CAU/UF

Oficina sobre Tabela de Honorários ocorreu no CAU/SP

Aconteceu no último dia 22/09 a I Oficina sobre a Tabela de Honorários de Serviços de Arquitetura e Urbanismo – CAU/BR, no Auditório do SINAENCO, na capital paulista. O objetivo da atividade foi apresentar a ferramenta de quantificação do trabalho dos arquitetos, tanto em termos de escopo como de remuneração, desenvolvido no âmbito do CEAU-BR (Colegiado das Entidades Nacionais dos Arquitetos e Urbanistas), com o apoio das entidades representativas da categoria.

 

O evento foi organizado pelo Coordenador do Grupo de Trabalho Exercício Profissional do CAU/SP, Eduardo Sampaio Nardelli, e contou com palestra do economista Roberto de Castro Mello, um dos protagonistas do trabalho de elaboração da Tabela, que fez uma apresentação detalhada aos participantes, entre eles: contratantes públicos dos serviços de Arquitetura e Urbanismo, como a CPOS – Cia. Paulista de Obras, FDE – Fundação para o Desenvolvimento da Educação, Metro, CPTM, EMPLASA, SEHAB, SMT, COHAB e SP – Urbanismo.

 

 

Durante a atividade, foram apresentadas dúvidas e sugestões para o aperfeiçoamento da ferramenta, que está hospedada no site do CAU/BR e realiza o automaticamente as operações para a composição do preço final de um projeto arquitetônico.

Ao final do encontro, o GT Exercício Profissional se colocou à disposição das instituições que compareceram ao evento para a realização de apresentações similares para os respectivos públicos internos, a fim de que a Tabela se transforme no marco referencial para todas as contratações de serviços de arquitetura e urbanismo no país.

 

No próximo período, o GT realizará visitas às sedes regionais do CAU/SP para divulgar a Tabela em todo o Estado.

 

 

Publicado em 25/09/2015. Fonte: CAU/SP

MAIS SOBRE: CAU/UF

7 respostas

  1. O CAU deveria elaborar uma Tabela Simplificada de Honorários voltada para as Atividades Técnicas mais rotineiras.
    .
    A atual possui várias fórmulas de cálculo muito complexas, consideradas de difícil compreensão por parte de muitos Profissionais.
    .
    Outro problema é o Comportamento Antiético na indicação do valor do contrato nos R.R.Ts… Com receio de serem detectados pela Receita Federal, muitos “colegas” registram valores contratados para os mais diversos serviços, muito abaixo do mínimo aceitável no mercado.
    .
    É muito comum por exemplo, R.R.Ts referentes a Projetos de parcelamento de solo mediante loteamento, apresentarem valor contratual inferior a R$ 10.000,00 e para Projetos Arquitetônicos, valores inferiores a R$ 1.000,00 mesmo para áreas de construção superiores a 100,00m².
    .
    Essa prática acaba estimulando a concorrência desleal, além de distorcer os parâmetros relativos à valores de honorários, uma vez que para a Sociedade Civil ( nossa Cliente ), o valor indicado no R.R.T, é reconhecido como o oficial praticado no mercado de trabalho.

    1. .
      Obrigado pelo retorno, mas creio que quando os procedimentos são simples, não necessitam videos tutoriais …
      .
      O que precisamos, é de um tabela simplificada, homologada pelo CAUBR, para as atividades mais rotineiras do Arquiteto.
      .
      Apenas isso.

  2. Agradecendo novamente pela atenção, informo que já recorri várias vezes à Ouvidoria do CAUBR.
    .
    Aliás aproveito para deixar aqui registrado também, que possuo uma solicitação protocolada na Ouvidoria do CAU SP, que está pendente desde o dia 11 / 09 / 2.015 ( portanto há quase UM MÊS ) que acompanho diariamente, mas infelizmente até o momento, não obtive nenhuma resposta.

  3. Concordo com o Gilberto.
    Além disso acho que o CAU deveria se orientar melhor os profissionais a respeito dos honorários, assim estariam valorizando, principalmente os novos profissionais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CAU/UF

Conselho de Arquitetura e Urbanismo do RN anuncia concurso público para níveis médio e superior

ARQUITETOS EM DESTAQUE

Roberto Bratke, arquiteto que transformou a paisagem da zona sul de São Paulo, morre aos 88 anos

ASSESSORIA PARLAMENTAR

NOTA OFICIAL: Esclarecimentos sobre o PL 2081/2022

CAU/UF

Profissionais debatem os desafios das arquitetas e arquitetos negros

Pular para o conteúdo