ARQUITETOS EM DESTAQUE

Projeto Lelé: prazo de inscrição prorrogado até 07 de novembro. Não perca!

Lelé

 

Você sabia que, dos 5.570 municípios brasileiros, somente 3.737 possuem arquitetos e urbanistas ativos? Hoje, mais de 40 milhões de pessoas não vivem em habitações adequadas – a maioria em estados com acesso restrito a serviços de Arquitetura e Urbanismo, conforme dados da Fundação Joao Pinheiro.

 

O Projeto Lelé, iniciativa inédita da Comissão de Ensino e Formação do CAU Brasil, inspirada no arquiteto e urbanista João Filgueiras Lima, chegou para contribuir na mudança dessa realidade. Objetivo é fomentar a ampliação da presença de arquitetos e urbanistas no interior do país, levando os formandos de Arquitetura e Urbanismo aos municípios brasileiros que não têm acesso.

 

Por meio de Chamada Pública Nacional, o CAU Brasil vai selecionar Planos de Trabalho a serem
desenvolvidos por estudantes concluintes de cursos de Arquitetura e Urbanismo brasileiros nos municípios anfitriões.

 

O PRAZO DE INSCRIÇÃO ENCERRA-SE ÀS 23h59m DO DIA 07 DE NOVEMBRO DE 2022.  

 

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO.

 

Com o Projeto, será possível elevar o conhecimento do Brasil na sua própria formação, e integrar e inserir os formandos no contexto e processo de desenvolvimento das boas práticas profissionais. Deste modo, se pretende um amplo movimento no sentido de promover o acesso universal à Arquitetura e Urbanismo como garantia do bem-estar social.

 

O lançamento do Projeto Lelé ocorreu durante o  “Maio da Arquitetura”, mês que concentra várias iniciativas e eventos promovidos pelo Conselho e pelas entidades de Arquitetura e Urbanismo.

 

Hospital Sarah Rio de Janeiro. Projeto de João Filgueiras Lima (Lelé). Foto: Divulgação.

 

COMO FUNCIONA?
O CAU Brasil vai financiar atividades dos formandos de Arquitetura e Urbanismo para o desenvolvimento de atividades em prefeitura sem acesso a arquitetos e urbanistas. Serão oferecidas bolsas mensais no valor de R$ 1.450 durante 10 meses para cada estudante.

 

Há duas grandes escalas de atuação dos estudantes, são elas: a Escala do Edifício e a Escala Urbana.

 

– Escala do Edifício: Desenvolvimento de atividades vinculadas a projetos edilícios, como escolas, unidades de saúde, creches, centros de atividades, entre outros;
– Escala Urbana: Divido entre INFRAESTRUTURA e EQUIPAMENTOS. Infraestrutura, desenvolvimento de atividades vinculadas a planejamento urbano, desenho de vias, etc. Equipamentos, projetos vinculados a equipamentos urbanos, como praças, mobiliário urbano, etc.

 

O programa possui compatibilidade e equivalência com o Trabalho Final de Graduação, permitindo que o estudante participante conclua a sua graduação a partir do exercício de atividades práticas supervisionadas, durante a sua participação no “Projeto Lelé”.

 

Confira aqui o Edital (Chamada Pública No. 3/2022) do Projeto Lelé

 

QUEM PODE SE INSCREVER?
Poderão participar Instituições de Ensino Superior (IES) representadas juridicamente por Organizações da Sociedade Civil. A IES deverá submeter um plano de trabalho desenvolvido por estudante concluinte do curso de Arquitetura e Urbanismo, orientado por arquiteto(a) e urbanista docente para ser desenvolvido no município anfitrião ao longo de 10 meses pelo(a) estudante.

 

Já os municípios interessados em receberem um estudante através do projeto deverão preencher o formulário eletrônico de pré inscrição do CAU Brasil e serem considerados habilitados em participar do programa. encaminhar e-mail a patrocinios@caubr.gov.br com o título “aceite projeto Lelé CAU-BR” e um número de telefone para serem contatados pela equipe do CAU com mais informações. Serão considerados os critérios abaixo:

  1. Possuir entre 20 a 50 mil habitantes;
  2. Não possuir no quadro de funcionários e prestadores de serviço profissionais de arquitetura e urbanismo;
  3. Comprovar capacidade de fornecer moradia para o estudante em espaço seguro, salubre e com espaço privativo. O espaço de moradia do estudante deve ser adequado a realização de atividades virtuais, de lazer e de descanso durante toda a duração da estadia;
  4. Fornecer condições para que o estudante realize três refeições diárias de forma equilibrada e diversificada;
  5. Fornecer telefone móvel ou chip telefônico de uso exclusivo do estudante durante todo o período da estadia;
  6. Apresentar escopo geral de possíveis áreas de atuação ou atividades a serem realizadas pelo estudante durante a estadia;
  7. Apresentar dados gerais de desenvolvimento socioeconômico do município, contendo informações de Índice de Desenvolvimento Humano – IDH. Tais informações possuem caráter classificatório.

 

Confira aqui o Edital do Projeto Lelé

 

O arquiteto João Filgueiras Lima, o Lelé, ao lado do amigo Oscar Niemeyer. Foto: Divulgação

 

QUEM FOI LELÉ
Projeto do CAU Brasil foi inspirado pela obra de João Filgueiras Lima, o Lelé. Falecido em maio de 2014, aos 82 anos, deixou um legado inestimável para a Arquitetura Brasileira. Suas obras se destacam pelas técnicas inovadoras, pelo apuro estético e pelo seu grande alcance social: em mais de 50 anos de atividade profissional, Lelé construiu escolas, hospitais, universidades e inúmeros prédios públicos.

 

Para ele, o arquiteto deve ser, antes de tudo, um construtor. Deve conhecer profundamente materiais, estruturas e técnicas construtivas. “Ninguém pode desenhar aquilo que não sabe como se faz”, disse. Considerado por Lúcio Costa um dos três mais importantes nomes da Arquitetura Modernista Brasileira, ele foi responsável por obras na construção de Brasília, a Fábrica de Escolas e os Centros Integrados de Educação Pública no Rio de Janeiro (ambos em parceria com Darcy Ribeiro), além do Centro de Tecnologia da Rede SARAH de Hospitais.

 

Saiba mais sobre Lelé.

4 respostas

  1. Parabéns pela iniciativa! Sendo bem acompanhado e orientado por arquiteto docente, com certeza trará oportunidades e ganhos para os novos profissionais e para as cidades!

  2. Super interessante essa oportunidade. Parabéns ao CAU pela proposta acredito muito que a divulgação seja de extrema importância para a adesão dos alunos.

  3. Adorei a iniciativa. Que venham mais projetos e concursos para enriquecer a arquitetura do país.

  4. Fico feliz de ver essa iniciativa para homenagear um colega arquiteto com quem tive a honra de conviver de perto na Universidade de Brasília nos anos 60. As primeiras lições sobre pré moldados e pré fabricação eram ilustradas com exemplos desenvolvidos pelo LELÉ. Minha turma tem ele como um Mestre de natureza superior assim como foi com muitos outros tais como Athos Bulcão, Marilia Rodrigues e Alfredo Ceschiatti nas artes plásticas, Italo Campofiorito, Miguel Pereira,Jaime Lerner, enfim, uma pleiade de importantes profissionais que valorizaram nossa formação naquele período dos anos de chumbo!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

ARQUITETURA SOCIAL

Representantes do CAU Brasil e do CEAU se reúnem com Secretário Nacional de Habitação

ARQUITETURA SOCIAL

CAU Brasil apresenta projetos de ATHIS ao Ministério do Desenvolvimento Regional

CAU/BR

CAU Brasil lança política de benefícios para aquisição de softwares e outros bens e serviços

CAU/BR

“Live” do CAU/SP esclarece dúvidas sobre contratos e legislação

Skip to content