ARQUITETOS EM DESTAQUE

Leiko Motomura: Pioneira do uso de materiais alternativos na Arquitetura brasileira

Por Anthony Machado, Estagiário do CAU/BR*

 

 

Leiko Motomura, referência no uso de materiais não-convencionais na Arquitetura paulista (Foto: Lígia Vargas/Jornal D’aqui Digital)

 

A arquiteta e urbanista paulistana Leiko Hama Motomura é pioneira no Brasil a usar materiais alternativos e sustentáveis em seus projetos arquitetônicos. Um de seus projetos construídos de maior destaque é o Centro de Cultura Max Feffer, em Pardinho (SP). Exemplo de construção sustentável, a cobertura da obra foi feita com bambus. Foi usado ainda eucalipto, ambos são fibras vegetais renováveis.

 

O edifício foi o primeiro da América Latina a receber o selo LEED, sistema de certificação e orientação ambiental de edificações mais usado no mundo. O projeto ainda recebeu uma menção honrosa na 8ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo, em 2009.

 

Centro de Cultura Max Feffer, projetado pela arquiteta e urbanista (Foto: OTEC)

 

Segundo a arquiteta e urbanista, todos os seus projetos são concebidos de forma integrada com outros especialistas para garantir eficiência, sustentabilidade e segurança. “Monto uma equipe multidisciplinar com especialistas altamente qualificados sobre água, energia, materiais, qualidade do ar interior, iluminação natural, aspectos funcionais e estéticos”, afirma.

 

Leiko promove a sustentabilidade na construção civil desde 1985, quando participou de um encontro sobre Arquitetura solar passiva em Munique, na Alemanha. Logo após o evento, ela buscou estudar mais sobre o assunto em viagens, cursos e seminários no exterior.

 

“Na construção verde, a meu ver, nada é absoluto. Não existe um material que sempre é verde e não existe um material que sempre é a melhor solução para resolver um problema. É preciso pensar sempre na reciclabilidade, no pós-uso e na toxicidade dos materiais” comenta.

 

Leiko Motomura é formada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Prespiteriana Mackenzie, em São Paulo. Em 2006, fundou em Cotia (SP), o escritório Amima – Arquitetura de Mínimo Impacto Sobre o Meio Ambiente, referência em Arquitetura sustentável.

 

 

 

 

* Sob a supervisão de Emerson Fonseca Fraga, Jornalista do CAU/BR

4 respostas

  1. Meus Parabéns!! arq. Leiko Motomura,

    Vejo que no seu único exemplar aqui exposto, demonstra que a sua produção deve ser mais divulgada e reconhecida pela nossa sociedade brasileira e mundial. Seja pela sua marcante presença estética ou apuro técnico.

    arq. Ruy Barbosa.

  2. Parabéns a Leiko, gostaria de saber se foi ela também a ganhadora do concurso que definiu a logo da RFFFSA em 1966?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Projeto brasiliense ganha destaque Internacional no Prêmio ArchDaily Edifício do Ano 2024

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Arquiteto Washington Fajardo vai atuar na Divisão de Habitação e Desenvolvimento Urbano do BID

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Arquitetura Modernista: New York Times indica Brasília como um dos melhores lugares para visitar 2024

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Conheça os profissionais premiados pelo CAU Brasil no Dia do Arquiteto e Urbanista 2023

Pular para o conteúdo