CATEGORIA

Futuro do sistema de construção a seco pauta evento latino-americano

A consolidação do sistema de construção a seco e os cenários que se abrem para a construção civil nos próximos anos são os temas do 3° Congresso Latino-Americano de Steel Frame, que ocorre nos dias 20 e 21 de junho, no Maksoud Plaza, em São Paulo (SP). O evento, considerado o mais importante do setor nesta parte do continente, é voltado a arquitetos, engenheiros, construtores, empreendedores, entidades de classe, indústria, fornecedores, instituições de ensino, técnicos e tecnólogos e estudantes.

 

– Quem se encantou em 2015, se surpreendeu em 2016 e acompanhou os encontros regionais que percorreram o país em 2017 apresentando os avanços, soluções e desafios do Light Steel Frame no Brasil, vai ter a oportunidade de se adiantar sobre o futuro deste sistema que vem se consolidando no país . Queremos promover uma troca de informações entre países latino-americanos e propor discussões técnicas e gerenciais, além de possibilitar o encontro da indústria com os profissionais e a academia– destaca a diretora do 3° Congresso Latino-Americano de Steel Frame, Luana Carregari.

 

Entre as palestras confirmadas até o momento estão: “Software de estruturação de aço com formas frias para planejamento de produção”, ministrada pelo empresário Jonathan Fox-EUA; “Offsite construction: como apoiar a cadeia produtiva a abraçar a construção industrializada e alcançar objetivos estratégicos”, com o diretor relações internacionais da BRE- Building Research Establishment- UK, Orivaldo Barros e “Norma para o sistema construtivo Light Steel Frame”, apresentada pelo professor Zacarias Chamberlain Pravia. O arquiteto, German Delgado, é a atração internacional com o tema “O desempenho do Sistema LSF antes e após o terremoto 7.8 no Equador”.

 

Paralelamente ao congresso acontece a 3ª Expo Light Steel Framing e Tecnologias da Construção Civil, o 2° Fórum de Sistemas Construtivos e a rodada de negócios com Com a participação dos mais importantes players do mercado; o grupo Saint-Gobain com Brasilit, Placo, Isover, Gypsum do Brasil, a Eternit, Infibra, Walsywa, Vertex, Pinnacle, entre outros.

 

Construção a seco no Brasil

 

De acordo com Luana Carregari, nos últimos anos o potencial do sistema construtivo tem sido cada vez mais explorado em todos os tipos de projetos no país, como construções aeroportuárias, estádios esportivos, hotéis, edificações industriais empreendimentos de alto padrão e habitações de interesse social.

 

– Cases residenciais de sucesso podem ser encontrados no Sul e Sudeste, como as casas de alto padrão em Santana de Parnaíba/Alphaville (SP) e os condomínios em Canoas (RS) e em Vitória (ES). Já em Minas Gerais, por exemplo, o LSF foi a solução encontrada por administrações públicas para reduzir pela metade o tempo de execução de Unidades de Pronto Atendimento (UPAS), de Unidades Básicas de Saúde (UBS) e também de inúmeras creches – relata a diretora do Congresso.

 

Diante a recuperação econômica pela qual passa o Brasil, o setor vem crescendo e apontando um caminho promissor às construtoras e administração pública com relação a custos, prazos, sustentabilidade e eficiência construtiva.

 

– O futuro da construção civil está pautado em soluções inteligentes, eficazes e nas inovações tecnológicas oferecidas pela indústria. A capacitação e reciclagem profissional são imprescindíveis para os arquitetos e engenheiros alinhados com as questões de nosso tempo – complementa Luana.

 

O sistema de construção a seco também oferece à indústria a redução de desperdícios de recursos naturais, como a água, e de materiais e mão de obra. Além disso, atende uma demanda crescente que preza por produtos competitivos e de qualidade.

 

Fonte: 3º Congresso Steel Frame

 

MAIS SOBRE: CATEGORIA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Central de Atendimento do CAU/BR não funcionará na Sexta-feira Santa

ACERVOS

Seminário TOPOS:  CAU/BR e FAU/UnB promovem debate sobre a importância de acervos e arquivos de urbanismo no país 

#MulherEspecialCAU

“Arquiteta, na solidão da sua profissão, seu nome pede valorização!”, defende Tainã Dorea

Assistência Técnica

Mais médicos/Mais arquitetos: mais saúde para o Brasil (artigo de Nadia Somekh no portal do Estadão)

Pular para o conteúdo