CATEGORIA

Novo volume do projeto Cadernos abre as “portas” da paisagem

Lançamento da publicação marcou a abertura de seminário internacional sobre paisagem | Fotos: Raul Kawamura

 

Uma noite para marcar a força da paisagem nas cidades, suas histórias e identidades. Assim pode-se resumir o evento de abertura do II Seminário Internacional Paisagem e Jardim como Patrimônio Cultural México/Brasil e de lançamento da publicação “Cidade-paisagem”, segundo volume da série Cadernos do CAU/PE, realizado na última segunda (20), no Forte do Brum. A noite culminou com a indicação de praças de Roberto Burle Marx no Recife ao título de patrimônio mundial por parte do arquiteto mexicano Saúl Alcántara Onofre.

 

O novo volume do Caderno apresenta a paisagem em cinco “portas” – arte, natureza, experiência, cultura e projeto –, cada uma delas abordada respectivamente pelos professores Lúcia Veras, Onilda Gomes Bezerra, Fábio Cavalcanti, Julieta Leite e Ana Rita Sá Carneiro, todos do Laboratório da Paisagem da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). “Procuramos superar a ideia de panorama e vincular a paisagem às expressões que surgem dos usos dos espaços”, comentou Lúcia Veras ao apresentar a publicação, enfatizando ainda a responsabilidade do profissional arquiteto urbanista na construção das paisagens futuras.

 

Para o presidente do CAU/PE, a publicação traz à tona a paisagem enquanto agente revelador da cidade como sistema, apresentando uma complexa topografia urbana e humana. “O nosso papel com essa série de publicações intitulada Cadernos de Arquitetura e Urbanismo é fazer essa ponte entre o conhecimento e a sociedade para, assim, empoderar gestores e cidadãos na missão que todos temos de construir as cidades que precisamos”, afirmou.

 

Representando o presidente do CAU/BR Haroldo Pinheiro na ocasião, o conselheiro federal por Pernambuco Fernando Diniz elogiou a cooperação entre o Conselho e a Universidade. “Tínhamos um afastamento histórico no antigo sistema, mas desde sua fundação, o CAU adotou a política de aproximação com a academia, que tem gerado como frutos essa publicação”, pontuou.

 

Também presente ao evento, o prefeito em exercício Luciano Siqueira destacou os desafios de gerir uma cidade originalmente ocupada de maneira desordenada como o Recife. “Nós todos nos apoiamos muito na expertise e no olhar crítico dos arquitetos e urbanistas. E, quando nos debruçamos sobre a paisagem, reconhecemos a pulsação da presença humana na cidade”, afirmou durante a abertura. Para a presidente da Fundarpe, Márcia Chamixaes, a publicação e o seminário contribuem para a construção de um novo olhar sobre a paisagem. “A luta pela preservação desses espaços tem de ser permanente”, resumiu.

 

Entre profissionais e estudantes de arquitetura e urbanismo, estiveram presentes ainda ao evento representantes de instituições da área, como o presidente do Instituto da Cidade Pelópidas Silveira, João Domingos Azevedo ; o presidente do IAB-PE, Roberto Ghione; o presidente do Sindicato dos Arquitetos de Pernambuco (Saepe), Henrique Lins; e a diretora de planejamento urbano da URB de Caruaru, Keyla Porto.

 

 

Fonte: CAU/PE

MAIS SOBRE: CATEGORIA

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Central de Atendimento do CAU/BR não funcionará na Sexta-feira Santa

ACERVOS

Seminário TOPOS:  CAU/BR e FAU/UnB promovem debate sobre a importância de acervos e arquivos de urbanismo no país 

#MulherEspecialCAU

“Arquiteta, na solidão da sua profissão, seu nome pede valorização!”, defende Tainã Dorea

Assistência Técnica

Mais médicos/Mais arquitetos: mais saúde para o Brasil (artigo de Nadia Somekh no portal do Estadão)

Pular para o conteúdo