PATRIMÔNIO CULTURAL

“Mosteiro da Luz”, livro póstumo de Benedito Lima de Toledo, será lançado em 02/10

 

Capa do livro

Será lançado no próximo sábado, 2 de outubro, o livro “Mosteiro da Luz”, de autoria do arquiteto e urbanista Benedito Lima de Toledo. O evento ocorrerá às 10 horas no Museu de Arte Sacra de São Paulo (avenida Tiradentes, 676), que ocupa uma ala do Mosteiro.

 

O livro inédito e póstumo relata a história do importante conjunto arquitetônico colonial inserido no bairro da Luz, região central da cidade de São Paulo. O Mosteiro da Luz preserva até hoje as características de sua técnica construtiva em taipa de pilão e de sua arquitetura de caráter religioso. Frei Antônio de Sant’anna Galvão, o São Frei Galvão, responsável pela construção do Mosteiro da Luz, faleceu em 1822 e seu corpo encontra-se sepultado na igreja erguida em homenagem a Nossa Senhora da Luz.

 

 

Em 2019, após anos de trabalho e pesquisa, o Benedito Lima de Toledo finalizou a obra,  quando, infelizmente, veio a falecer. O livro  teve a coordenação geral de sua esposa Suzana Alessio de Toledo, contendo prefácio de Gabriel Frade, apresentação de Lúcio Gomes Machado, direção de arte de  Marcello de Oliveira e ensaio fotográfico de Maíra Acayaba. A edição é da KPMO Cultura e Arte. A rica narrativa é acompanhada por uma extensa iconografia e curadoria fotográfica primorosa.

 

Fachada | Foto: Maíra Acayaba

 

Benedito Lima de Toledo foi arquiteto, urbanista, acadêmico da APL (Academia Paulista de Letras) – ocupou a cadeira de número 39 que fora de Monteiro Lobato –, Professor Titular de História da Arte e Arquitetura da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, exímio pesquisador e autor de importantes obras publicadas que nos revelam a história da cidade de São Paulo, uma delas o clássico “São Paulo: três cidades em um século”

 

Clausura das religiosas | Foto: Maíra Acayaba

 

Benedito Lima de Toledo formou gerações de alunos”, afirma o arquiteto e urbanista Lucio Gomes Machado na apresentação do livro. “Não conheço arquiteto que tendo sido seu aluno não se tornou seu admirador e mesmo seu amigo. Participou do curso de Formação em Artes da FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado), como professor assistente de Flavio Motta, na Faculdade de Arquitetura de Santos, na Faculdade de Arquitetura Mackenzie e na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP), onde ingressou como professor assistente de Eduardo Kneese de Mello”.

 

Benedito Lima de Toledo

 

Na FAU-USP, Benedito Lima de Toledo, “por décadas, desenvolveu sua carreira de pesquisador, dedicando-se à formação de milhares de alunos na graduação e na pós-graduação como docente e orientador. Na FAU-USP, obteve os títulos de Especialista, Doutor, Livre-Docente e, finalmente, de Professor Titular. A rigor, sua paixão pela pesquisa inicia-se ainda quando estudante, participando do Centro de Estudos Folclóricos, abrigado no Grêmio da FAU-USP, do qual foi presidente. Após sua aposentadoria, continuou suas pesquisas de forma ainda mais intensa”.

 

Lucio Gomes Machado lembra ainda que Benedito Lima de Toledo foi também um dos responsáveis pela elaboração do primeiro levantamento sistemático de bens arquitetônicos de São Paulo, que resultou na primeira lei urbanística de proteção a bens culturais.

 

 

Claustro | Foto: Maíra Acayaba

 

“Mosteiro da Luz” mostra um dos conjuntos arquitetônicos coloniais mais emblemáticos e bem preservados da cidade de São Paulo ganhou vida e virou livro. “O autor, em sua narrativa, volta ao passado para resgatar os espaços simbólicos da cidade, utilizando-se da iconografia com imagens e registros de viajantes, pintores e fotógrafos que retrataram uma São Paulo de tempos passados. Passeia por largos e ruas, para então chegar ao edifício religioso, onde Frei Galvão, arquiteto e construtor, foi o grande artífice da edificação do Mosteiro. Em sua extensa pesquisa, o autor viaja à Lisboa para narrar, com encanto, a história da imagem de Nossa Senhora da Luz”, conta Marcello de Oliveira.

 

No texto, Benedito Lima de Toledo descreve como o convento passa de um lugar de “recolhimento de mulheres, devotas da Divina Providência, para orar continuamente diante do Santíssimo”, até seu fechamento inesperado e a reabertura que inspirou Frei Galvão a edificar uma nova construção, para dar vida ao Mosteiro da Luz que conhecemos hoje.

 

O livro narra episódios como o fechamento do local e a clandestinidade de mulheres religiosas que se escondiam por lá para ficarem recolhidas, até que a ordem de fechamento fosse revogada. A partir do porta-voz das boas novas, Frei Galvão, se dedica a edificação do novo conjunto arquitetônico, erguido em taipa de pilão, técnica construtiva aplicada à época e que mantem-se preservada até os dias atuais.

 

Cela de Frei Galvão | Foto: Maíra Acayaba

 

“Ao leitor – afirma Marcello de Oliveira –  são reveladas as belezas desse riquíssimo patrimônio histórico. O Museu de Arte Sacra de São Paulo ocupa parte do conjunto arquitetônico e abriga uma das mais importantes coleções de obras de arte sacra e religiosa brasileira. Uma grande surpresa ainda é reservada ao visitante: o Presépio Napolitano, também conhecido como o Museu do Presépio, guarda o acervo doado por Francisco Matarazzo Sobrinho.

 

A fotógrafa Maíra Acayba realizou um inédito ensaio fotográfico na área reservada às freiras que vivem em clausura, onde apenas as mulheres tem acesso.

 

Cadeiral do coro das religiosas | Foto: Maíra Acayaba

 

“Além de trazer com maestria toda a história do Mosteiro da Luz, Benedito nos mostra através de sua narrativa detalhes do cotidiano da cidade nesse período colonial, fato que torna ainda mais importante e necessário a preservação de nosso patrimônio e o legado aos paulistas e brasileiros”, completa Marcello de Oliveira.

 

No final da apresentação do livro, Lucio Gomes Machado faz menção especial  a Suzana Aléssio de Toledo,  esposa do autor, “destacada bibliotecária, que colaborou assiduamente nas suas pesquisas bibliográficas e arquivísticas e, agora, promove esta edição”.

 

Lançamento:

Data: 02 de outubro de 2021, às 10h da manhã

Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo

Endereço: Avenida Tiradentes, 676, bairro da Luz – São Paulo/SP

Metrô: Estação Tiradentes

Estacionamento no local

 

Ficha Técnica:

Edição: KPMO Cultura e Arte

Autor: Benedito Lima de Toledo

Coordenação geral: Suzana Alessio de Toledo

Prefácio: Gabriel Frade

Orelha: Lúcio Gomes Machado

Direção de arte: Marcello de Oliveira

Ensaio fotográfico: Maíra Acayaba

Apoio Cultural: AnimaCasa, Pitá e Refúgios Urbanos

Ano: 2021

Número de páginas: 180

Medidas: 22×25 cm

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

PATRIMÔNIO CULTURAL

Plenário do CAU/BR define novos membros da Câmara Temática de Patrimônio, com representantes da sociedade civil

PATRIMÔNIO CULTURAL

Nadia Somekh assume cadeira no Conselho Consultivo do IPHAN

PATRIMÔNIO CULTURAL

CAU Brasil e IPHAN assinam acordo para expandir atuação de arquitetos(as) e urbanistas em sítios históricos

PATRIMÔNIO CULTURAL

Presidente Nadia Somekh vai participar do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural

Pular para o conteúdo