CAU/BR

Saiba como foi a reunião do Conselho Superior do IAB em Campo Grande

 

 

Até o último sábado (24/01), arquitetos e urbanistas de todos os estados brasileiros reuniram-se em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, para a 147ª Reunião do Conselho Superior do Instituto dos Arquitetos do Brasil (COSU-IAB). O encontro acontece semestralmente, sempre em uma cidade diferente do país. Na pauta da primeira edição de 2015, o principal assunto foi a organização do Congresso da União Internacional dos Arquitetos (UIA) de 2020, no Rio de Janeiro. A cidade foi anunciada no ano passado como sede do evento e a realização deve envolver todas as instituições de arquitetos e urbanistas do país.

 

Os membros do IAB discutiram regras de premiações da entidade para estudantes e profissionais da área. A proposta de um novo regulamento foi apresentada pelo presidente do IAB-RS, Thiago Holzmann.

 

“A revisão e a simplificação do regulamento de concursos do IAB certamente contribuirão para que os departamentos estaduais tenham uma atuação mais unificada e coerente na realização de suas competições. Além disso, a aproximação com o regulamento do UIA vai conferir um respaldo internacional importante aos concursos do IAB”, afirmou Holzmann.

 

Para o presidente do IAB, Sérgio Magalhães, a aproximação do regulamento de concursos do Instituto com o da UIA é positiva e muito importante. “O regulamento de concursos da UIA é referência em todo o mundo. Precisamos seguir esse modelo e fazer as adaptações necessárias a nossa legislação”, defendeu Magalhães.

 

Após a apresentação de Holzmann, os participantes da reunião do Cosu sugeriram incluir no documento a criação de uma comissão de concursos permanente para acompanhar as competições organizadas pelos departamentos estaduais do IAB. Para o presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) e conselheiro vitalício do IAB Haroldo Pinheiro, é preciso garantir a expertise do IAB na realização de competições. “A instituição da comissão é um passo importante nesse caminho.”

 

CENTENÁRIO

 

Para a programação do Centenário do IAB, foi definida a realização de um concurso nacional para a escolha da logomarca, o lançamento de um livro e a realização de exposição, no Congresso UIA 2020 Rio, sobre a história do Instituto. O grupo responsável pela programação – Amilcar Chaves, Carlos Renato Pina dos Santos, Cêça Guimaraens, Irã Taborda Dudeque, Vera Pires e Solange Araújo – apresentará na próxima reunião do COSU, com data e local ainda a serem definidos, projeto e orçamento detalhado das ações.

 

Quanto à valorização e fortalecimento da imagem dos departamentos do IAB, o grupo de trabalho que discutiu o tema – Rose Guedes, Fabiano Melo, Solange Araújo, José Armênio de Brito Crus, Luiz Fernando Janot, Roberto Ghione, Josemee de Lima, Wallace Fonseca, Luis Antônio, Dirceu Peters  e Edison Elito – estabeleceu como prioridades a criação de uma agenda para que os IABs entreguem o documento “O IAB e o Direto à Cidade” e um diagnóstico local aos governadores recém-empossados; a promoção de seminários para requalificação das gestões dos departamentos, retomando o termo de cooperação técnica com o Sebrae; e a elaboração de um manual para uso da marca do IAB.

 

“A proposta é que o documento do IAB, resultado do ciclo Seminários de Política Urbana Quitandinha +50, com contribuições importantes para as questões de mobilidade urbana, habitação, democratização das cidades, entre outras, seja entregue ao mesmo tempo em todos os estados. Além disso, a comissão sugere uma ação junto ao Ministério das Cidades com objetivo de qualificar o programa Minha Casa Minha Vida em sua versão 3.0, apresentando soluções emblemáticas em todo o país, que sejam apoiadas pela rede IAB, e sugestões  sistemáticas ao Programa”, explicou a presidente do IAB-MG, Rose Guedes.

 

METRÓPOLES

 

Também durante o COSU, o diretor-executivo da Câmara Metropolitana do Rio de Janeiro, Vicente Loureiro, que também é conselheiro do IAB-RJ e do CAU/RJ, fez um relato otimista sobre o futuro da gestão das metrópoles. Ele ressaltou a importância de estados e municípios brasileiros se envolverem na gestão metropolitana.

 

Loureiro listou como avanços recentes a sanção do Estatuto da Metrópole, lei que estabelece diretrizes gerais para o planejamento e a execução das funções públicas de interesse comum em regiões metropolitanas e em aglomerações urbanas e o acórdão recém-publicado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a gestão das cidades.

 

“O Estatuto da Metrópole é, sem dúvida, um avanço importante. Precisamos agora adequar os Planos Diretores das cidades a esse instrumento. Os estados e municípios também precisam se envolver e atuar de forma articulada, com o amplo apoio da sociedade civil”, afirmou Vicente Loureiro. Um ponto controverso da sanção do Estatuto da Metrópole é o veto presidencial à instituição do Fundo Nacional de Desenvolvimento Urbano Integrado (FNDUI). Para alguns, a exclusão do fundo enfraquece a eficácia da lei e não garante sustentabilidade às gestões das metrópoles.

 

“O FNDUI seria um instrumento importante para o planejamento urbano das metrópoles. Acredito que o veto se deu por alguns juristas entenderem que o Fundo se configuraria como intromissão do governo federal no âmbito dos municípios. De qualquer forma, o Estatuto permite que os estados criem seus próprios fundos”, explicou Vicente Loureiro.

 

Para o presidente do IAB, Sérgio Magalhães, o país e as regiões metropolitanas necessitam urgentemente de um planejamento capaz de lidar com as demandas atuais e futuras: “O país conta com, aproximadamente, 20 metrópoles, onde vivem quase 40% da população urbana. O que não podemos aceitar é que, quando há uma crise, como a mobilização da sociedade por melhores condições de mobilidade urbana em junho de 2013, coincidentemente há a extinção de órgãos responsáveis pelo planejamento, como aconteceu em São Paulo.”

 

OUTROS ASSUNTOS

 

Outro ponto em destaque foi uma homenagem póstuma ao arquiteto e urbanista Miguel Pereira, falecido no ano passado. Ele foi presidente do IAB Nacional e conselheiro federal da gestão fundadora do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR).

 

Os participantes do encontro fizeram na sexta-feira, 23/01, uma visita técnica ao Aquário de Campo Grande com o autor do projeto, o arquiteto Ruy Ohtake, que veio a Campo Grande especialmente para a visita, a convite do governo do Mato Grosso do Sul.

 

 

Publicado em 22/01/2015. Atualizado em 26/01/2015. Com informações do IAB Nacional.

MAIS SOBRE: CAU/BR

8 respostas

  1. Colegas (principalmente colega Walnice de SP),
    Encaminho carta que elaboramos para os arquitetos gaúchos esclarecendo exatamente sobre esta falsa “acusação” de que o “IAB não faz nada (por mim ou pela arquitetura)”, segue:

    Caro colega,

    Encaminhamos 3 questões para sua reflexão:

    1. O QUE O IAB RS FAZ PELA CATEGORIA?
    Defende o arquiteto e a profissão há 67 anos; promove eventos culturais e profissionais como a semanal ‘quarta no IAB’ e as exposições de arte; promove cursos de formação profissional; promove as Caravanas da Arquitetura no interior; mantém núcleos atuantes em 8 cidades e regiões do RS; representa os arquitetos em inúmeros conselhos públicos municipais e estaduais atuando em defesa e promoção da arquitetura, planejamento, patrimônio… levando a visão do arquiteto para dentro da esfera de decisão pública; busca influir na mídia abrindo espaço para os temas da arquitetura; promove e divulga concursos públicos de arquitetura; atua junto ao CAU colaborando para que este cumpra com a sua missão; promove a Assistência Técnica; integra os arquitetos gaúchos com o resto do Brasil através da rede IAB; colabora com as iniciativas nacionais do IAB como a que elaborou a Tabela de Honorários que foi adotada pelo CAU, a campanha por projetos completos para obras públicas, a qualificação dos concursos públicos de arquitetura, a implantação da Assistência Técnica às famílias de baixa renda, e tantas outras como a realização do Congresso Internacional da UIA no Rio em 2020.

    2. O QUE O IAB RS FAZ POR VOCÊ?
    Oferece o MELHOR convênio de saúde para os arquitetos gaúchos através da Unimed, parceira há mais de 15 anos; disponibiliza sua assessoria jurídica e contábil para consultas gratuitas aos associados; oferece o Solar do IAB para atividades de seus sócios; oferece descontos e convênios como o Funsau (seguros, previdência) e outros; oferece espaço gratuito para divulgação de seu escritório no site do IAB; oferece descontos nos cursos e demais atividades pagas; mantém espaços permanentes de discussão e divulgação de atividades de interesse dos arquitetos (site, blog, face, listas de discussão); favorece a integração e ampliação de sua rede de contatos profissionais.

    3. O QUE VOCÊ PODE FAZER PELO IAB RS E PELA CATEGORIA?
    Ser sócio e pagar a anuidade; apoiar o IAB e participar das diversas atividades; criticar e ajudar a construir as políticas públicas de interesse dos arquitetos; integrar-se às mídias do IAB RS e à rede nacional IAB para contribuir com sua opinião e crítica.

    MESMO QUE SEU APOIO NESTE MOMENTO SEJA APENAS PAGANDO A ANUIDADE, JÁ SERÁ UMA AJUDA MUITO IMPORTANTE. LEMBRAMOS QUE SUA CONTRIBUIÇÃO É VOLUNTÁRIA, OU SEJA, NENHUM ARQUITETO É OBRIGADO A PAGAR O IAB, MAS A QUITAÇÃO DESTE BOLETO SERÁ UM IMPORTANTE REFORÇO PARA MANTER E QUALIFICAR A ATUAÇÃO DO IAB RS NA DEFESA DOS ARQUITETOS E NA PROMOÇÃO DA ARQUITETURA E URBANISMO.

    Valores da anuidade:
    Arquitetos: R$ 240,00 (promoção: até 31 de dezembro R$ 200,00)
    Estudantes R$ 60,00
    Parcelamento entrar em contato com IAB [email protected]

    Atualize seu dados para receber a revista ESPAÇO IAB.
    Arq. Tiago Holzmann da Silva, presidente do IAB RS.
    A Diretoria

  2. Meus amigos, a 147ª Reunião do Conselho Superior do IAB em Campo Grande foi um sucesso, atestado por todos os Conselheiros e Presidentes que estaduais que aqui estiveram. Como alguns não sabem o Instituto de Arquitetos do Brasil é a primeira entidade dos Arquitetos a ser criada no Brasil em 1921 e que tem Departamentos em todos os estados brasileiros. É uma entidade associativa livre que todos os arquitetos brasileiros podem e devem se associar. O IAB e o IAB-MS estão de portas abertas a todos que queiram participar do nosso maior orgulho profissional nacional, o IAB. Sejam benvindos e somem-se a nós. Quanto ao COSU, é uma reunião que acontece bianualmente em algum departamento estadual, da qual participam Conselheiros e Presidentes, assim como ocorre nas Reuniões de Presidentes e Plenárias dos CAUs. O IAB promove trianualmente Congressos Nacionais, o último foi em Fortaleza-CE, que todos os arquitetos brasileiros podem e devem participar. Do MS, embora amplamente divulgado, haviam 10 arquitetos apenas. Lembrarei que o próximo Congresso será realizado em Brasília, sob a organização do IAB-DF daqui a dois anos. Viva a Arquitetura Brasileira!!!!

  3. Ronaldo Ramos, é justamente esse o conhecimento que tenho dos IABs. Sou formada desde 1977, atuante tanto na profissão quanto no associativismo e tenho a sensação de que esse instituto trabalha para si mesmo. Ainda não tive o prazer de saber que eles se envolveram alguma vez com todos os colegas e principalmente com a sociedade.

    1. Colegas, está havendo um equivoco com a 147 Reunião do Conselho Superior do IAB, realizada em Campo Grande pelo IAB/MS. Esta reunião é somente para conselheiros e presidentes dos IAB’s de todo o Brasil, portanto não é uma reunião aberta a todos os arquitetos ou associados do IAB. São reuniões de diretoria e conselheiros, assim como as reuniões dos conselhos de arquitetura. Jamais o IAB/MS iria realizar um evento para arquitetos e não convida-los seria uma falta de respeito com a classe. E quanto ao trabalho do IAB Walnice, só vou citar a elaboração da tabela de honorários que é mérito do IAB e ainda a luta pela criação do CAU, dentre outros tantos trabalhos e lutas pela categoria que o IAB vem realizando ao longo do tempo. Procure se informar no IAB do seu estado quais as ações que ele faz por você e pela sociedade.

  4. lamentavel a posição do IAB, questionam o CAU MS sobre convocação para seminário, mais quando se trata de um encontro do IAB em Campo Grande com todos os arquitetos pecam por não convocar os arquitetos antecipadamente.

    1. Mas é um avento somente para os associados. É o que parece pelo menos, infelizmente.

    2. Colegas, está havendo um equivoco com a 147 Reunião do Conselho Superior do IAB, realizada em Campo Grande pelo IAB/MS. Esta reunião é somente para conselheiros e presidentes dos IAB’s de todo o Brasil, portanto não é uma reunião aberta a todos os arquitetos ou associados do IAB. São reuniões de diretoria e conselheiros, assim como as reuniões dos conselhos de arquitetura. Jamais o IAB/MS iria realizar um evento para arquitetos e não convida-los seria uma falta de respeito com a classe.

    3. Caro Ronaldo, seja benvindo ao IAB quando você quizer. Estamos propondo abrir um núcleo do IAB em Dourados, MS, onde você poderia ser um dos fundadores.

Os comentários estão desabilitados.

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CAU/BR

NOTA DE ESCLARECIMENTO

CAU/BR

CAU/BR aponta protagonismo feminino na arquitetura e urbanismo durante 98º ENIC

CAU/BR

Comissões do CAU/BR debatem temas de interesse dos arquitetos e urbanistas

CAU/BR

CAU/BR celebra uma década dos primeiros empregados públicos efetivos

Pular para o conteúdo