INSTITUCIONAL

Nadia Somekh encontra-se com presidentes da UIA e da Ordem dos Arquitetos da França

A presidente do CAU Brasil, Nadia Somekh, reuniu-se nesta segunda-feira (13/06), em Paris, com o presidente da União Internacional de Arquitetos (UIA), José Luis Cortés, e com a presidente do Conselho Nacional da Ordem dos Arquitetos da França (OA), Christine Leconte. Ambos foram convidados para participar do II Fórum de Entidades Internacionais de Arquitetura e Urbanismo que o CAU Brasil promoverá em Brasília, em formato híbrido, na sede da Embaixada de Portugal, em fins de julho, como o tema “Mobilidade Profissional Internacional”.

 

Nadia Somekh e José Luis Cortés

 

O presidente da UIA, ex-presidente da Federação de Arquitetos da República do México (FCARM), confirmou sua participação presencial. José Luis Cortés antecipou que o evento será oportuno para que ele apresente aos colegas internacionais a marca que escolheu para sua gestão (2021-2023), que é unir os arquitetos de todo mundo para valorizar a Arquitetura. “Essa questão da unidade da Arquitetura em todo mundo é algo extremamente importante”, segundo Nadia Somekh, pois cria um objetivo comum e amplia o conhecimento da profissão pela sociedade, sua grande beneficiária.

 

Além disso, a UIA também busca ampliar seu protagonismo na defesa da Agenda 2030 (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável). A mudanças climáticas são objeto de nova conferência que ONU, em novembro, no Egito (COP 27) e a UIA debaterá seus impactos nas cidades e do habitat na próxima comemoração do Dia Mundial da Arquitetura (3 de outubro). Outra preocupação é a articular os jovens para participar mais das instituições e agregar mais a juventude na defesa da valorização da arquitetura.

 

A instituição completará 75 anos em 2023 e já iniciou os preparativos para a comemoração, entre eles a edição de um livro.

 

Christine Leconte confirmou participação remota no evento de julho.  “Fiquei muito bem impressionada com o encontro que tive com a presidente da OA e a coincidência da Ordem ter editado há pouco um manifesto, “L´Architeture comme solution”, com 16 pontos, na mesma linha da Carta aos Pré-Candidatos nas Eleições de 2022 recém lançada pelo CAU Brasil em conjunto com as entidades do CEAU”. O manifesto diz que “cuidar do ambiente de vida é, de certa forma, espacializar nossa democracia” e que é papel do arquiteto antecipar-se às crises ambientais para evitar que se decrete indefinidamente a catástrofe natural. “A urgência não deve mais ser demonstrada. Juntos devemos agir!”.

 

Nadia Somekh e Christine Leconte

 

O documento aponta cinco caminhos:

 

 

1 – Reestruturar os territórios, para permitir um desenvolvimento mais equilibrado.

 

2-  Passar de uma política de alojamento para uma política de habitat.

 

3 – Reformar a cidade priorizando a reabilitação.

 

4- Mudar práticas profissionais frente às mudanças climáticas.

 

5- “Descarbonizar” a construção desenvolvendo novos setores de materiais.

 

“A retomada da relação com a OA, agora com nova diretoria, após o período da pandemia, começou bem e temos muito a construir em conjunto.  Particularmente achei interessantes as publicações e o modo que eles têm de valorizar os arquitetos e a arquitetura, tanto pela formulação de legislação, quanto de documentos técnicos”, afirma Nadia Somekh.

 

Nadia Somekh na UIA com Sophie Godet (diretora administrativa geral) e Marie-Aude Bailly-Le Bars (diretora de ação política)

 

MAIS SOBRE: INSTITUCIONAL UIA

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

UIA

Presidente da União Internacional de Arquitetos (UIA) envia mensagem para participantes da COP28

UIA

UIA divulga nota de solidariedade aos países afetados por desastres naturais

UIA

Dia Mundial da Arquitetura: Arquitetura para Comunidades Resilientes

INSTITUCIONAL

CAU Brasil combate assédio moral no trabalho com campanha Inimigo Invisível

Pular para o conteúdo