CAU/BR

Fixados novos valores da anuidade, do RRT e da emissão de carteiras profissionais

Os valores de anuidade e taxas devidas aos CAU/UF, a vigorarem a partir de 01/01/2016, foram fixados pelo Ato Declaratório No. 8, de 18/12/2015,  assinado pelo presidente do CAU/BR, Haroldo Pinheiro.

 

O valor da anuidade será de R$ 487,57 (quatrocentos e oitenta e sete reais e cinquenta e sete centavos). Seu pagamento,  previsto no artigo 42 da Lei 12.378, de 31/12/2010, é devido pelos profissionais e pessoas jurídicas inscritos nos CAU/UF.

 

A taxa de Registro de Responsabilidade Técnica (RRT) terá o valor de R$ 83,58 (oitenta e três reais e cinquenta e oito centavos). A taxa é prevista no artigo 49 da Lei 12.378, de 31/12/2010.

 

A taxa de emissão de carteira profissional terá o valor de R$ 49,82 (quarenta e nove reais e oitenta e dois centavos). Seu pagamento é revisto no artigo 3º. da Resolução CAU/BR No. 14, de 03/02/2012, com redação dada pela Resolução CAU/BR no. 37, de 09/11/2012.

 

Os preços são reajustados anualmente de acordo com a variação integral do Índice Nacional de Preços ao Consumidor – INPC, calculado pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, conforme determina o artigo 42 da Lei 12.378/2010. Veja aqui.

 

Publicado em 18/12/2015

MAIS SOBRE: CAU/BR CAU/UF

0 resposta

  1. Somos arquitetos temos um conselho que nos protege, então vamos nos unir e defender a nossa profissão.
    Não aceitando mais que nós fazemos projetinhos em meia hora que é fácil, que o nosso honorários é caro e assim por diante.
    Alguém já teve atendimento odontológico sem antes paga a consulta?
    Que a consulta de um advogado é apenas R$ 100,00? Claro que não. Mas temos colegas que vendem um trabalho por R$ 6,00 o metro quadrado.
    Já fiz trabalho por preço baixo, mas que esse mesmo cliente me exigiu mais que um cliente que me pagou um trabalho pelo valor real, então o barato saiu caro para nos arquitetos.
    Atualmente me valorizo como profissional, e gostaria que meus colegas fizessem o mesmo, perante a sociedade.

  2. CAURJ, é possível disponibilizar no site o vídeo do seminário sobre Assistência Técnica que está acontecendo hoje, assim como do Tabela de Honorários que ocorrerá dia 10/04?
    Grata.

  3. No entendo como ninguém percebeu ainda a seguinte paradoxo:
    o CAU nao representa nem sequer defende ou apoia os Arquitetos
    e um orgão genital de controle instaurado na marra burocrática
    porem
    e o orgao federal que DEFENDE ( e o que fala o Estatuto bendito) REPRESENTA A SOCIEDADE
    controla vigia e pune OS profissionais FILIADOS PERANTE A SOCIEDADE
    resumindo
    NADA TEM A VER COM OS NOSSOS DIREITOS,ali o paradoxo burocrático brasileiro
    E COMO SE OS BANDIDOS TIVESSEM QUE PAGAR ANUIDADE PARA ARCAR OS CUSTOS FIXOS DA POLICIA
    enquanto o IAB e o Sindicato que SãO OS nossos LEGÍTIMOS REPRESENTANTES boiam também querendo sua parte,,kkk

  4. Acho que é tudo uma questão de transparência.
    Quem sabe se abrirem as contas aos contribuintes poderíamos analisar como e onde estão sendo gastos esse dinheiro arrecadado. Qual o salário dos funcionários? Qual a despesa com os estabelecimentos? Qual o real custo do conselho?

    1. .
      No CREA também funciona assim…
      .
      Os Engenheiros pagam por todas as ARTs emitidas durante o ano e também pagam pela anuidade.

    2. Absurdo este negócio de pagar anuidade, visto que já é recolhida a RRT, também a bi-cobrança de anuidade é outro absurdo, deveriam recolher as taxas sobre demanda e criar mecanismos de incentivo à profissão de arquiteto já tão mal valorizada em nosso país devido a tantos anos de nossa profissão vinculada ao corporativista CREA. CAU não seja a cópia mal feita de um órgão engessado do nosso passado, seja criativo como o arquiteto.

  5. Solidário com a colega do RS

    Injusto e insano a cobrança em duplicidade de PF e PJ, das
    empresas uniprofissionais.
    Não deixem o CAU se tornar mais um balcão de arrecadações.
    Vamos botar a boca no trombone …….

  6. Solidário com a colega do RS
    Injusta e insana a cobrança da PF e PJ em duplicidade para as empresas uniprofissionais
    Botem a boca no trombone ….., não vamos deixar o CAU se tornar mais um balcão de arrecadações.

  7. A REUNIÃO QUE PARTICIPEI NO IAB QUANDO FOI PROPOSTO A CRIAÇÃO DO CAU TINHA O CUNHO DE MELHORAR A NOSSA PROFISSÃO E ATÉ HOJE NADA FOI FEITO EM PROL DOS ARQUITETOS. HOJE O CAU COM ESSA ANUIDADE ARRECADARÁ 43 MILHÕES PARA PAGAR ALMOÇOS, JANTARES, VIAGENS E AS MORDOMIAS PARA OS PRIVILEGIADOS, É UM ÓRGÃO QUE SÓ COBRA E NÃO FAZ NADA POR NÓS. ISSO EU JÁ SABIA,COMENTEI ISSO À ÉPOCA O QUE SE CONFIRMA ATÉ HOJE. É UM ABSURDO E NÃO É SÓ DITO POR MIM, SÃO INÚMERAS RECLAMAÇÕES. ISSO É UMA VERGONHA NACIONAL! EM BREVE MUDAREI DE PROFISSÃO VOU EXERCER A ADVOCACIA, POIS A OAB TEM ANUIDADE ALTA, MAS PELO MENOS OFERECE BENEFÍCIOS AOS SEUS MEMBROS COMO TRANSPORTE, PLANOS DE SAÚDE, ESCRITÓRIO E OUTROS!

  8. .
    Caros Colegas
    .
    “P.E.L.A.M.O.R.D.E.D.E.U.S” !!!! Quanto MI MI MI !!!!!
    .
    Será que todo início de ano tem que ser essa choradeira ???
    .
    Fala sério !!! Então vocês acham mesmo que a desvalorização da nossa Profissão é de responsabilidade do CAUBR ????
    .
    Por que será que “não conseguimos cobrar pela nossa hora o que o Advogado cobre pela hora dele” ???
    .
    A resposta é simples: Porque eles se valorizam !
    .
    Então gente, comecem a valorizar o trabalho de vocês apresentando aos Clientes, Serviços Técnicos de alta qualidade e principalmente, a preços compatíveis com essa alta qualidade e parem de transferir para o nosso Conselho, responsabilidades que devem partir de cada um de NÓS !!!
    .
    Qual seria o valor “justo” que o CAUBR deveria cobrar pela nossa anuidade ??? R$ 200,00… R$ 150,00 ???… 5 parcelas de R$ 30,00 tá bom pra vocês ???
    .
    O que mudaria para nós ??? Teríamos mais Clientes ???
    .
    Os Médicos continuam cobrando no mínimo R$350,00 por consulta e os Advogados, no mínimo R$200,00…. Eles estão preocupados com a anuidade deles ???
    .
    Ao invés de reclamar do valor da nossa anuidade, vamos mudar a nossa Postura perante à Sociedade (nossa Cliente), sendo Profissionais !
    .
    Eu já vi muitos RRTs referentes a Projetos Arquitetônicos, com valores de contratos / honorários, MAIS BAIXOS do que a nossa anuidade !!!
    .
    CHEGA DE FAZER PROJETOS A R$1,99 !!!!

    1. caro colega,
      não acho que seja choradeira reclamar do valor da anuidade, acho justo que seja cobrado, porém até agora ainda não vi nada que justifique esse valor, NADA.
      concordo com vc quando diz para nos valorizar-mos tal qual fazem outros profissionais, realmente a culpa é nossa.
      porém, como diz o comentário abaixo, o CAU ainda não disse para que foi criado, não vejo nenhuma vantagem ou desvantagem ter criado conselho proprio, e, acho que, pelo menos na minha cidade, eles estão muito é atrapalhados, isso sim. não sabem dar informações corretas dentre outras coisas.
      nem fedem nem cheiram.

    2. É Colega…
      .
      Então, sugiro que vocês procurem saber junto ao CAU/BR, quais são as razões que justificam essa cobrança “abusiva” na nossa anuidade, que beira os inacreditáveis R$ 1,40 por dia…

    3. justo o que o colega Wanderley acima citou.
      Resido em são Paulo, estou sempre na sede da Cau, para esclarecer duvidas, me atualizar em seus cursos, e cito ainda que a Cau me defendeu em uma unica situação, que o cliente queria tirar vantagem, já que eu era iniciante na profissão.
      Se somos arquitetos e temos um conselho, e pagamos anuidade, vamos explorar a instituição, vamos estar mais presente, em seus cursos em palestras etc e vamos denunciar os colegas que atuam de forma a desvalorizar a nossa imagem perante a sociedade, vendendo trabalhos á 1,99.
      Somente assim podemos criticar a instituição. As pessoas que criticam agem da mesma forma nas eleições, federais , estatuais e municipais. Colocam lá os governantes e não participam dos mandato deles, então é fácil criticar e não levantar o bumbum do sofá.

  9. O CAU até agora não disse para que foi criado.pois até a presente data não trouxe nenhum beneficio concreto para nós, somente ilusões de que seria um conselho autonomo e que brigaria pelos interesses da categoria, criou um plano de saúde caríssimo,taxas que nos faz lembrar do CREA e o pior de tudo, não fez nada que valorizasse a nossa profissão,pois os engenheiros continuam mandando e nós ficando com as migalhas

    1. Prezado Ismael, agradecemos a participação e lembramos que as ações de valorização da profissão realizadas pelo CAU/BR incluem a criação da Tabela de Honorários, do Código de Ética e da Resolução 51, além da campanha nacional que está sendo divulgada nos principais meios de comunicação.

  10. Parece-me que esse valor de taxa de anuidade desconsidera a crise econômica pela qual o País passa e, juntamente, os arquitetos urbanistas.
    Deixa a impressão que a entidade criada para dar espaço e voz aos arquitetos – pouco ouvidos nas épocas de CREA – se limitou a cumprir um cálculo legalista de reajuste sem preocupar-se com a realidade de seus representados, visto que a construção civil está em clara recessão. Melhor do que campanha publicitária, seria o CAU/BR se preocupar com quanto dinheiro irá tirar dos bolsos de cada associado.

  11. O valor da taxa é extremamente alto para representatividade que temos neste conselho. Gostaria de ver o CAU “brigando” pela redução de carga tributária para as empresas de arquitetura, como a ordem dos advogados faz pela classe. Benefícios como planos de saúde e outros convênios não são nada interessantes. Taxa alta e poucos benefícios.

    1. Anuidade alta, RRT altíssima e praticamente nenhuma assistência.
      Apenas cobranças arrecadatórias!
      Estão querendo criar em pouco tempo um fundo financeiro que equipare ao do CREA e isso tudo às nossas custas!

    2. .
      O.A.B – Valor da anuidade cobrado em 2015: R$ 879,70.
      .
      Projeção para 2.016 ———> R$ 980,00
      .
      .
      CAUBR – Valor da anuidade para este ano de 2016: R$ 438,81.
      .
      Fiz uma pesquisa com alguns Colegas e constatei que todos os que acham a nossa anuidade alta, são justamente aqueles que aceitam fazer projetos ao valor médio de R$ 6,00/m² e máximo de R$ 12,00/m²…
      .
      E por incrível que pareça, existem muitos que cobram menos do que R$ 5,00/m² !!!

    3. Gilberto, voltemos a conversar quando nós arquitetos conseguirmos cobrar pela nossa hora o que um advogado cobra pela dele. Anuidade caríssima diante da desvalorização da nossa profissão. Ainda mais em um momento como esse.

    4. Gilberto Taccolini Júnior, você representa bem o nosso país: Uma minoria fora da realidade que não faz ideia do que realmente acontece em sua volta. Você faz parte do Conselho do CAU? Pois é assim que sinto o meu Conselho, completamente destoante da realidade! Basta prestar atenção que a maioria aqui reclama, isso quer dizer que a maioria não está sendo bem atendida! Além disso, você já viu o tanto de benefícios que os advogados recebem da OAB? Em Salvador tem um edifcío onde os advogados que não têm escritório próprio encontram alí absolutamente tudo que ele precisa, secretaria, impressora, papel, outros. Tem um sistema de transporte próprio que circula pela cidade, etc, etc, etc… Aproveito ainda para concordar com a Monalisa – RJ, está super coerente!

  12. Meus Caros Colegas, não reclamem das taxas cobradas, porque muitos destes nossos colegas ainda falam,”…a bons tempos aqueles do CREA…’, mas vocês sabem a quantas andam as taxas do CREA, perguntem a um colega Engenheiro.

  13. Isso só desmerece a classe.
    A ART (do engenheiro) é mais barata, a anuidade e o serviço também. Por mais que falem que engenheiro não pode fazer projetos arquitetônicos a Resolução do CAU não anula a do CREA/Confea, e “eles” insistem dizendo que podem fazer e o CAU vai fazer o que? Aumentar os custos do arquiteto!!! É essa a solução!?

  14. Não questiono a lei que regulamentou o CAU e sim, o atual momento vivido por todos. Se todos estão ganhando menos, porque o CAU também não pode ganhar menos. Mantenham ao menos o mesmo valor cobrado pela anuidade do ano passado.

  15. Acho esse valor muito alto, em especial pelo atual momento pelo qual o país passa. Durante o ano de 2015, não percebi de que forma o CAU me representou como arquiteta e, de que forma serei representada em 2016 para justificar um valor absurdo. O ano passado a anuidade foi de R$ 395,44, este ano de R$ 487,57. Note-se que houve um aumento de R$ 92,13, ou seja, 23,29%. Um valor muito acima da inflação.
    Acredito que esse valor pode ser revisto.

    1. Ângela, informamos que o valor ano passado foi de R$ 439,38 e é sempre reajustado pelo INPC, calculado pelo IBGE.

  16. Meu comentário anterior não foi postado, então vou tentar adicionar novamente de outra forma: SOU SOLIDÁRIO AOS COMENTÁRIOS ANTERIORES DOS MEUS COLEGAS, SÓ GOSTARIA DE DEIXAR AQUI REGISTRADA A “MINHA INDIGNAÇÃO” QUANTO AOS 03 ANOS DE GESTÃO DO CAU, POIS ATÉ O MOMENTO VIMOS POUCO PROGRESSO EM RELAÇÃO A “VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL”,AINDA NÃO COLHEMOS OS FRUTOS PROMETIDOS DESDE A SUA FUNDAÇÃO, REGISTRO AQUI MEU CASO, QUANDO PROCUREI O CONSELHO PARA UMA “CONSULTA JURÍDICA” A RESPEITO DE QUE ATITUDE TOMAR POIS HAVIA UM PRAZO PARA EU CUMPRIR, “ACREDITEM OU NÃO QUEM ME ATENDEU FOI UMA DAS ATENDENTES, A RESPONSÁVEL (ADVOGADA) NEM ME RECEBEU, A ATENDENTE É QUE IA E VINHA COM MEUS QUESTIONAMENTOS, SENDO QUE, FICOU DE ME RETORNAR E NÃO O FEZ”. LAMENTÁVEL A NOSSA SITUAÇÃO.

  17. Olá, Estou tentando emitir algumas rrts, mas não consigo, pois aparece um texto dizendo o seguinte: Solicitamos que leia o texto informativo na página inicial e clique em “Estou ciente” para liberar o acesso aos serviços on-line ou entre em contato com o CAU de seu Estado. Mas não encontro nada escrito de estou ciente na pagina inicial, como devo proceder, uma vez que na minha cidade (Limeira-SP), não existe uma unidade de CAU. Fico no aguardo.
    grata

  18. Sou solidário a todos os comentários anteriores de meus colegas de profissão e acrescento que a criação do Conselho
    foi fundamentada na prática de “melhorias para nossa classe”, principalmente na “Valorização da Profissão”, e consequentemente na busca do piso salarial previsto na 4950A.
    Já se passaram 03 longos anos e não vimos ainda nem um avanço nesse sentido, editais de concursos públicos ainda são publicados nesse Brasil a fora com remunerações muito, mas muito abaixo das expectativas dos profissionais. Se o próprio conselho criou resoluções para serem fiscalizadas e cumpridas, mas não as cumpre, o que esperar?

  19. Assim como em outros conselhos de classe, deveria haver a opção do profissional que não está atuando na área, permanecer inativo no CAU e assim não pagar anuidade uma vez que não está tendo nenhum benefício desta instituição, enquanto permanece inativo !!!

  20. Por mais que esteja regulamentado, o valor sempre foi muito alto. Que seja feito um ajuste ou alteração de regulamento, algo está errado. É absurdo o valor que devemos pagar e somos obrigados a isso. O pior é que me sinto desamparada, sem ter como reclamar quanto a isso, pois até uma manifestação da indignação, como a do colega acima, é respondida apenas com “estão determinados em lei”…até as leis são alteradas! Deveriam pensar que, facilitando a vida dos profissionais, melhorariam os índices de pagamentos das anuidades.
    Verifico com colegas de outras profissões e nosso conselho é um dos mais altos.

  21. Este “novo” valor da anualidade, representa 55.34% do salário mínimo que irá vigorar a partir do dia 1º de Janeiro de 2015.Já anunciado de R$ 880,00 (OITOCENTOS E OITENTA REAIS).
    Se fossemos FRANCESES, onde o salário mínimo parte de 1.500 EUROS, teríamos que pagar 830 EUROS, (55,34%) do salário mínimo francês. Algo como R$ 3.570,00 (TRÊS MIL QUINHENTOS E SETENTA REAIS).Isto é parte do “abismo Social” desta republiqueta de grupelhos.Imaginem 90.000 arquitetos x R$ 487,00. Isto soma R$ 43.830.000,00 (QUARENTA E TRÊS MILHÕES OITOCENTOS E TRINTA MIL REAIS), Fora as taxas do RRT. E o último, que sobreviver, que apague a luz!

  22. Um aumento de pouco mais de 11%… Qual o índice utilizado para encontrar o novo valor?

  23. Sr. Julio, tudo pode ser adequado, mesmos as leis como faz a presidentA deste país. A crise existe e e deveria o conselho olhar por nós e não dar justificativas sem noção.

  24. Concordo com todos. O valor da anuidade é caríssimo!!!!!!
    Só pago realmente por não ter alternativa. Quais são as datas para o pagamento?!

  25. Concordo plenamente com Deize Sales e Afonso Celso Souza. Trabalho em uma prefeitura do interior do estado da Bahia, não recebo metade do piso, por isso mesmo, para complementar a renda sou obrigada a trabalhar de domingo a domingo e não existe um cidadão se quer que pague os honorários definidos pelo CAU. E o que o conselho faz para mudar isso? Sabe qual foi a resposta de um Conselheiro do CAU_BA quando pedi ajuda sobre o piso na Prefeitura? Me respondeu (tenho duas testemunhas) que isso não é com o CAU, é com o sindicato. Palmas para o meu Conselho, e vamos aumentando as taxas!!! Isso que é preocupação com a classe!

  26. Consideramos injusta e inoportuna a cobrança de pessoas físicas que tenham Empresas de Arquitetura.
    Concordo com o Arquiteto Afonso Celso.
    O CAU deveria reconsiderar estes aumentos diante de uma realidade tão sensível em nosso País.
    Que lastima desta repetição de protocolos.

  27. CAU e Alice no país das maravilhas… Mercado parado, pouco serviço e o CAU aumentando a anuidade e a ART. Sensibilidade zero com a classe, falta total de sintonia!

  28. Esta novela da carteira profissional é um insulto à classe. Agendei no dia 22/10/12 a coleta dos dados biométricos na cidade mais próxima à minha que fica a 60 km. Compareci,esperei 2 horas, coletei e estou esperando até hoje… A última vez que tentei obtê-la fui informado que só na capital – 120km… Resumindo, ô carteirinha cara e difícil de se conseguir!

  29. Ilmos. Senhores, é notório o estabelecido pela Lei 12.378/2010, no qual constam os valores e reajustes opcionais do CAU. Contudo, é também notório que o CAU pouco está oferecendo a nós, Arquitetos e Urbanistas. outras entidades de classe oferecem salas especiais, convênios médicos subsidiados, colônias de férias, farmácias subsidiadas, dentre outros brindes e presentes – bem pagos com nossos próprios pagamentos. O que está sendo oferecido que nos diferencia das entidades como CREA e OAB? Recomendo cuidado aos diretores e dirigentes do CAU. recomendo que revisem estes reajustes opcionais dentro de critérios aceitáveis. Cuidado para criarem uma antipatia coletiva e prejudicarem enormemente a imagem do Conselho diante da população.

  30. E como ficam os casos de quem é pessoa jurídica também?Desde a criação do CAU venho pagando anuidade em duplicidade, mesmo sendo a minha empresa individual.É um absurdo essa cobrança, tendo em vista que na época do CREA, nesta situação era cobrado apenas 10% da anuidade de PJ, ou seja 100%pessoa física e 10% pessoa jurídica…questiono todos os anos essa cobrança abusiva e não recebo retorno algum.

  31. O valor da taxa é alto principalmente para profissionais que atuam no interior e não conseguem usufruir de alguns benefícios disponibilizados pelo CAU como planos de saúde que, em sua maioria são regionais e não chegam até nós.

    1. É isto ai Colega Deize, sabem usarem das leis para dar os aumentos justificados. Quando que vão criar novos benefícios para que possamos nos beneficiarmos, tal como a “MUTUA” no CREA ou um plano de saúde nacional, etc.
      Parece que nossos dirigentes não entenderão que nosso concelho foi criado por que estávamos cansados de não termos vós no antigo sistema que tinha como meta arrecadar e nos punir. Agora temos o nosso Conselho, mas nos moldes antigos? É hora de criarmos novas visões e irmos de encontro com o que queríamos e não com oque éramos.

  32. Ainda que os valores estejam em conformidade com algo prescrito e regulamentado, a legislação não prevê momentos de crises econômicas. Então tal alegação é insuficiente para esclarecer o que o Sr. Afonso afirma em seu comentário: “… medida pouco preocupada com a classe, além de ser bastante antipática.” O CAU deveria fortalecer a classe que ele representa e não tomar tais medidas sem considerar o cenário econômico atual.

  33. A legislação regulamenta o reajuste, mas não obriga a fazê-lo! O valor pode perfeitamente ser reajustado de forma mais moderada. É exatamente dessa forma que vocês estão fazendo que se alimenta a inflação e faz desse país um lugar pior a cada dia.

  34. Mesmo estando com o CAU suspenso (por não estar exercendo a profissão) posso fazer a carteira profissional?

  35. Pelo que estamos conferindo nestes primeiros anos de operação do CAU/UF, seguimos os mesmos conceitos e atuação administrativa do conselho dos Engenheiros.
    Espero que não nos tornemos um conselho “Mabaço”, e logicamente com o custo benefício bem abaixo do esperado.
    Estes valores me parecem bem acima da realidade de nosso mercado.

  36. Prezados,

    A anuidade será enviada por e mail ou correio..??

    Quando..??

    No aguardo

    Att

  37. Acho que o bom senso deva prevalecer independente das resoluções e leis que regem nosso conselho. Esse valor poderia ser repensado, haja vista a condição econômica em que o país se encontra. A criação do CAU nos convida a acreditar que podemos ser flexíveis e adeptos a soluções de comum acordo. Quem sabe uma enquete virtual para sabermos se realmente os profissionais apoiam esse reajuste.

  38. Com a crise pela qual passa o nosso País e certamente os profissionais de arquitetura, creio que aumentar taxas, mesmo que legalmente, seja uma medida pouco preocupada com a classe, além de ser bastante antipática.

    1. Caro sr. Afonso: Os valores seguem o determinado na Lei 12.378, de 31/12/2010, que regulamentou a profissão de arquiteto e urbanista e criou o CAU/BR e os CAU/UF.

    2. Julio Moreno, sei que você entendeu a colocação do Afonso, mas segue um complemento. Não se está questionando a legalidade do reajuste, como comentado de forma CLARA pelo Afonso do RJ e pelo Júlio de MG, o que se coloca é o momento que deveria ser considerado pelo CAU.

    3. E quem criou as Leis? Foi Deus? Não pode ser revistas?
      Caro colega Afonso, sensibilizo me com as suas palavras.
      Temos que ter um conselho mais sensíveis e flexível as tendencias de nossa sociedade brasileira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CAU/BR

NOTA DE ESCLARECIMENTO

CAU/BR

CAU/BR aponta protagonismo feminino na arquitetura e urbanismo durante 98º ENIC

CAU/BR

Comissões do CAU/BR debatem temas de interesse dos arquitetos e urbanistas

CAU/BR

CAU/BR celebra uma década dos primeiros empregados públicos efetivos

Pular para o conteúdo