndico ou a administradora, com base em parecer de especialista, poderão autorizar, autorizar com ressalvas ou proibir a reforma, caso entendam que ela irá colocar em risco a edificação. A norma afasta definitivamente o chamado o faz-tudo, o curioso ou o amador – e privilegia a boa técnica. Saiba mais aqui. 

 

Andrei, sua esposa Vyvyan e o ator Rodrigo Sant’Anna

 

O CAU/BR orientou a produção do Fantástico sobre a necessidade de se contratar arquitetos e engenheiros registrados em conselho profissional, de forma a garantir a segurança e saúde da população. Leia aqui.

 

Clique aqui para conhecer as atividades realizadas por arquitetos e urbanistas.

 

Publicado em 08/05/2017

22 respostas

  1. Achei excelente o fato de que uma profissional está envolvida tecnicamente nessa série da TV. Eu não tinha percebido isso quando vi o programa. Só assim é possível crer que haverá efetivamente uma contribuição para a sociedade.
    Acredito que a divulgação de boas práticas em todas as áreas é um fator crucial para o desenvolvimento do país, pois isso influencia diretamente na produtividade, na economia e na qualidade de vida das pessoas.
    Isso daria um bom estudo de caso para TCC. Vou indicar para os meus alunos essa matéria como fonte de inspiração para escolha dos seus temas para TCC. Em breve colocarei uma referência sobre isso num artigo do meu blog: http://www.andrefontenelle.com.br/formula-tema-de-tcc/
    Obrigado!
    Professor André Fontenelle

  2. PARABENIZO O NOSSO CONSELHO PELA ATITUDE !
    ESSE MOMENTO É UMA ETAPA DENTRE TANTAS AS QUAIS NÓS PODEMOS EFETIVAMENTE AGIR, IR PARA A AÇÃO CONCRETA. E… NÃO FICARMOS SOMENTE AGUARDANDO PELO CAU(INSTITUIÇÃO – PRESIDENTES, CONSELHEIROS, FUNCIONÁRIOS) O CAU(CADA ARQUITETO INDIVIDUALMENTE, DEVE DAR A SUA CONTRIBUIÇÃO- FEZ SUA CRÍTICA, DÊ DUAS SUGESTÕES DE MUDANÇAS PARA A MELHOR)

    ESSA MESMA EMISSORA DA REPORTAGEM DO DOMINGO A NOITE, JÁ FEZ ALGUMAS REPORTAGENS NO TELEJORNAL HORÁRIO DA TARDE DO SÁBADO, COMO SEGUE O LINK :

    http://g1.globo.com/jornal-hoje/blog/hoje-em-casa/post/planejamento-evita-dor-de-cabeca-na-hora-de-reformar-casa.html

    CABE A MESMA ATITUDE COM A PRODUÇÃO DO PROGRAMA, QUE ELES TENHAM ACESSO A CORRETA INFORMAÇÃO, ASSIM COMO FOI FEITO COM A PRODUÇÃO DO HORÁRIO NOTURNO.

    ABRAÇO A TODOS E TODAS COLEGAS !

  3. .
    O Empresário, mesmo ciente da importância do acompanhamento Técnico realizado por um(a) Arquiteto(a), achou que poderia fazer tudo sozinho…O que está acontecendo ???
    .
    Será que teremos que nos vestir de branco como os Médicos para sermos respeitados pela Sociedade Civil ????

  4. Agora que deu errado, vai procurar um profissional da área. Mas será que aprendeu a lição? Passo sempre por isso: tanto corrigir erros, quanto disputar com “empreiteiros” sem qualificação comprovada. Guerra desigual diante de orçamentos. Mesmo quando dou preço justo, ainda tem o famosos “choro” de pessoas que podem pagar. Depois, ainda querem exigir a qualidade do primeiro orçamento com o valor reduzido do segundo. É a comprovação que o barato sai caro, junto com transtornos e prejuízos.

    1. .
      Perfeito Marco.
      .
      Me deparo com isso há quase trinta anos…e costumo dizer que para corrigir erros, vai custar mais caro.
      .
      Essa situação de choro por parte daqueles que mais podem pagar, chega a ser “Punk”… rsrsr
      .
      Abraço.

  5. Toda informação será bem vinda, libera o entendimento e os níveis de conceituação perceptiva em relação as atividades profissionais ou fins, no nosso caso observa-se níveis de stress alto. Acredito que o momento não está bom pra ninguém. O CAU entendeu isso e posicionou adequadamente junto a emissora, convencido do trabalho social da informação ali prestada, que pode ser muito e bom. Para nós servem da demanda ensejada pela população e os arquitetos “empreendedores” aproveitem!

  6. Tbem acho q o CAU deve aproveitar o programa da globo e mostrar a importancia de contratar um bom profissional, arquiteto ou engenheiro , a necessidade do Responsavel Tecnico durante a execução, e os riscos de nao faze-lo. O modo como o quadro esta sendo apresentado pela globo tem focado de forma banalizada e comica . A coisa é muito seria. Qtas familias sao colocadas em risco …Tenho visto absurdos de arrepiar em reformas de condomínios….Os sindicos precisam exigir e porque nao serem co-responsaveis ?

  7. É a pior parte é estar desempregado e acabar assistindo isso. E ter tempo de ler estas matérias…

  8. A competição com prestadores de serviço não habilitados por mercado de trabalho só tende a ser cada dia mais desigual, pois o tomador do serviço privilegia e preço à qualidade do produto. E essa norma não é mandatória, e seu grande peso reside na disputas judiciais, quando o proprietário do imóvel entra em litigio com seu visito ou contra o profissional que fiscalizou a obra. Neste ultimo caso, como 85% das obras são feitas sem um profissinal habilitado, o réu acaba sendo o próprio dono da obra.

  9. Apesar da Norma, ainda tem síndico, engenheiro, que dizia que não precisaria de um profissional ou Laudo Técnico, o mesmo fez o desmanche de uma parede estrutural que apoiava uma caixa D’água de concreto de 10.000 lts. e o Crea nem se manifestou.

  10. Na verdade, este programinha está colocando o papel do arquiteto em patamar muito simples e até inferior. Atenção CAU-BR, pois estamos rumando para a falencia de nossa profissão e os demais profissionais que sempre nos subestimaram estão a cada vez mais ganhando campo de atuação e maiores ganhos.
    É preciso saber usar o nosso Conselho de forma superior, inteligente e competente, para trazer de volta o valor do Arquiteto.

    1. Muito bom ! Excelente observação! Grande oportunidade para o CAU entrar dm contato com a Globo e fazer as corretas orientacoes do papel do profissional da Arquitetura .

    2. É todo mundo querendo atuar como arquiteto e sem ter formação pra isso mas muitos não sabem como nossa profissão tem atribuições importantes, mas uma reportagem assim nos coloca, como a colega disse num patamar muito simples. Nosso conselho deveria nos ajudar e não ficar exaltando a Rede Globo

    3. Também acho Monica,quando eu fiz a faculdade almejando trabalhar em uma profissão como a arquitetura ou o urbanismo, pensei que até mesmo no campo acadêmico a valorização pelo lado social que visamos seria de bom grado.
      Estou decepcionada e achoque a boa intenção dos arquitetos se desvincular do CREA para ter autonomia, acabou por,na minha opinião, piorando tudo.
      Cada vez mais tem-se programas de decoração ou cursos baratos ensinando como fazer projetos, e fora a internet.
      Triste!

  11. Muito pouco…. Isso ainda coloca o papel do arquiteto muito aquem. O CAU precisa saber muito mais do que se anda divulgando nas Universidades publicas principalmente, e como se estão formando os arquitetos de 10 anos para hoje. Situação muito séria!!!!

    1. O ENSINO DE ARQUITETURA SEMPRE FOI IDEOLIGIZADO. A TÉCNICA É PERIFÉRICA. É UM SAMBA DO CRIOLO DOIDO COM “FACÇÕES” DE TODA A ESPÉCIE, PRINCIPALMENTE ENTRE OS PROFESSORES E ORIENTADORES. E NÃO É SÓ DE DEZ ANOS PARA CÁ É DE NO MÍNIMO TRINTA ANOS. E AINDA ESPERAR O QUÊ DAS BRIGUINHAS DO CREA E DO CAU…

    2. Não se faz boa arquitetura sem uma boa base de engenharia. Ao invés de separar-se, as duas carreiras deveriam ter se fundido…como antigamente e em muitos países desenvolvidos.A desvalorização da profissão é por culpa dos próprios profissionais que não se qualificam e penssam que se faz boa arquitetura apenas com um desenho bonito na “prancheta’.

    3. Concordo contigo, Cezar Silva! E digo mais. O mercado não reconhece o arquiteto como profissional porque muitos arquitetos não apresentam um serviço profissional. Muitos não gostam de cumprir prazos, fazem serviços superficiais e querem ser bem remunerados por ele. Gostam, ainda, de ser comparados a artistas.
      Pensem bem, se o serviço do arquiteto fosse mesmo fundamental, o mercado o reconheceria mais. Nós é que temos que ser mais humildes, parar de reclamar tanto e começar a trabalhar pesado. E botar o pé na lama, sim! Tem muito arquiteto que nem sabe lidar com obra e nem quer, mesmo sabendo que o projeto somente se concretiza quando é construído. O reconhecimento tem que vir como fruto do trabalho, não pela reclamação ou pelas obrigações do nosso conselho.

  12. Isto é o de menos…o principal e aonde devemos lutar para sermos reconhecidos pelo respeito que merecemos é a necessidade de um bom Projeto e a obrigatoriedade dele ser feito por um Profissional Habilitado!Pois competimos com donos de lojas de modulados,marceneiros,construtores,designers…e todos acham-se no direito de fazerem de tudo, mesmo sem conhecerem,mesmo sem terem o menor conhecimento ou a habilitação para tanto!É uma vergonha a situação atual dos profissionais,creio ser tb necessário uma ampla reestruturação nos próprios cursos de Arquitetura, pois não habilitam o profissional para fazerem Arquitetura de Interiores, e a sua maioria hoje faz,simplesmente porque acharam um “nicho” no mercado!Tenho cursos nas duas áreas, trabalho há mais de 35 anos,e hoje sinto-me mais uma secretária do que profissional dos meus clientes, pois a abundância substitui a qualidade!

    1. Exatamente o q está acontecendo! E digo mais a concorrência de preços dos honorários faz com que o cliente desavisado opte pelo menor valor para depois qualquer profissional (eu disse qualquer! Mestre de obras, síndico, corretor, etc) ganhe em comissões sobre serviços e materiais da empreitada. É preciso conscientização das nossas atribuições e divulga-las. Embora seja duvidosa esta campanha na rede Globo, é um início das discussões…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

EXERCÍCIO PROFISSIONAL

FNDE vai contratar 21 arquitetos(as) e urbanistas para atuar em projetos educacionais

EXERCÍCIO PROFISSIONAL

Conselhos de Arquitetura e Urbanismo recorrem de decisão judicial que restringe atribuições de arquitetos e urbanistas

Valorização Profissional

“Reescreva sua história. Reforme com arquitetas e arquitetos” é o tema de nova campanha de valorização profissional

EXERCÍCIO PROFISSIONAL

CAU estuda criação de certidão para viabilizar participação de empresas de arquitetura e urbanismo em licitações

Pular para o conteúdo