ARQUITETOS EM DESTAQUE

Congresso Mundial de Arquitetos: Habitação Social do Brasil em destaque

Arquiteto Gilson Paranhos apresenta experiência da CODHAB-DF

 

Experiências brasileiras na área de Habitação Social foram apresentadas no 26º Congresso Mundial de Arquitetos, em Seul. O Seminário Produção Urbana através da Habitação Social, promovido pelo Conselho Internacional dos Arquitectos de Língua Portuguesa (CIALP), discutiu as dificuldades, problemas e soluções concretas da Habitação Social a partir das experiências de Assistência Técnica da CODHAB-DF; os programas Favela-Bairro e Rio-Cidade, executados no Rio de Janeiro; as comunidades de habitações públicas em Portugal e as experiências de Angola e Guiné-Bissau.

 

O presidente da CODHAB-DF, Gilson Paranhos, falou do trabalho inovador realizado nas regiões periféricas da capital. Foram criados 10 escritórios de assistência técnica de habitação de interesse social e realização, oferecendo projetos arquitetônicos gratuitos para a população carente do Distrito Federal. “Infelizmente somos uma das poucas cidades do Brasil que oferece o serviço, de fato. Temos dez postos de assistência técnica nas regiões mais carentes do DF, com profissionais que convivem diariamente com a população para quem irão elaborar os projetos”, disse. Para ele, estar na ponta e vivenciar os problemas da comunidade atendida faz toda a diferença.

 

O programa Na Medida oferece projeto de arquitetura, o acompanhamento da reforma e o material, custeado pelo governo com o teto de R$ 13.500 por família. “Problemas como iluminação, ventilação e circulação, típicos da autoconstrução em nosso país, podem ser sanados com um custo pequeno e com o profissional especializado. A melhoria na qualidade de vida dessas famílias é enorme”, explicou Gilson. A ação é acompanhada por mutirões comunitários de revitalização urbana, regularização fundiária e concursos públicos de Arquitetura e Urbanismo. 

 

Sergio Magalhães, presidente do IAB, fala sobre programas de urbanização no Rio de Janeiro

 

O presidente do IAB, Sergio Magalhães, falou do programa Favela-Bairro, programa de urbanização da Prefeitura do Rio de Janeiro. O programa, idealizado pelo arquiteto Luiz Paulo Conde, tem como objetivo implantar infraestrutura urbana, serviços, equipamentos públicos e políticas sociais nas comunidades beneficiadas. É considerado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento como um projeto-modelo de políticas públicas no combate à pobreza e à miséria. Indicado pela ONU como um exemplo a ser seguido por outros países no Relatório Mundial das Cidades 2006/07, o Favela-Bairro também foi escolhido como um dos melhores projetos do mundo apresentados na Expo 2000, sediada em Hanôver.

 

No Seminário Produção Urbana através da Habitação Social também foram apresentadas experiências em outros países de língua portuguesa, pelos arquitetos José Manuel Pedreirinho (Portugal), Fernando Teixeira (Guiné-Bissau) e Victor Leonel (Angola). 

 

Stand do IAB no Congresso Mundial de Arquitetos

 

CONGRESSO MUNDIAL DE ARQUITETOS NO RIO DE JANEIRO

Outro destaque no Congresso Mundial de Arquitetos é o stand do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), que apresenta o Rio de Janeiro como a sede do próximo do 27º Congresso Mundial de Arquitetos, que acontecerá em 2020 na cidade, sob promoção do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB). O tema proposto para o 27º Congresso – “Todos os mundos. Um só mundo. Arquitetura 21” – está centrado no papel da Arquitetura frente a realidade urbana do mundo contemporâneo, onde se expressam a diversidade e a multiplicidade das formas urbanas e dos mundos de produção das cidades. A realização do UIA.2020.RIO coincidirá com o décimo ano de criação do CAU/BR, os 60 anos da fundação de Brasília e a véspera do centenário do IAB. 

 

 

O presidente do IAB, Sergio Magalhães, e o representante do IAB na União Internacional dos Arquitetos (UIA), Roberto Simon, têm recebido arquitetos de todo o mundo e autoridades internacionais, como o prefeito de Seul, Park Wo-soon, e o presidente da UIA, Esa Mohammed, para falar da proposta do Rio de Janeiro para sediar o maior encontro de arquitetos. 

 

Presidente da Comissão Organizadora do Congresso, arquiteto Jong Ruhl Hahn; Sergio Magalhães, presidente do IAB; Park Won-soon, prefeito de Seul; Esa Mohammed, presidente da UIA; e Roberto Simon, conselheiro do Brasil na UIA e ouvidor-geral do CAU/BR

 

Roberto Simon também participou de mesa-redonda promovida pela representação dos arquitetos da Dinamarca.  Sua capital, Copenhagen, é candidata a sediar o Congresso UIA 2023. A mesa-redonda discutiu melhores caminhos para as organizações de arquitetos no mundo e como elas podem contribuir com o desenvolvimento urbano em um mundo em rápida transformação. 

 

Roberto Simon em mesa-redonda promovida pelos arquitetos da Dinamarca

 

O Congresso Mundial de Arquitetos também serviu como oportunidade para estreitar laços já estabelecidos, como no caso de Brasil e Portugal. Os conselheiros do CAU/BR Anderson Fioreti, José Roberto Geraldine Jr. e Fernando Diniz estiveram com o presidente da Ordem dos Arquitectos de Portugal (OA-PT), José Manuel Pedreirinho. Tratou-se do andamento do acordo CAU/OA e das dificuldades de revalidação de diplomas dos brasileiros nas universidades portuguesas. Saiba mais sobre o acordo entre as organizações de arquitetos de Brasil e Portugal clicando aqui
 
Os arquitetos José Manuel Pedreirinho, de Portugal, e Anderson Fioreti, José Roberto Geraldine Jr. e Fernando Diniz, do Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

EVENTOS

Patrícia Sarquis Herden é presença confirmada no 3º Fórum Mundial Niemeyer 

UIA

Kuala Lumpur sediará o próximo Fórum Internacional UIA em novembro

EVENTOS

Inscrições abertas para o Fórum Urbano Mundial

EVENTOS

World Architecture Festival (WAF) recebe inscrições com desconto até 28 de março

Pular para o conteúdo