ARQUITETURA SOCIAL

Postos da CODHAB integram governo e comunidade

 

Instalado no Trecho 1 do Sol Nascente, em Ceilândia, desde 15 de abril de 2015, o Posto de Assistência Técnica em Arquitetura e Urbanismo da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (CODHAB) é parte importante para a regularização do setor.

 

O objetivo é a imersão de servidores na comunidade para garantir a prestação de serviços qualificados e a continuidade, sem grande impacto para a população, do projeto de regularização, registrado em 2008.

 

“Os profissionais estando na ponta passam a ter a sensibilidade para conseguir projetar e dar respostas precisas às necessidades daquelas pessoas”, resume o diretor-presidente da CODHAB, Gilson Paranhos.

 

A equipe está disponível de segunda a sexta-feira, das 9 às 17 horas, e oferece serviços como:

 

  • Acompanhamento de obras de urbanização — objetivo é potencializar a oferta de transporte público e garantir, por exemplo, a segurança de pedestres e ciclistas
  • Desenvolvimento de projetos personalizados de arquitetura — serviço gratuito de criação de projetos personalizados oferecido a famílias de baixa renda
  • Ações urbanas comunitárias — transformação de vazios urbanos em espaços de ocupação pública com participação da comunidade

 

Além disso, são feitos atendimentos que antes os moradores procuravam na sede da companhia, no Setor Comercial Sul, como recadastramento e auxílio para utilizar o aplicativo da pasta. Há dias em que o público atendido chega a 200 pessoas.

 

Irene Pinheiro foi a primeira a ser beneficiada com os serviços do posto.

 

 

Irene Pinheiro (foto), de 57 anos, foi a primeira a ser beneficiada com os serviços do posto. Ela recebeu o projeto de ampliação de sua residência, que antes tinha apenas um quarto, sala, cozinha e banheiro.

 

A casa ganhou novos cômodos, planejados especificamente para as necessidades da técnica de enfermagem. Ela conta que toca o projeto por conta própria sempre que possível. “Agora estou colocando o forro e a bancada em granito”, completa.

 

Segurança para seguir o projeto de regularização

O acompanhamento atento do governo foi determinante para que os moradores sentissem segurança de apoiar e participar do projeto de regularização do setor. Governo e sociedade constroem juntos soluções urbanísticas que melhor se adequam à realidade local.

 

“Antes de 2015, faltava confiança por parte dos moradores de que eles realmente seriam realocados. Hoje, qualquer atualização no projeto é dividida e explicada a eles”, exemplifica o coordenador de Assistência Técnica da CODHAB, Luiz Eduardo Sarmento.

 

O coordenador de Assistência Técnica da Codhab, Luiz Eduardo Sarmento.

Ele se refere a pessoas que precisaram ser transferidas ou por estarem em área de risco ou por ocuparem terreno destinado a algum equipamento público, por exemplo. O posto trabalhou na sensibilização de pelo menos 400 famílias que precisaram sair de onde estavam.

 

Para o diálogo cuidadoso, o coordenador ressalta que é imprescindível entender a realidade de cada um. A dona de casa Iêda Paz, de 51 anos, concorda. “Eles [os servidores] se colocaram no meu lugar. Isso fez toda a diferença.”

 

Ela foi a primeira a chegar na Quadra 602 do Trecho 2, depois que precisou deixar sua antiga residência, que ficava em cima de uma galeria de águas pluviais. “No princípio, a gente sente raiva, mas depois entende o quanto foi abençoado e protegido. Porque isso que fazem é proteger a gente.”

 

Além da realocação por ocupar área de risco, Iêda foi incluída no projeto Melhorias Habitacionais, parte do programa Habita Brasília, também disponível por meio dos postos.

 

A dona de casa Iêda Paz

Trata-se de assistência técnica pública de profissionais de arquitetura, urbanismo e engenharia para projeto e construção de habitação de interesse social no valor máximo de R$ 13,5 mil.

 

No caso dela, houve pintura da casa, conserto de problemas estruturais no telhado e construção de um banheiro novo, com ventilação e iluminação natural. O objetivo é sempre promover dignidade e melhorar aspectos ligados a salubridade, acessibilidade e segurança.

 

Esse benefício, existente há cerca de um ano, é oferecido a famílias de baixa renda e é assegurado pela Lei Federal n° 11.888, de 2008. Quem quiser participar deve esperar a abertura do edital. O processo e o que pode ser feito dentro da iniciativa estão detalhados no site da CODHAB, na aba Assistência Técnica.

 

Além desse posto, a Codhab mantém nove unidades:

  • Brazlândia
  • Estrutural
  • Fercal
  • Pôr do Sol
  • Porto Rico
  • São Sebastião
  • Sol Nascente (Trecho 2)
  • Sol Nascente (Trecho 3)
  • Vila Cauhy

Foto: Tony Winston / Agência Brasília

Fonte: Portal da Codhab

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ARQUITETURA SOCIAL

Arquitetura Rural: CAU Brasil vai promover acordo de cooperação com o INCRA

ARQUITETURA SOCIAL

Seminário Melhorias Habitacionais: Plataformas tecnológicas conectam arquitetos(as) e urbanistas, profissionais de obras e moradores

ARQUITETURA SOCIAL

Seminário de Melhorias Habitacionais do IPEA destaca projetos de moradia digna patrocinados pelo Edital de ATHIS do CAU Brasil

ARQUITETURA SOCIAL

CAU e IPEA abrem Seminário “Melhorias Habitacionais da Saúde do Habitat à Economia Popular” em Brasília

Pular para o conteúdo