CATEGORIA

FeNEA faz enquete sobre portaria do MEC que autoriza ensino a distancia por 30 dias

A atual pandemia causada pela COVID-19 ocasionou a suspensão de atividades em Instituições de Ensino Superior em todo o país. Nesse contexto, a portaria do MEC nº343, lançada na última quarta-feira (18/03), permite a substituição de aulas presenciais por aulas a distância em cursos presenciais durante os próximos 30 dias.

 

Diante disso, ciente das problemáticas relacionadas à prática do EAD, a FeNEA busca por meio desse formulário levantar o panorama das IES e dos estudantes com relação a esta medida, a fim de embasar o posicionamento da Federação de forma representativa.

 

Clique neste link para acessar  o formulário, que ficará disponível para preenchimento até segunda-feira, dia 23/03, às 23h59.

 

MAIS SOBRE: CATEGORIA

10 respostas

  1. Se podemos perder um mês, dois meses de aula e repor depois por causa de uma greve, qual o problema por uma causa muito mais importante e grave. Esta proposta de EAD temporária pode ser um balão de ensaio para mais uma vez tentar implantar o ensino EAD na arquitetura.

    1. Exatamente isso meu Caro Fernando Simon !!!
      .
      Já estamos escolados e conhecemos muito bem, essas tais manobras…

  2. Estamos em meio a uma situação de grande descaso e falta de consideração com os alunos e a situação atual de um contexto de início de pandemia que exige isolamento social. Os alunos estão abalados psicologicamente e a faculdade insiste em manter datas de entrega de trabalhos e avaliações . Há professores que não estão dando aulas nem acessorias. Foram pedidos para se fazer maquetes e esboço de projetos em escala, quando muitos alunos tiveram que voltar correndo para suas casas apenas com a mala de roupas, além do mais é sensato se considerar que nós como alunos não temos acesso a uma loja específica de materiais para realizar tais trabalhos. Estudo em uma instiuição particular e não houve nenhum comunicado ou comentário sobre reajuste da mensalidade, que não é barata, e a previsão econômica não é boa, baseada no que já ocorreu em outros países. A imposição do regime remoto ainda desconsidera os alunos que não tem acesso a internet e telefone e , nesse contexto de isolamento social, não tem nenhum meio de comunicação para se pronunciar. Portanto, se tal medida de adotar regime remoto não atinge a todos, não poderia ser adotado. Matérias práticas estão sendo direcionadas por acessorias remotas, com qualidade muito inferior ao ideal. Friso aqui ainda, a consideração com os professores do curso, que tem que seguir ordens do que é imposto e visivelmente não tiveram nenhum tipo de preparação ou orientação . A educação está sendo tratada como mercadoria e o contexto de pandemia está sendo, pelas ações e comunicados da faculdade, extremamente relativizado. Não está se considerando o cenário que está por vir e também não há iniciativas práticas sobre.

  3. O ensino à distância não é uma escolha. Porém uma medida necessária no momento em que estamos vivendo. Não é uma situação fácil, porém revogar as atividades sem um prazo definido pode comprometer ainda mais o aprendizado.
    Portanto, eu acredito, que seja um processo adaptativo que ocorrerá gradualmente, até que a situação se normalize e voltemos às aulas presenciais com segurança.

  4. Eu discordo dessas aulas ead,pois muitas pessoas não tem acesso a internet e nem notebook ou computador

  5. Nao tem como arquitetura ser lecionada à distância. Talvez algumas matérias mais teóricas possam, porém projeto e urbanismo se tornam impossíveis, uma vez que demanda contato com grupo e/ou professor. Sendo assim, existe aulas EAD dessas matérias diminuem muito a qualidade tanto do ensino quanto do projeto final.

  6. Pelo que estamos vivendo acredito que seja a melhor opção para ninguém perder o ano.

  7. Acho que tem a possibilidade de continuar em EAD apenas as matérias teóricas do curso, com aulas on-line e exercícios é possível adquirir esse conhecimento. Porém matérias práticas como projeto no geral demanda mais contato com o professor devido aos assessoramentos, além de que normalmente são em grupo e precisa ter conhecimento do terreno e entorno onde vai se realizar a proposta.

Os comentários estão desabilitados.

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CATEGORIA

Fórum de Presidentes do CAU/BR cumpre extensa pauta em Belo Horizonte (MG)

ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Central de Atendimento do CAU/BR não funcionará na Sexta-feira Santa

ACERVOS

Seminário TOPOS:  CAU/BR e FAU/UnB promovem debate sobre a importância de acervos e arquivos de urbanismo no país 

#MulherEspecialCAU

“Arquiteta, na solidão da sua profissão, seu nome pede valorização!”, defende Tainã Dorea

Pular para o conteúdo