ARQUITETOS EM DESTAQUE

Juliana Castro: “Sucesso no paisagismo é levar sutileza a espaços urbanos”

A arquiteta paisagista Juliana Castro (Foto: Arquivo Pessoal)

 

Equilíbrio. Para arquiteta e urbanista Juliana Castro, 39 anos, essa é a palavra que define a sua atuação profissional. Com 17 anos de experiência no campo da Arquitetura paisagística, ela é referência catarinense em paisagismo e projetos para espaços públicos e privados de uso coletivo. Formada pela Universidade Federal de Santa Catarina, Juliana também é mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina.

 

“Minha atuação em paisagismo me permite ser muito feliz no que eu faço. O intuito de cada trabalho que desenvolvo é colocar as pessoas em primeiro plano e conciliar as suas vidas com a natureza. Assim, somos capazes de interferir nos ambientes ao ponto de provocar transformações nas pessoas, na vida delas, no dia a dia delas”, explica.

 

Dessa forma, Juliana vem trilhando um caminho de reconhecimento, fortalecimento e valorização do papel dos profissionais de arquitetura e urbanismo. Dos frutos do seu trabalho, recentemente em 2014, recebeu a Menção Honrosa no prêmio pelo projeto da Praça Pedra Branca, 8ª edição do Prêmio Nacional da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA) em parceria com a Revista Projeto Design.

 

Entre projetos importantes da arquiteta também estão a Revitalização da Praça Celso Ramos (2010), Parque Linear do Córrego Grande (2017) e a revitalização das Ruas Felipe Schmidt e Bocaiúva, Parque Marina Beira Mar, ainda em fase inicial. A profissional também teve diversos artigos científicos reconhecidos pelo IFLA World Congress (Internacional Federation of Landscape Architecture).

 

Mas, para a arquiteta e urbanista, não são só premiações que trazem realização profissional. “É mais do que isso. É ver as pessoas ocupando esses lugares. Usufruindo desses espaços que projetamos,  para que fossem usados de forma coletiva. O nosso sucesso na Arquitetura paisagística é levar mais gentileza, levar sutileza para os espaços urbanos que são tão duros e hostis. Realização profissional para mim é ver desde a gratidão de alguém que está colhendo seus tomates nascidos da horta que projetei até as pessoas aproveitando uma grande praça” afirma.

 

Atualmente, Juliana é professora do curso de pós-graduação Master em Arquitetura do IPOG e também assume projetos através do JA8 Arquitetura e Paisagem, onde é arquiteta titular. Desde o começo do ano, integra o Colegiado de Entidades de Arquitetos e Urbanistas do CAU/SC como representante da Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas – Núcleo Santa Catarina (ABAP/SC).

 

 

Por Fabiane Berlesse, da Savannah Comunicação, para o CAU/SC

 

Veja mais histórias de arquitetas e urbanistas brasileiras

Uma resposta

  1. Eu como paisagista formada pela escola de belas artes na UFRJ quero fazer uma pos-graduação qual seria o curso mais apropriado nessa área em Florianopolis?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Mackenzie promove exposição “Carlos Bratke, Arquiteto”. Inscreva-se para assistir mesa redonda dia 29.

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Falece aos 74 anos Jean-Louis Cohen, referência no estudo de arquitetura e urbanismo do século XX

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Oscar Niemeyer: Um ícone da Arquitetura Brasileira rumo ao Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Deputada federal Erika Kokay: “Arquitetos e urbanistas são construtores da liberdade, da democracia e dos direitos”

Skip to content