ENTREVISTAS

Nadia Somekh defende papel social do arquiteto durante entrevista para rádio do RS

“Tentamos melhorar a vida da população brasileira, formular políticas públicas mais inclusivas e buscando apoio dos conselhos estaduais”, disse a presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU Brasil), Nadia Somekh, durante entrevista para o Programa Espaço Plural Debates e Entrevistas na tarde desta sexta-feira, dia 23 de setembro.

 

Participaram também do encontro Tiago Holzmann, presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio Grande do Sul (CAU/RS), Gustavo de Mello, especialista em ciências jurídicas e sociais e Edilson Marques, sociólogo, cientista político e antropólogo e atual diretor de habitação do estado do Rio Grande do Sul. O Programa é apresentado por Renato Dornelles e é idealizado pela Rede Estação Democracia com a RádioCom Pelotas.

 

 

 

Na ocasião, Nadia aproveitou a entrevista para agradecer a oportunidade de divulgar para o Brasil ações positivas justamente com o presidente do CAU/RS como o projeto Nenhuma Casa Sem Banheiro, iniciativa lançada em junho de 2020 pelo CAU/RS que busca viabilizar a promoção de melhorias sanitárias domiciliares por meio de projetos executados por profissionais de Arquitetura e Urbanismo.

 

Segundo a presidente do CAU Brasil, a questão social é um tema muito valioso.  “O CAU Brasil define normativas e tem uma visão geral para todo o país observando toda a sua diversidade. Essa ideia do Rio Grande do Sul é uma ação que precisa ser replicada para o Brasil inteiro. Temos trabalhado com a sensibilização, mobilização e reforçando o trabalho no Congresso Nacional e, ainda, com os Conselhos Estaduais, pois é preciso ter uma política de habitação no país”, ressaltou.

 

Nadia destacou a Carta aos Candidatos – O Brasil precisa de mais Arquitetura e Urbanismo! Manifesto das Entidades e do Conselho de Arquitetura e Urbanismo em defesa da Sociedade reforçando o compromisso do CAU com uma agenda pública para moradia digna nessas eleições.

 

“Tentamos melhorar a vida da população brasileira, formular políticas públicas mais inclusivas e buscando apoio dos conselhos estaduais. Valorizar novos arranjos é realizar arquitetura com segurança e saúde pública como o Rio Grande do Sul está realizando com parcerias”, afirmou a presidente do CAU durante a entrevista.

 

Para Thiago Holzmann, presidente do CAU/RS, “todos nós temos direito à moradia digna, entretanto não temos um atendimento público a esse direito”. Ele explicou que desde 2008, temos a Lei Federal nº 11.888, a Lei da Assistência Técnica para Habitação de Interesse Social (ATHIS), que garante famílias com renda de até três salários mínimos assistência técnica pública e gratuita para a elaboração de projetos, acompanhamento e execução de obras necessárias para a edificação, reforma, ampliação ou regularização fundiária de suas moradias.

 

Ele explicou que o CAU vem com uma política continuada. “Temos que começar a romper a inércia. É viável fazer mesmo com pouco recurso e começando a atender as famílias que estão precisando. O projeto Nenhuma Casa Sem Banheiro inicialmente foi adotado emergencialmente nos municípios de Lajeado, Santa Cruz do Sul e Caxias do Sul. Estamos construindo essa ação com parceiros. Temos a expectativa de entregar 500 banheiros até o final do ano. Com a ampliação para outros munícipios como, por exemplo, Canoas, que é uma localidade com grande atendimento teremos 359 projetos em toda a periferia da cidade com 10 arquitetos atendendo 10 projetos”, explicou o presidente do CAU/RS.

 

Edilson Marques lembrou a importância e a necessidade de políticas públicas efetivas. Ele citou que no estado do Rio Grande do Sul existe a ausência de mais de 30 mil banheiros. Para o governo já foram investidos mais de R$ 11 milhões e há a expectativa de entregar até o final do ano 1500 unidades de banheiros para a população. Ele destacou o trabalho desenvolvido pelo CAU.

 

Gustavo de Mello mencionou que no século XXI ainda temos a falta de algo básico: o saneamento. Ele destacou que a falta de banheiros está relacionada a questão social e geográfica. Para ele a falta de saneamento é risco para a saúde.

 

Assista a entrevista.

 

[embedyt] https://www.youtube.com/watch?v=7_7sthYkei4[/embedyt]

 

 

 

MAIS SOBRE: ENTREVISTAS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ENTREVISTAS

Gabriela Tenorio sonha com o dia das “primeiras mulheres” terem assumido tudo  

ENTREVISTAS

#MulherEspecialCAU: Liza Andrade tem forte atuação na defesa da sustentabilidade dos habitats urbanos e rurais do DF

ENTREVISTAS

Em entrevista ao CAU/BR, Giselle Moll reforça importância do apoio às arquitetas e urbanistas que transformam o país

ENTREVISTAS

Diretora do Museu da Universidade Federal do Pará aponta espaço para mulheres na elaboração de planos urbanísticos

Pular para o conteúdo