CAU/BR

Pesquisa do CAU/BR repercute na imprensa de todo o país

 

Após merecer grande divulgação no Fantástico, da TV Globo, a pesquisa CAU/BR-DataFolha vem ganhando repercussão em veículos de imprensa em todo o Brasil. A pesquisa teve como objetivo captar a percepção da população brasieleira sobre temas de Arquietura e Urbanismo.

 

Os sites especializados em Arquitetura e Urbanismo, como Arcoweb, Pini e ArchDaily deram grande destaque aos resultados da pesquisa, realizada com 2.419 pessoas em todo o Brasil. A revista AU, publicada pela editora Pini, publicou entrevista com o presidente do CAU/BR, Haroldo Pinheiro, sobre os resultados do levantamento. Leia aqui.

 

Em Alagoas, o assunto foi destaque no principal telejornal do Estado, o ALTV. A matéria traz o caso de um empresário alagoano que teve que parar a obra de sua padaria por conta dos problemas causados pela falta de planejamento. Assim que contratou uma arquiteta, ele obteve o resultado esperado. Assista aqui.

 

 

No Mato Grosso, o telejornal da TV Globo no estado também divulgou a pesquisa e conversou com arquitetos de Cuiabá, como o presidente do CAU/MT, Wilson de Andrade. Ele explica a importância de programar a obra com um profissional de Arquitetura e Urbanismo. Veja aqui.

 

 

No Rio de Janeiro, a Rádio Roquette Pinto entrevistou o presidente do CAU/RJ sobre os perigos de se construir sem auxílio técnico especializado. Ouça aqui.

 

No Rio Grande do Norte, a pesquisa do CAU/BR ganhou destaque no Portal No Ar. Leia aqui.

 

Veja abaixo a repercussão:

 

Diário Catarinense: Pesquisa revela que mais de 80% dos brasileiros fazem obra sem arquiteto ou engenheiro

Floripa News: Pesquisa revela que mais de 80% dos brasileiros fazem obra sem arquiteto ou engenheiro

TV Centro América: Maioria das reformas no Brasil é feita sem auxílio profissional, diz pesquisa (Globo MT)

Band: Economia e segurança na hora de reformar (Bahia)

Gazeta de Alagoas: CAU divulga pesquisa sobre reformas

AECweb: O CAU/BR e o Datafolha realizaram pesquisa

BV News: Obras e reformas são feitas sem auxílio de profissionais especializados (Roraima)

Maxpress: Maioria da população ainda desrespeita a Lei das Reformas, revela pesquisa Datafolha

Bom Dia Amazônia: Em Roraima, diversas obras estão inacabadas e não têm acompanhamento técnico

CAU/RJ: Rádio repercute resultado da pesquisa Percepções da sociedade sobre Arquitetura e Urbanismo
CAU/BA: Presidente do CAU/BA Fala Sobre Economia e Segurança na Hora de Reformar

CAU/GO: Depoimento de Arnaldo Mascarenhas Braga  para a Rádio Interativa

O DIA: Maioria dos brasileiros faz obras e reformas sem ajuda de profissionais

Estadão: É fundamental pintar o imóvel antes de vender

CAU/PB: Pesquisa DataFolha para o CAU/BR repercute na mídia paraibana

Diário dos Campos: Brasileiros fazem obras e reformas sem auxílio de especialistas

A Gazeta do Iguaçu: Maioria dos brasileiros não contrataram profissionais em obras

Gazeta Do Povo: Maioria das obras é feita sem acompanhamento técnico

Abea: Pesquisa Datafolha – CAU/BR

RBS TV:  Lei que garante arquiteto social para famílias carentes não está regulamentada na capital

CAU/BR: PESQUISA INÉDITA: Percepções da sociedade sobre Arquitetura e Urbanismo

CAU/BR: Fantástico da TV Globo valoriza papel técnico e social do arquiteto

Fantástico: Mais de 80% dos brasileiros fazem obra sem arquiteto ou engenheiro

AL TV: Pesquisa mostra que quase 93% das pessoas fazem obras em casa por conta própria

MT TV: Maioria das obras no Brasil é feita sem auxílio profissional

Arco: ARQUITETO PARA QUÊ?

ArchDaily: 85% dos brasileiros constroem sem o auxílio de arquitetos ou engenheiros

aU: Apenas 7% dos brasileiros já utilizaram serviços de arquitetos em obras

aU: Número de pessoas que contratam arquitetos é menor do que o esperado pelo CAU-BR

Portal Noar: Maioria dos brasileiros faz obras e reformas sem auxílio de profissionais especializados

Rádio Roquette Pinto: Entrevista com o presidente do CAU/RJ

IAB: Percepções da sociedade sobre Arquitetura e Urbanismo

FNA: Pesquisa aponta que a maioria dos brasileiros faz obras e reformas sem auxílio de profissionais especializados

CAU/PB: Presidente do CAU/PB avalia pesquisa DataFolha publicada pelo CAU/BR

MAIS SOBRE: CAU/BR CAU/UF

20 respostas

  1. Caros Geraldo, Régis, Rafael e Paulo

    Posso falar sobre isso com propriedade, pois, fui conselheira do CAU, na primeira gestão e, como não tinha condições de estruturar uma carreira solo, sempre trabalhei para alguém, nas condições que vocês relatam. Devido a isso, dentro da Comissão de Exercício Profissional, da qual fiz parte, sempre levantei esse tema e sugeri ideias para que se saísse pelo menos do faz de conta e se encarasse a realidade. Sugeri, inclusive, que trouxéssemos essa discussão a toa, realizando algum debate ou coisa assim.
    Entretanto, depois de muito tentar, percebi que, de fato, não é interessante para a grande maioria dos arquitetos que lá se encontram, levar a frente essa questão. Pois, a grande maioria são de funcionários públicos e donos de escritório, ambos têm medo de perder benefícios ao tocar em tal ponto. Só havia eu que, pelo menos, admitia ter enfrentado tais situações e que não almejava fazer algo assim para quem vem depois! Essa é a questão primordial, na verdade. Como a classe média brasileira reage a situações como essas? “Ela quer” chegar ao ponto de ser ela a estar no comando. Subjugando, assim, quem vem atrás. “Ela” não quer o bem de todos, de toda a classe… Cada um quer o seu bem!
    É assim que se vota, neste país. É assim que se faz tudo, por aqui!
    Att,
    Fátima

  2. Qual é a confiabilidade desta pesquisa? Quanto representa 2419 pessoas num país de mais de 200 milhões de pessoas? Fiz as contas = 0,0001%. E a mídia ainda publica como FATO e todo mundo bate palminhas pro CAU!

    Essa pesquisa não é cientificamente correta, não seguiu os critérios corretos e nem sequer obteve número de amostras adequado para o tema e sua abrangência.

    Abre o olho arquitetada!!! Essa pesquisa não é válida! Ela corresponde à 0,0001% da população brasileira!

    1. Raquel, a pesquisa foi realizada pelo Instituto Datafolha, uma das principais instituições da área no país e seguiu os melhores métodos da ciência estatística. Não se trata de um Censo, como foi feito com os arquitetos em 2012, mas de uma pesquisa por amostragem, que representa toda a população economicamente ativa do país, cerca de 100 milhões de pessoas. Para se ter uma ideia do esforço despendido pelo CAU, as pesquisas eleitorais nacionais extraem a percepção de todos os eleitores brasileiros a partir de 2.000 entrevistas – menos do que a pesquisa feita pelo CAU. São métodos científicos consagrados internacionalmente desde o século passado. A confiabilidade da pesquisa é total.

  3. O CAU realmente tem apresentado uma ação mais efetiva na defesa do espaço do arquiteto para ampliar o seu campo de trabalho no mercado da construção no Brasil. Mas precisa atuar também juntos às universidades para a formação de um arquiteto mais preparado para o mercado. Seria de suma importância a criação do Exame de Verificação da Capacitação dos novos profissionais, tal qual o Exame de Ordem da OAB. Estão ciando muitas escolas de arquitetura sem estrutura nenhuma, até mesmo sem professores, exemplo a Escola de Arquitetura da UFG na Cidade de Goiás – GO.

  4. Aguardo melhora para nós Arquitetos através destas pesquisas e divulgações em relação as nossas atribuições e trabalhos. Na minha cidade (Barra Mansa – RJ), ainda prevalece obras particulares sem a placa do Autor do Projeto Arquitetônico ou com placa somente de Engenheiros Civis, em desacordo com a Res. nº 51 – CAU.

  5. Parabém a toda direçäo do CAU NACIONAL pela matéria em nível nacional. de grande repercuçäo mostrando de forma clara da importância do trabolho do arquiteto e que o nosso trabalho faz toda a diferença na qualidade dos espoços e de vida seja nas moradias e nos espaços urbanos das cidades brasileiras
    Arq Greorio Repsold
    Conselheiro IAB

  6. Parabéns pela atuação do conselho, em mostrar a importância da execução de obras com projetos e aprovação na Prefeitura.
    Acho importante também que além da conscientização da população, deve o CAU solicitar a Prefeitura que fiscalize, multe e embargue obras irregulares, na ocasião de formação do CAU, sugeri que fossem aproveitados estudantes de Arquitetura, para realização de vistorias nas ruas dos bairros e condomínios, e onde fossem detectadas obras irregulares, ou sem firma com registro no CAU ou CREA, fossem as mesmas embargadas. Fazer obras sem projetos aprovados ou responsável técnico, ou com biscateiros, é o mesmo que um leigo dar consultas médicas , é o exercício ilegal da profissão. Os Condomínios que contribuem para esta prática ilegal deveriam ser multados.

  7. Sou Arquiteto há poucos anos, tenho mais de 30 anos de trabalho e nos últimos 20 anos fui gestor em grandes empreendimentos nas áreas de manutenção predial e operações, hoje estou desempregado, e sinto que infelizmente o arquiteto não é valorizado, as vezes eu acho que as pessoas tem medo que cobramos caro e as vezes pensam que não sabemos de nada de obra ou reparos ou manutenção. Só esse mês tivemos 02 sinistros em duas edificações conhecidas em São Paulo, o CAU deveria estar lá representado, pois quem foi entrevistado em uma das reportagem, foi o segurança do prédio. Os deputados precisam aprovar uma lei que coloque o CAU e CREA como órgão fiscalizador com poder de policia, pois obra irregular deve ser embargada.

  8. Parabéns pela pesquisa.
    A única forma de fazer uma abordagem profissional e eficiente
    sobre qualquer assunto é com dados confiáveis. A matéria publicada no Fantástico teve ótimo enfoque, priorizando demonstrar que o arquiteto é profissional capaz de atender qualquer faixa de baixa renda e/ou qualquer tamanho de obra, quebrando um tabu histórico do qual originou-se a crença errônea que arquiteto “é coisa pra rico”. Quebrar este tabu é vital para que a população perceba no arquiteto um grande aliado e abre as portas para um imenso mercado de projetos e obras.

  9. Parabéns pela iniciativa de concursos de projeto chega de fazer os projetos filho,neto ou sobrinho do governador, do prefeito. mas tem um agravante ai temos que acabar com o processo de licitação tipo pregão eletrônico que entra qualquer profissional sem capacidade técnica pra elaboração de tal projeto principalmente os específicos como hospital clinicas e muitos mais. para que vejam uma coisa um projeto feito pelo exercito foi dado o preço básico de 100,00 reais por m2 e sai no pregão eletrônico pelo valor de 5,90 reais por m2 o profissional n consegue nem pagar as copias por este valor e da como fica isso . precisamos que o CAU tenha uma posição sobre isso porque projeto n e produto e sim criação e n pode ser vendido como se fosse farinha ou martelo que quem dá o nemor preço ganha a licitação. somos a favor de que os profissionais sejam pre qualificados em cada área considerando que os projetos seriam de técnica e preço . atenciocamente arquiteto RAYMUNDO BARIZON , CAMPO GRANDE MS

  10. Qual o papel do CAU,com relação a pesquisa…muito interessante a repercussão , até o momento nada vem sendo realizado ,continuamos sendo pesquisa de fatos e dados que nos acompanham.Quais os procedimentos da CAU pelo Brasil como politica da nossa profissão.Com 38 anos de profissão pouco foi feito,principalmente nestas ultimas décadas.Muito discurso pouca ação.

    1. Geraldo, desde sua fundação o CAU/BR vem cumprindo sua missão institucional com a criação do Código de Ética, da definição dos Direitos Autorais em AU, a divulgação da Tabela de Honorários, a atuação no Congresso Nacional, a publicação de editais de patrocínios, a realização da Conferência Nacional de Arquitetura e Urbanismo, entre dezenas de outras ações. Para saber mais, por favor clique em http://www.caubr.gov.br/?p=36473

    2. Simplória explicação ,não preciso clicar para saber que estas ações são meras determinações da nossa profissão, que já estão incorporadas ,quando realizamos o juramento como arquitetos..CAU não efetiva o que existe nas pequenas e medias cidades…onde prefeituras não tem a devida informação do que somos e para que servimos, como profissionais arquitetos e urbanistas.Respondam quantos formados somos e quantos estão trabalhando de fato.Moro no RS onde tem 400 municípios no meu caso da cidade Camaquã e sua região . nunca houve apresentação do CAU realizando qualquer fiscalização ou contato com os profissionais.Como o colega que informa …Pesquisar a quantidade de escritórios de arquitetura que não assinam carteira de Arquiteto e pagam salários ridículos, sem férias ou 13o. salário vocês não pesquisam… e dizem para denunciar…por favor o CAU não sabe aonde estão estes escritórios…é piada..!?Qual o papel do CAU é andar na frente e não atras…das nossas necessidades…Vamos fazer de faz de conta…que se faz fiscalização e eu acredito que realizam…Afinal sair no Fantástico é importante,!

  11. Como faço para me cadastrar no banco de dados de arquitetos do CAU para prestadores de serviço autônomo?

  12. Pesquisar a quantidade de escritórios de arquitetura que não assinam carteira de Arquiteto e pagam salários ridículos, sem férias ou 13o. salário vocês não pesquisam…

    1. O CAU pede CPF do denunciado e do denunciante, é como chegar na delegacia e dizer o nome e o CPF do bandido que te assaltou. Isso me parece amador.

  13. Quando me diplomei, à 45 anos atrás, eram apenas um pouco menos dos verificados agora.

    Arq. Paulo Lemos

Os comentários estão desabilitados.

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CAU/UF

CAU/RS mapeia situação dos profissionais de arquitetura e urbanismo do estado  

CAU/BR

Inegável a relação entre o turismo e a profissão de arquiteto e urbanista

CAU/BR

NOTA DE ESCLARECIMENTO

CAU/BR

CAU/BR aponta protagonismo feminino na arquitetura e urbanismo durante 98º ENIC

Pular para o conteúdo