CAU/BR

AO VIVO: Plenária discute construção da sede própria do CAU/BR

Nesta sexta-feira, 8 de julho, o CAU/BR realiza uma reunião plenária extraordinária para discutir a construção de sua sede própria, em Brasília. Na ocasião será assinado o contrato de parceria entre o CAU/BR e o IAB-DF. Pelo acordo, o IAB-DF disponibilizará um terreno na região central de Brasília onde será feita a obra, sob responsabilidade do CAU/BR. O prédio servirá de sede às duas instituições. A Caixa Econômica Federal realizou um laudo de avaliação do lote, que será apresentado na reunião aos conselheiros federais.

 

O projeto arquitetônico será objeto de um concurso público nacional, com participação aberta a todos os arquitetos e urbanistas brasileiros. O edital do concurso público deverá ser lançado ainda durante o mês de julho.

 

A 3ª Reunião Plenária Extraordinária do CAU/BR começa às 14h, com transmissão ao vivo pelo site do CAU/BR.

 

MAIS SOBRE: CAU/BR PLENÁRIAS

65 respostas

  1. O IAB vai “disponibilizar” o terreno?
    Não seria melhor termos nosso próprio terreno sem depender de “favores” de outras instituições.
    Qual será o preço de tudo isto?
    Concurso baseado em que criterios? Melhor custo? Plastica mais bonita? Qual a porcentagem que ficará com cada parte já que o IAB é o dono do terreno.

    1. Link nao informa os questionamentos postados, além de estar desatualizado

  2. Não queremos mais um “Palacio” na paisagem de Brasilia.
    Quero ações de reconhecimento de minha profissão espalhadas por meu país.
    Enquanto não formos merecedores de reconhecimento perante a sociedade e por outras categorias profissionais (a começar pelas engenharias) acho que não tem justificativa uma construção nos termos propostos.

    1. .
      Não se iluda Colega….
      .
      A valorização da nossa Profissão só depende de NÒS…
      .
      Enquanto existir “profissionais” fazendo projetos a “R$1,99” a situação não vai mudar…

  3. Essa transmissão péssima é recorrente no CAU. O que adianta pagar pra transmitir se não adianta nada? Zero transparência! Sem contar que não podemos participar da discussão ou fazer questionamentos.

    Sobre a sede, qual a justificativa para ficarmos para sempre dependentes do IAB? Deveria haver independência!

    Melhorem…

  4. .
    No país das inversões de valores, causa muito menos indignação, reação e perplexidade aos profissionais de Arquitetura e Urbanismo, o Governo sancionar uma Lei (que diga-se de passagem é um “tapa na cara” dos cidadãos honestos que não aguentam mais tanta corrupção) que permite contratar obras sem projeto completo, do que o respectivo Conselho planejar e discutir a construção da Sede própria…

    1. Acredito que nao seja inversão de valores, mas sim falta de publicidade dos projetos propostos.
      Muitas vezes só se dá ampla publicidade após a votação de determinada matéria.
      Não vejo como ruim o posicionamento contra ou a favor para a construção da Sede própria, pois como comentado aqui no forum, falta sim uma reflaxão mais profunda das reais necessidades de nossa profissão.

  5. Não consegui acompanhar nada desta plenária. Áudio péssimo!
    O que está acontecendo?

  6. Concordo com Antonio Mendes e aos demais. Esta obra tá mais para levantar o ego de alguns arquitetos do que realmente em atender alguma necessidade imediata de espaço.
    Este modelo de transmissão em que nao podemos interagir com a reunião também é falha, principalmente quando o assunto é “polemico”.

    1. Desculpe caro colega, em nenhum momento eu disse que atender ao ego se relacionasse a falta de necessidade.

      Há sim necessidade do conselho ter sua sede, o que eu disse é em relação a como será construída, se para simplesmente atender egos ou se haverá equilíbrio no tripé. É preciso uma sede funcional e duradoura, de baixo custo de manutenção antes de mais nada, com boa arquitetura, mas nada palaciano.

      Com relação a interação com a plenária, o modelo político que vivemos é de uma democracia representativa. Então o mais correto (não digo que é o ideal) seria você procurar seu conselheiro federal, cobre dele ações que você ache mais corretas.

  7. Problemas de decisão de construção a parte.

    Infelizmente, esse novo modelo de transmissão de vídeo que o CAU/BR implementou, com o perdão da palavra, é uma bela porcaria. Existem ferramentas gratuitas na internet que são MUITO melhores que esse sistema implantado.

    Antes os vídeos ficavam disponíveis para serem assistidos a todo momento, eram registros públicos, agora se você não assistiu “já era”. E se você quiser assistir de novo para poder cobrar os conselheiros sobre determinado assunto ou posicionamento, pode esquecer também.

    Fala-se de boca cheia sobre transparência, mas não estão fazendo mais que a obrigação exigida por Lei. Se querem se gabar de algo tentem fazer além do definido pela legislação e não se vangloriem por fazer o mínimo. TCU passar mão na cabeça simplesmente porque deram conta de fazer o dever de casa?

    – Voltando ao tópico.

    Acho importante a construção da sede, acho importante avaliar bem as premissas exigidas para o concurso e que tipo de sede queremos. Será uma sede para a sociedade ou uma sede para o ego dos arquitetos que querem se mostrar melhores que os engenheiros?
    Alerto, pois em muitos estados houveram casos absurdos de escolhas de sedes luxuosas com a simples justificativa de que “se saímos/separamos, temos que sair por cima, mostrar que estamos bem”, como se tivessem saído de um relacionamento adolescente e pagando rios de dinheiro em alugueis de palacetes, quando poderiam muitas vezes fazer parcerias com municípios, estado e união para restaurar patrimônios históricos e dar utilidade requalificando as edificações aliado a manutenção de bem cultural.
    Isso é pensar na individualidade do arquiteto ou na sociedade que o arquiteto precisa se incluir.

    Mas acho que o mais importante de tudo será a atual (e futura) gestão do CAU/BR demonstrar que o projeto executivo completo faz sim a diferença, seguir todos os ritos para que seja feito um bom projeto, uma boa execução, com inteligência, economia e eficiência. Demonstrar na prática tudo de bom que o RDC não trás.

    Portanto muita atenção senhores conselheiros federais, pois estão caminhando em um campo minado. Depois ouvir um “casa de ferreiro, espeto de pau” vai ser muito feio.

    1. Antônio, agradecemos o comentário e destacamos que o objetivo é que o concurso e a construção da sede sirvam de referência para toda a administração pública como exemplo de boas práticas. Sobre os vídeos das plenárias, a íntegra dos vídeos pode ser vista em https://www.youtube.com/user/comunicacaocaubr

  8. Gostaria de saber se todos os questionamentos aqui apontados serão levados a reunião para que possam ser respondidos ao vivo.

  9. Conforme li nas atas, sugeridas pelo moderador, esta discussão de nova sede nao é de longa data. Pelo que li o presidente do CAU nunca apresentou estudos a respeito da construção da sede. Se tiver disponibiliza-os para todos. As resposstas dadas nas plenarias sao sempre as mesmas, que os estudos ora estão em andamento ora atrasadas. Também nao li nenhum conselheiro debater de forma mais profunda o assunto. Entre outras peguntas quanto será disponibilizado para a construção da sede. Já possuem os recursos? Porque assinar termo com a IAB? Não há outros terrenos disponiveis?

  10. Não vi em lugar algum a respeito da viabilidade do empreendimeto em questão. Associar-se ao IAB uma entidade privada, estranho? Quais são os seus termos? Vai assinar sem colocar em discussão?
    Quem serão os que escolherao o vencedor do projeto? Um juri escolhido por quem?
    Já que falam em transparencia, o vencedor poderia ser escolhido por todos nós!

  11. Também não sou a favor de construir sede em Brasília sem avaliarmos números primeiro.

    Quantos m2 são necessários? Qual o custo? Quanto pagamos de aluguel? Não há a viabilidade de utilizar imóveis já construídos.

    Há a possibilidade de juntar-se outras atividades para o empreendimento? De forma a definir um espaço com vários usos e não somente uma sede de CAU?

    Essa lógica de um edifício específico para o conselho não me interessa.

  12. “Já que nós, sociedade brasileira, temos o hábito incorporado de “resolver” por conta própria e “rapidinho” nossas necessidades nada planejadas, mesmo que isso signifique correr vários riscos…” frase retirada do artigo O que esperar de um projeto de Yara Santucci. CAU apresente os dados que demandam a construção de uma sede propria. Pelos comentarios abaixo e o silêncio nas respostas será que fizeram o dever de casa? Até agora não vi nenhum dado, estudo ou qualquer outra coisa parecida sobre a viabilidade e necessidade de uma SEDE.

    1. Thiago, sugerimos que acompanhe o debate da plenária com transmissão ao vivo. Transparência é uma das prioridades do CAU/BR, inclusive somos referênca de boas práticas segundo o TCU. Saiba mais em http://www.caubr.gov.br/?p=53415

  13. Que desperdicio de dinheiro. Quanto custará esta sede? Apliquem este dinheiro em algo que traga retorno para a nossa profissão. Grandes empresas inclusive estatais estao alugando imoveis ao invés de deixar o capital imobilizado. Se fizeram uma consultoria o fizeram pelas metades.

  14. Alguém de nós foi consultado para a construção desta nova SEDE???
    Quero respeito e valorização de minha profissão e isto não se conquista com uma nova sede!!!
    Realmente é de se lamentar que os conselheiros andem alienados, não olhando para a realidade de nossa profissão e do país, numa falsa tentativa de autoafirmação.

    1. Também faço coro aos q não foram consultados para construção desta Sede. Muito estranho convocarem uma reunião extraordinária para isto. Houve algum debate sobre o assunto? Acho que todos nós devemos é ficar de olho, e pesquisar os reais interesses por trás de tudo isto

  15. Enquanto o país vive a pior crise em décadas, em que a construção civil está praticamente parada, qual é a contribuição do CAU? Economizar, fazendo a sua parte? Diminuir os custos administrativos e de viagens? Aumentar a fiscalização?
    Não, tiveram a brilhante idéia de construir uma SEDE?!?!?!
    E qual será nossa contribuição???
    Será que vão diminuir as anuidades (já que não irão mais pagar aluguel), irá haver mais fiscalização, autações de empresas e profissionais que denigrem nossa profissão?
    Parece óbvio que não.
    Podemos aguardar um novo aumento ano que vem, pois quem irá bancar tudo isto, seremos todos nós que sustentamos este Conselho.

  16. Parece que o CAU vive em mundo paralelo (assim como muitos órgãos do governo). É só verificarem o gasto em viagens e diarias.
    Na verdade o CAU nao fiscaliza absolutamente nada. Os exemplos que vcs deram não chega a ser uma gota em um oceano.
    A questão talvez nao seja se merecemos ou nao uma sede propria, mas sim como comentado quais os estudos que embasaram a necessidade de uma sede.
    É necessario mesmo ou só serve para aumentar o ego de uns em detrimento de outros?
    Agora se querem construir algo para marcar a paisagem para nos auto afirmarmos como profissão, poderiam fazer uma consulta à sociedade e ver o que a arquitetura representa para todos (poder, status, etc, mas talvez descubram que ao inves de um palacio de arquitetura talvez o CAU devesse construir um puxadinho (como o milhares que existem pais afora).
    Em tempo, sugiro que construam algo bem bacana, algo realmente extraordinario (já que vão gastar o dinheiro de nossas contribuições), assim quem sabe poderão cobrar ingresso dos visitantes e abater, nem que seja uma parte, do custo da construção

  17. Li todos os comentários, comentei alguns.
    Não vejo como aviltante termos a nossa sede em Brasília. Não mesmo, e acho inclusive que merecemos, todos!pagar aluguel também é um custo absurdo sem retorno…e uma sede planejada por nós, via concurso, seria sim um marco.
    Quanto às questões levantadas sobre a atuação do CAU, embora eu reconheça que avançamos com ele muito mais do que enquanto CREA, falta muito ainda! mas falta do CAU e falta dos arquitetos…aqui no ES eu tenho visto que a mesma lei que agora obriga a nossa contratação foi transformada pelos próprios arquitetos em moeda…que baixaria! Ao invés de aproveitar a chance de mostrar o nosso papel para a sociedade, o resultado foi exatamente o oposto porque criou o comércio de RRT!
    Fiscalização então, continua sendo coisa pro CREA? Canso de ver obras absurdas que na melhor das hipóteses teve fiscalização do CREA. Do CAU, nunca!
    Enfim, precisamos sim de muito mais atuação. Essa semana estive numa reunião onde inacreditavelmente ouvi de arquitetas que comemoravam seus 30 anos de formadas reclamando que nunca tiveram respaldo para cobrar sobre os serviços…só mostrou que a crise não é só minha que sou formada há 8 anos, mas que perco muito trabalho pra quem não cobra honorários pra cobrar RT…
    A questão dos funcionários públicos é aviltante!Eu abri mão de cargo concursado, fui chamada de louca, mas não dou conta de hipocrisia, do jeitinho “por fora”… Esta é uma questão mais do que urgente, que o CAU não entra com a coragem que precisamos…
    Enfim, o assunto era a nossa sede! Concordo, desde que seja por concurso, COM TRANSPARÊNCIA! E com mais transparência do que foi o próprio concurso do CAU…por favor…

  18. Toda entidade precisa ter seu lugar para funcionar e interagir, para ser honrada. O conselho profissional que luta pelo abrigo das pessoas e dos serviços que a coletividade necessita e pela qualidade da cidade, não vai ter dignidade se não tiver uma sede, sua casa própria. Além da economia, praticidade, segurança, etc o CAU/BR vai ter a tranquilidade para seguir agindo sem se preocupar com o lugar de trabalho. É uma vitória, em tão pouco tempo sairmos de uma instituição que menosprezava o arquiteto e em breve ter uma sede. Muito sem sentido as dúvidas sobre a importância e o valor de termos a nossa sede. Não existe mais terreno tão bem localizado em Brasília, capaz de gerar mujitas outras economias. Parabenizo o CAU/BR pela iniciativa e providências tomadas.

  19. Enquanto o CAU se preocupa com SEDE, e em como tirar a RT dos arquitetos eu continuo recebendo menos da metade do piso trabalhando em um órgão público.

    1. Apoio a sua indignação, Rafael, RJ, ainda que eu já tenha desistido. Pedi minha exoneração da Prefeitura da Serra-ES há dois anos e não tenho a menor perspectiva de fazer valer nem o tempo dedicado como acervo…Acho que o CAU tem sido sim atuante, e nos representa hoje como nem em todos os anos o CREA fez, que aliás nunca fez mais do que nos extorquir as anuidades. Mas realmente essa parte do salário de servidores eu que me engajei efetivamente na luta junto ao CAU e ao SINDARQ-ES, reconheço que a situação é muito, mas muito mais complexa…mas temos que cobrar e nos fazermos atuantes, ainda que eu não faça mais parte desse grupo. Ao CAU, mediante esta resposta que lhe enviou, achei muito antipática! Você merecia uma resposta sobre o ponto que levantou, não uma indicação de pesquisa sobre os benefícios conquistados até agora…esses eu acompanho, e reconheço sim e defendo aos quatro ventos, mas esta questão do salário nunca tem resposta direta…

  20. Em minha opinião, e de muitos, este investimento poderia ser direcionado à divulgação da importância do profissional arquiteto para o desenvolvimento da sociedade, na luta pela valorização e reconhecimento da profissão. Isso é mais urgente.

  21. Já que parece fato consumado a construção de um novo “Palácio” na Capital Federal, e fazendo jus à transparencia a CAU deveria apresentr e disponibilizar em sua pagina:
    – Os estudos que estão embasando assim como as justificativas para construção de uma nova com respectivos autores.
    – Qual é o orçamento máximo para sua construção tendo em vista que nenhuma obra começa com quanto se pretende gastar;
    – De onde virá o dinheiro para a construção desta Sede;
    – Custos de manutenção previstos após a conclusão da obra comparando com os custos locaticios.
    – Em que termos será a cessão da área pelo IAB.
    – Qual será a área destinada ao IAB e ao CAU.
    – O CAU arcará com a manutenção do espaço utilizado pelo IAB.
    – Disponibilizar a todos o contrato de cessão.
    – Outros dados que os colegas de profissão sugerirem.
    – Custos para a realização desta plenaria extraordinaria, com as despesas atribuidas com diarias de cada conselheiro.

    1. Jairo, todas as informações estarão disponíveis no Portal da Transparência do CAU/BR, em transparencia.caubr.gov.br. Os dados sobre orçamento estarão presentes no edital do Concurso público de Arquitetura que será lançado para escolher o projeto da sede.

    2. Jairo, gostei do seu questionamento, e se continuarmos a debater de forma aberta, certamente surgirão outros questionamentos. De novo não gosto da resposta do CAU?BR, que coloca um ponto final na questão, travestida de resposta porque admite supostamente que as respostas possam ser encontradas nos locais citados…vamos debater diretamente, CAU/BR??Isso envolve tempo e credibilidade…

  22. .
    É realmente necessário investir dinheiro na Sede própria.
    .
    Não faz sentido pagar aluguel durante anos em um imóvel e em muitos casos, acabar virando refém do locador tanto no preço, quanto no fato de não ser tarefa fácil encontrar outro local que suporte toda estrutura administrativa do nosso Conselho.
    .
    Essa prática, que vai na contramão da austeridade fiscal ( curiosamente muito adotada por Prefeituras e Estatais ), geralmente agrava a situação financeira da empresa ou Instituição, que se vê obrigada ao longo do tempo, a locar vários outros imóveis para conseguir se instalar por completo.
    .
    Parabéns ao CAU/BR !

  23. Uma sede própria trará os benefícios que já foram expostos acima pelos colegas, mas será que, visualizar as reais necessidades e prioridades da nossa classe e do país não faria os responsáveis por a mão na consciência e lutar pelo parte frágil da classe e trazer a devida dignidade ao arquiteto? Tem prefeitura fazendo concurso público e propondo um 2 salários mínimos de remuneração. A população. ,em geral, procura um empreiteiro ou um eng. Civil para fazer a reforma e/ou projetos da casa ou comercio em vez do arquiteto; muitas vezes por nem saber direito o que fazemos …Prioridades

    1. Concordo plenamente. Será que o CAU não deveria ao invés de
      construir essa sede de imediato poderia investir em publicidade trazendo a população o entendimento ao verdadeiro leque de atribuições do arquiteto utilizando as mídias diversas.
      Além disso precisamos de Leis condicionantes que envolvam a arquitetura as atribuições a que fomos formados e habilitados.

    2. Concordo, ainda que eu reconheça que o CAU tem bancado algumas campanhas. Só que a nível UF nem sempre isso é efetivo, e isso tem que ser mesmo tratado dentro do próprio CAU.
      Outra questão é a dos concursos. Recebi essa semana, pleno século XXI, ano de 2016, edital de concurso pra cidade de Venda Nova-ES, com salário menor que a metade devida…vou agora, a propósito, denunciar! Precisamos nos lembrar de fazer isso formalmente, além dos nossos bate -papos!
      Vamos todos juntos, que ainda que a passo de formiguinhas, estamos caminhando como nunca!
      Independentemente disso,concordo sim com a construção da nossa sede. Desde que seja consenso, e dentro da nossa lista de prioridades.

  24. Respeitando todas as opinioes, comento que os alugueres equivalem em media a menor valor que aplicaçoes financeiras.
    Se o cau possui o recurso, o aluguel pode se pagar com sobra de recursos.
    Vale ressaltar que o que podera tornar cara a sede propria sera a gestao do recurso e a qualidade dos contratos que se firmarao.

  25. Vergonha deste conselho meramente arrecadatório e que vira as costas para os profissionais que o sustentam.
    Falavam tanto do CREA, mas conseguiram criar um conselho pior e com menos estrutura.

  26. Excesso de plenárias, reuniões e viagens gratuitas com pagamento de diárias. Tudo com o nosso dinheiro do RRT, evidentemente! Até parece um partido político antes da lava-jato.
    Desculpem-me os colegas que são a favor, mas nestes 45 anos de profissão que tenho, nada mudou. Continuamos despreparados, cada vez com mais escolas-cata-níqueis, sem direitos, sujeitos ao RDC vergonhoso recém sancionado para todas as estatais, a profissão desrespeitada e sem regulamentação específica legal, etc.
    Agora querem construir uma sede própria? até parece o CREA, aliás esta foi a grande preocupação na criação do nosso Conselho próprio.
    Estamos agindo como os nossos colegas engenheiros que tanto criticamos a vida inteira, construindo patrimônios desnecessários do século passado e defendendo idéias de cidades democráticas para as pessoas…algo está errado. O dinheiro fácil é uma ilusão que leva a sonhos megalomaníacos. Pensem bem, para que ter uma suntuosa sede própria? se o futuro nos mostra que talvez nada mais seja “próprio”, desde o carro, até o escritório (já não é!) e a moradia…
    Sugiro uma profunda reflexão e que seja no sentido de tornar conhecida e valorizada a nossa atividade de arquitetura e urbanismo perante a sociedade. Ouço essa utopia desde 1966 quando participei do Congresso Brasileiro de Arquitetos em Salvador, BA, como calouro da UFPR.

    1. Estou junto contigo, só de formado tenho 32 anos, de canteiro de obras já fecho os 48, isso tudo sempre acompanhado por um Desa-ConselhoREA, e agora com o CAU;e para clarear ainda um pouco o aqui citado sou “PNE” com sequela de Polio; e nada de aposentado; fica uma pergunta com tudo que recolhi para ambos de maneira direta, ou via os que contrataram meus serviços; nem aposentar ainda que com o minimo existe participação, que mundo de conselhos é esse???

  27. Realmente; Já esta na hora de consolidar uma sede a altura de uma profissão extremamente necessária e ao mesmo tempo tão importante na vida de todos nós.

  28. Sedes significam mais dinheiro, mais manutenção e mais funcionários. Como parece que o dinheiro está sobrando, que tal diminuir o valor das anuidades e das RRTs que pagamos?

  29. Será valido desde QUE O EDIFICIO SEJA UM MARCO RESULTANTE
    DA PARTICIPAÇÃO DE CONCURSO, FATO ESSE QUE TÃO POUCAS VEZS VEMOS LEMBRADO.

    1. Paulo, o CAU/BR fará sim um concurso público nacional para escolha e contratação do projeto arquitetônico da sede. Mais informações serão anunciadas durante a plenária.

  30. Perfeito Paulo Pereira, se me permitir, faço minhas suas palavras, é por isso que aumentaram tanto o valor da anuidade.

    1. Isaac, informamos que o valor da anuidade, seus descontos possíveis e seu reajuste não são definidos pelo CAU/BR, mas que eles estão expressamente definidos pela Lei 12.378.

  31. Durante os meus 53 anos de prática profissional como Arquiteto e Urbanista, tenho comprovado a falta efetiva de atuação do CREA, e agora do CAU, no combate ao exercício ilegal da profissão, por técnicos e desenhistas.
    Outra omissão igualmente prejudicial aos profissionais legalmente habilitados refere-se ao desrespeito dos empregadores, especialmente dos órgãos públicos, à remuneração legal já em vigor.
    Mais importante do que a construção de espaços físicos, é a efetiva atuação na defesa e valorização da nossa profissão.

    1. Técnicos trabalham legalmente e não exercicio ilegal da profissão e os desenhista são os que em muitas épocas acabavam fazendo o desenho que arquitetos e engenheiros não sabiam fazer

  32. Concordo com o comentario. Qual a necessidade de se convocar uma plenaria extraordinaria (com todos os custos envolvidos) para se discutir a construção de uma sede. Qual serão os custos envolvidos para a construção desta sede? De onde virá o dinheiro? De nossas contribuições? Será que o profissional do interior do pais que nao ve efetividade nas ações do CAU concorda com uma sede para o CAU? Por acaso não há outras prioridades? Como por exemplo fiscalizar adequadamente o exercicio profissional?

    1. QUASE TODOS OS CONSELHOS POSSUEM SEDE PRÓPRIA. AO LONGO DÁ EXISTÊNCIA DO CAU-DF O QUE SE PAGOU DE ALUGUEL É UMA BOA SOMA IMAGINE AO LONGO DOS ANOS QUANTO SE IRÁ PAGAR? A CONSTRUÇÃO VALORIZA A CLASSE E OS PROFISSIONAIS SEJA DO INTERIOR OU DOS GRANDES CENTROS. BASTA LEMBRAR QUE ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA BRASILEIROS FORAM PREMIADOS EM CONCURSOS INTERNACIONAIS.
      O CONCURSO DEVERIA SER NACIONAL. QUANTO A FISCALIZAÇÃO COM A SEDE PODERÁ INVESTIR EM TECNOLOGIA. UMA FORMA DE PODERÁ SER COBRADO DO ÓRGÃOS PÚBLICOS O REGISTRO DAS ARTTS DE CARGO E FUNÇÃO DOS ÓRGÃOS QUE POSSUEM EM SEUS QUADROS ARQUITETOS.ATÉ MESMOS ÓRGÃOS DE FISCALIZAÇÃO COMO À AGEFIS-DF E ETC.

      1. Elias, o CAU/BR fará sim concurso nacional para escolha do projeto arquitetônico da sede. Mais informações serão divulgadas durante a plenária.

    2. Torno a repetir. Será mesmo necessário construir uma sede na atual situação do pais? Quais serão os gastos para a construção e futura manutenção deste novo edificio? Não vejo demerito nenhum em se pagar “aluguel”. O Conselho quer visibilidade, então que seje mais efetivo na fiscalização do exercicio profissional. Sugiro que ao inves de se gastar dinheiro em diarias à capital do país que os conselheiros viagem pelo interior e vejam a realidade do exercio profissional. Muito fácil se utlizar de aumento de taxas ou criação de novas, para justificar a construção de uma sede (ou será que esta sobrando dinheiro) que espero não seja mais um “ecastelo dourado que transmita um pseudo poder ” na paisagem de Brasilia. E se esta sobrando dinheiro que se diminua o valor da anuidade.

  33. É realmente necessário gastar dinheiro com uma sede própria?

    1. SIM É UMA FORMA DE APLICAR OS RECURSOS ARRECADADOS COM O REGISTROS DAS RRTS.

    2. Wilson, provavelmente, para você ter esse pensamento, tenho absolutamente certeza que nunca residiu em um imóvel alugado. Por isso deve ter esse pensamento. Nunca passou anos e anos pagando por algo que jamais será seu.

Os comentários estão desabilitados.

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CAU/BR

NOTA DE ESCLARECIMENTO

CAU/BR

CAU/BR aponta protagonismo feminino na arquitetura e urbanismo durante 98º ENIC

CAU/BR

Comissões do CAU/BR debatem temas de interesse dos arquitetos e urbanistas

CAU/BR

CAU/BR celebra uma década dos primeiros empregados públicos efetivos

Pular para o conteúdo