ARQUITETOS EM DESTAQUE

Leiko Motomura: Pioneira do uso de materiais alternativos na Arquitetura brasileira

Por Anthony Machado, Estagiário do CAU/BR*

 

 

Leiko Motomura, referência no uso de materiais não-convencionais na Arquitetura paulista (Foto: Lígia Vargas/Jornal D’aqui Digital)

 

A arquiteta e urbanista paulistana Leiko Hama Motomura é pioneira no Brasil a usar materiais alternativos e sustentáveis em seus projetos arquitetônicos. Um de seus projetos construídos de maior destaque é o Centro de Cultura Max Feffer, em Pardinho (SP). Exemplo de construção sustentável, a cobertura da obra foi feita com bambus. Foi usado ainda eucalipto, ambos são fibras vegetais renováveis.

 

O edifício foi o primeiro da América Latina a receber o selo LEED, sistema de certificação e orientação ambiental de edificações mais usado no mundo. O projeto ainda recebeu uma menção honrosa na 8ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo, em 2009.

 

Centro de Cultura Max Feffer, projetado pela arquiteta e urbanista (Foto: OTEC)

 

Segundo a arquiteta e urbanista, todos os seus projetos são concebidos de forma integrada com outros especialistas para garantir eficiência, sustentabilidade e segurança. “Monto uma equipe multidisciplinar com especialistas altamente qualificados sobre água, energia, materiais, qualidade do ar interior, iluminação natural, aspectos funcionais e estéticos”, afirma.

 

Leiko promove a sustentabilidade na construção civil desde 1985, quando participou de um encontro sobre Arquitetura solar passiva em Munique, na Alemanha. Logo após o evento, ela buscou estudar mais sobre o assunto em viagens, cursos e seminários no exterior.

 

“Na construção verde, a meu ver, nada é absoluto. Não existe um material que sempre é verde e não existe um material que sempre é a melhor solução para resolver um problema. É preciso pensar sempre na reciclabilidade, no pós-uso e na toxicidade dos materiais” comenta.

 

Leiko Motomura é formada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Prespiteriana Mackenzie, em São Paulo. Em 2006, fundou em Cotia (SP), o escritório Amima – Arquitetura de Mínimo Impacto Sobre o Meio Ambiente, referência em Arquitetura sustentável.

 

 

 

 

* Sob a supervisão de Emerson Fonseca Fraga, Jornalista do CAU/BR

4 respostas

  1. Parabéns a Leiko, gostaria de saber se foi ela também a ganhadora do concurso que definiu a logo da RFFFSA em 1966?

    1. Fui colega dela no Mackenzie e realmente Ela venceu o concurso do logotipo

  2. Parabéns, Leilões. Mais um reconhecimento pelo pioneirismo e alto nível de consciência.

  3. Meus Parabéns!! arq. Leiko Motomura,

    Vejo que no seu único exemplar aqui exposto, demonstra que a sua produção deve ser mais divulgada e reconhecida pela nossa sociedade brasileira e mundial. Seja pela sua marcante presença estética ou apuro técnico.

    arq. Ruy Barbosa.

Os comentários estão desabilitados.

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Projeto brasiliense ganha destaque Internacional no Prêmio ArchDaily Edifício do Ano 2024

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Arquiteto Washington Fajardo vai atuar na Divisão de Habitação e Desenvolvimento Urbano do BID

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Arquitetura Modernista: New York Times indica Brasília como um dos melhores lugares para visitar 2024

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Conheça os profissionais premiados pelo CAU Brasil no Dia do Arquiteto e Urbanista 2023

Pular para o conteúdo