ARQUITETOS EM DESTAQUE

Morre Paulo Caruso, o arquiteto que virou cartunista sem se afastar da Arquitetura

Morreu na manhã do dia 4 de março, em São Paulo,  o cartunista Paulo Caruso, um dos maiores da história do país, aos 73 anos. Ele sofria de um câncer no intestino.

 

 

Formado em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, ele nunca exerceu a profissão, mas manteve-se sempre próximo de atividades da área.

 

Por vários anos colaborou com a revista Projeto e, em 2017, ao lado do irmão gêmeo Chico Caruso, também arquiteto, Paulo atuou na campanha “5 Razões para Contratar um Arquiteto” do CAU Brasil. Com humor e desenhos, ambos transmitiram de forma didática a mensagem que marcou a campanha como uma das mais reconhecidas pelo público. Tambem é o autor de totens com caricaturas de Lucio Costa, Oscar Niemeyer, Lina Bo Bardi, Lelé expostas na recepção do CAU Brasil, e Paulo Mendes da Rocha, no CAU/SP. E ainda ilustrou o Manual do Arquiteto e Urbanista editado pelo CAU Brasil em 2015.

 

 

Paulo Caruso começou a vida profissional no “Diário Popular” no final da década de 1960 e também colaborou com os jornais “Folha de S.Paulo” e “Movimento” Nos anos 1970, foi para “O Pasquim”, ao lado de Millôr Fernandes, Jaguar e Ziraldo. A partir de 1988, publicou, na revista “IstoÉ”, a coluna de humor Avenida Brasil, com visão critica da história política do país.

 

Participou do programa Roda Viva, da TV Cultura, desde 1987, retratando entrevistados e entrevistadores. Sua última participação foi no dia 2 de janeiro.

 

Lançou vários livros, entre eles “Avenida Brasil” (1992), retratando o quadro político do país na época, e “São Paulo por Paulo Caruso – Um Olhar Bem-Humorado sobre Esta Cidade” (2004), em homenagem aos 450 anos da capital.

 

Em 1985, no Salão de Humor de Piracicaba, no interior de São Paulo, uniu a paixão pela música ao amor pelos cartuns e montou uma banda só com cartunistas. Recebeu vários prêmios, entre eles, o de melhor desenhista, pela Associação Paulista dos Críticos de Arte – APCA, em 1994.

 

Paulo teve uma trajetória individual bem marcada, mas nunca deixou de fazer parceria com o irmão, em especial na música. ‘Ele era o meu maestro. Agora vai ser difícil manter a carreira em diante”, afirmou Chico, também cartunista.

 

Fontes: UOL e CNN

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Projeto brasiliense ganha destaque Internacional no Prêmio ArchDaily Edifício do Ano 2024

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Arquiteto Washington Fajardo vai atuar na Divisão de Habitação e Desenvolvimento Urbano do BID

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Arquitetura Modernista: New York Times indica Brasília como um dos melhores lugares para visitar 2024

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Conheça os profissionais premiados pelo CAU Brasil no Dia do Arquiteto e Urbanista 2023

Pular para o conteúdo