CAU/UF

No aniversário de Belo Horizonte, cidade lança a Virada Criativa

 

Centenas de pessoas, de entidades e associações, interessadas no Futuro de BH, se reuniram no dia 11 de dezembro para participar da Virada Criativa. Coordenada pelo arquiteto Guilherme Takeda, a metodologia denominada charrete é largamente utilizada nos Estados Unidos e foi aplicada para a construção do presente para BH. Na etapa proposta para BH, consistiu-se na participação da população para a formulação de propostas e projetos, que expressam os seus desejos e as propostas em forma de croquis e desenhos. Isso mesmo, crianças, adultos e a terceira idade são desafiados a desenhar e projetar, com liberdade absoluta, aquilo que gostariam para a cidade. Durante 4 horas ininterruptas, moradores de Belo Horizonte se debruçaram sobre folhas brancas, lápis e canetas de colorir para planejar a cidade. Num clima de alegria e generosidade, um silêncio moderado indicava o envolvimento e a imersão dos participantes no mundo do planejamento urbano. Em seguida eram convidados a organizar cada desenho em um dos cinco grupos temáticos: (1)planejamento, desenvolvimento urbano e habitação, (2)circulação, transporte e mobilidade, (3)meio ambiente, sustentabilidade e resiliência, (4)polos de desenvolvimento econômico e (5)equipamentos de cultura e lazer.

 

Encerrada esta etapa, arquitetos e urbanistas, engenheiros, designers, artistas e estudantes se debruçaram sobre mais de 400 desenhos e selecionaram alguns exemplos em cada um dos grupos temáticos para serem desenvolvidos. Ao longo das 10 horas seguintes, virando a noite e encerrando no início da manhã do dia 12 de dezembro, data de comemoração do aniversário de 118 anos de Belo Horizonte, alguns desenhos foram desenvolvidos, transformando-se em estudos e propostas de intervenção para a reinvenção da cidade. Em seguida, em evento festivo, as mesmas foram entregues para as autoridades do Município, em local emblemático: o Museu Histórico Abílio Barreto, o Museu da Cidade.

 

O Museu Histórico Abílio Barreto (MHAB) está localizado na casa da antiga Fazenda do Leitão, remanescente arquitetônico dos arredores do Arraial do Curral del Rei e inaugurado na década de 1940 à partir do esforço e dedicação do jornalista e escritor Abílio Barreto, que convidado a organizar o Arquivo Geral da Prefeitura, passou a recolher documentos e objetos que deveriam integrar o futuro museu da história da cidade. O Curral Del Rei e em seguida a Cidade Planejada: será o momento da cidade desejada, tendo como protagonista desta transformação a participação cidadã?

 

Conheça os detalhes da Virada Criativa em www.facebook.com.br/viradacriativabh

MAIS SOBRE: CAU/UF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CAU/UF

Conselho de Arquitetura e Urbanismo do RN anuncia concurso público para níveis médio e superior

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Roberto Bratke, arquiteto que transformou a paisagem da zona sul de São Paulo, morre aos 88 anos

ASSESSORIA PARLAMENTAR

NOTA OFICIAL: Esclarecimentos sobre o PL 2081/2022

CAU/UF

Profissionais debatem os desafios das arquitetas e arquitetos negros

Pular para o conteúdo