CAU/UF

CAU/AM fiscaliza obra que desabou em hospital de Manaus

 

Um anexo que estava sendo construído no Hospital Adventista, localizado no distrito industrial, zona sul de Manaus, desabou na manhã desta quarta-feira (16). Por volta das 6h35 o prédio veio abaixo no momento que os operários tomavam café. O corpo de bombeiro foi acionado ao local para verificar possíveis vitimas. De acordo com a Assessoria de Imprensa do hospital, apenas um menino de oito anos teve ferimentos leves.

 

 

O CAU/AM foi um dos primeiros órgãos fiscalizadores de atividade e exercício profissional a chegar ao canteiro de obras para verificar se as exigências e responsabilidades técnicas estão de acordo com a legislação. Para André Ribas, fiscal do CAU/AM, essa ação visa estabelecer parâmetros nas possíveis ações corretivas e até mesmo preventivas. “Em relação ao projeto do anexo do hospital, encontramos registro regularizado do profissional, porém uma informação contida na placa da obra está diferente do que encontramos no nosso sistema, mas faremos todo o levantamento cabível e logo nos pronunciaremos diante desta situação”, enfatiza. As causas do acidente serão investigadas pela defesa civil e os órgãos competentes. O CAU/AM teve acesso ao local do acidente e está apurando os fatos.

 

CAU/AM NA MÍDIA

 

 

Em entrevista concedida à TV Amazonas, afiliada da Rede Globo em Manaus, o fiscal do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Amazonas (CAU/AM),  André Ribas informou à equipe de reportagem quais ações que deverão ser tomadas pelo CAU/AM.

 

LINKS RELACIONADOS:

G1 AMAZONAS – Obra de hospital desaba e deixa criança ferida na Zona Sul de Manaus

Portal Acritica.com – Anexo em obras no Hospital Adventista desaba na manhã desta quarta-feira (16), no DI

 

Fonte: CAU/AM

 

Publicado em 17/09/2015

MAIS SOBRE: CAU/UF

6 respostas

  1. Em certa ocasião solicitei uma avaliação sobre um prédio que estava com problemas ao CAU/RS, responderam que não fazem este tipo de fiscalização, mas após o sinistro lá estão eles “PARA A FOTO”. Não seria mais prudente evitar a tragedia?

  2. Muito boa ação do CAU, mas vejo que os conselhos agem após o acontecido, devemos ter o direito de fiscalizar a obra durante, também, para isso “os conselhos” devem realizar um lobby no congresso para que isso aconteça. Toda obra deve ter seguro também, esse é mais um parceiro que podem nos ajudar nesse processo.

  3. O que me chama é que sempre chegamos depois, vide texto…O CAU/AM foi um dos primeiros órgãos fiscalizadores de atividade e exercício profissional a chegar ao canteiro de obras para verificar se as exigências e responsabilidades técnicas estão de acordo com a legislação….Deveríamos prever, e não realizar corrida do sinistro…Aonde estava a fiscalização e os famosos selinhos…Algo errado…!!!!

  4. Se for constatado que tudo foi feito em conformidade com as respectivas atribuições profissionais de cada Responsável Técnico envolvido, ( Projeto, execução, …etc)a conclusão das investigações certamente apontará para um binômio bem conhecido aqui no Brasil:

    . Obra SUPERfaturada e SUBdimensionada…

Os comentários estão desabilitados.

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CAU/UF

Conselho de Arquitetura e Urbanismo do RN anuncia concurso público para níveis médio e superior

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Roberto Bratke, arquiteto que transformou a paisagem da zona sul de São Paulo, morre aos 88 anos

ASSESSORIA PARLAMENTAR

NOTA OFICIAL: Esclarecimentos sobre o PL 2081/2022

CAU/UF

Profissionais debatem os desafios das arquitetas e arquitetos negros

Pular para o conteúdo