CATEGORIA

Presidente do CAU/PB defende que é hora de repensar ocupação de João Pessoa

cristiano rolim no jornal da paraíba

 

Em matéria de capa publicada no último domingo (06), no Jornal da Paraíba, o presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo da Paraíba (CAU/PB), Cristiano Rolim, defendeu que é hora de repensar o modelo de ocupação de João Pessoa. O arquiteto destacou que a cidade foi pensada para lotes e para carros e que o Código de Urbanismo e os demais instrumentos feitos para que a cidade se desenvolvesse com planejamento estão mais focados nas propriedades particulares do que na valorização e uso dos espaços de uso comunitário.

 

“Houve um desmonte do planejamento urbano no Brasil e as cidades cresceram muito. Em João Pessoa não foi diferente. Todo o Código de Urbanismo está voltado para legislar sobre o lote, a propriedade particular, e a gente perdeu o controle dos espaços públicos. Temos as áreas de ocupação irregular, como lotes de rios, encostas, áreas verdes da cidade, e uma pressão do mercado imobiliário muito forte para dar resposta a essa necessidade de habitação da população. E aí o espaço público acabou relegado”, explicou Cristiano Rolim.

 

De acordo com a matéria, diante do crescimento urbano desordenado e sem planejamento, as intervenções feitas na infraestrutura da cidade, como alargamentos de vias, construções de viadutos e dragagens de rios são medidas paleativas. “Para Cristiano Rolim, falta à Capital projetos que integrem espaços urbanos e áreas ambientais que promovam o lazer e o bem-estar dos moradores”, destacou a repórter Katiana Ramos, na publicação.

 

“A gente ainda não tem para João Pessoa um planejamento total integrado dessas áreas verdes associadas a questões de mobilidade, de transporte público. Acho que está na hora de parar um pouco para repensar que modelo de cidade é esse que se quer construir e se a gente quer perpetuar essa maneira de ocupação da cidade, em que primeiro se estabelece uma vocação imobiliária de uma região e depois corre-se atrás para dotar aquela área de infraestrutura, como aconteceu com o Altiplano”, disse Cristiano Rolim.

 

Na matéria, o presidente do CAU/PB falou ainda sobe o desafio da mobilidade urbana. “Até mesmo caminhar ficou mais difícil nessa cidade. A gente não tem uma legislação que determine a qualidade das calçadas, que pense na possibilidade da bicicleta como um meio de transporte efetivo e não tivemos um programa voltado para o transporte público. A gente vê uma cidade com as ruas feitas para o transporte de automóvel e esse modelo está saturado”, afirmou Cristiano Rolim.

 

Para ler a matéria completa acesse:

http://m.jornaldaparaiba.com.br/jornaldigital/

 

Publicado em 08/09/2015. Fonte: CAU/PB

MAIS SOBRE: CATEGORIA

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CATEGORIA

Fórum de Presidentes do CAU/BR cumpre extensa pauta em Belo Horizonte (MG)

ATENDIMENTO E SERVIÇOS

Central de Atendimento do CAU/BR não funcionará na Sexta-feira Santa

ACERVOS

Seminário TOPOS:  CAU/BR e FAU/UnB promovem debate sobre a importância de acervos e arquivos de urbanismo no país 

#MulherEspecialCAU

“Arquiteta, na solidão da sua profissão, seu nome pede valorização!”, defende Tainã Dorea

Pular para o conteúdo