CAU/BR

UNESCO consagra Rio de Janeiro como a primeira Capital Mundial da Arquitetura

O Rio é Capital Mundial da Arquitetura. O título foi concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) na manhã desta sexta, 18 de janeiro, em cerimônia realizada na sede da entidade em Paris e é decorrente da realização do Congresso Mundial de Arquitetos no Rio em 2020. É a primeira vez que uma cidade recebe essa designação – criada no ano passado em parceria entre a UNESCO e a União Internacional dos Arquitetos (UIA). A cerimônia reuniu o subdiretor de Cultura da UNESCO, Ernesto Ottone; a Secretária de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação do Rio, Verena Andreatta; o presidente da UIA Thomas Vonier, além do presidente do Comitê Executivo do Congresso Mundial de Arquitetos UIA2020Rio, Sérgio Magalhães, e do presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil, Nivaldo Andrade.

 

“Capital Mundial da Arquitetura e Congresso Mundial de Arquitetos formam um binômio de extrema importância para a cidade do Rio e para a cultura arquitetônica brasileira. Especialmente porque proporciona um diálogo com a sociedade que deverá criar um novo tempo para o enfrentamento dos desafios das nossas cidades”, afirma o arquiteto e urbanista Sérgio Magalhães.

 

“Grandes momentos não ocorrem todo o tempo, esse é um deles”, declara o arquiteto e urbanista Luciano Guimarães, presidente do CAU/BR.  “A consagração, ao aliar o ambiente construído e a beleza natural da cidade do Rio de Janeiro, é um reconhecimento do fundamental papel dos arquitetos e urbanistas na qualificação de nossas cidades”. Ele lembra que faz um bom tempo que a UIA busca junto com a UNESCO aprovar para a cidade que hospeda o Congresso Mundial de Arquitetos a cidade como Capital Mundial da Arquitetura. “O sonho hoje é uma realidade e para nossa sorte o Rio de Janeiro – Rio 2020 será a sede da primeira. Nossas congratulações e agradecimentos vão para essas pessoas que estiveram envolvidas no sucesso desse processo a nível nacional e internacional, em particular aqui no Brasil ao IAB e a Prefeitura do Rio de Janeiro”.

 

Da esquerda para direita:  Anibal Sabrosa, ex-presidente da Associação dos Escritórios de Arquitetura do Brasil (Asbea) no Rio; Nivaldo Andrade, presidente do IAB; Vereana Andreatta, secretária Municipal de Urbanismo; Fabian Llisterri, tesoureiro da União Internacional de Arquitetos (UIA); Thomas Vournier, presidente da UIA; e Sergio Magalhães, presidente do 27° Congresso da UIA 2020 – Foto: Fernando Thompson/Prefeitura do Rio

 

A conquista do título não aconteceu à toa. Cidade de grande diversidade urbanística, o Rio tem em seu território situações comuns tanto em grandes centros urbanos de países ricos como em desenvolvimento, o que a torna um caso quase único de interesse para os arquitetos do mundo todo.

 

 
Edifício Capanema. Projeto de Lucio Costa e equipe (Carlos Leão, Oscar Niemeyer, Affonso Eduardo Reidy, Ernani Vasconcellos e Jorge Machado Moreira), com a consultoria do arquiteto franco-suíço Le Corbusier.

“Apesar de relativamente nova, a cidade do Rio já deixou valiosas referências na história da arquitetura. Ao longo de seus poucos séculos, passou por transformações substanciais, de grande magnitude, com técnicas complexas da engenharia e do urbanismo contemporâneos. Poucas cidades tiveram alteração tão expressiva em sua topografia original. Temos uma mescla eclética de estilos arquitetônicos e paisagem urbana reverenciada pelo mundo por suas condições naturais. O título de Capital Mundial da Arquitetura é a justa condecoração desta história”, defende a arquiteta  urbanista Verena Andreatta, Secretária de Urbanismo da cidade.

 

Mosteiro de São Bento, um dos principais monumentos de arte colonial da cidade e do país.

Além de um reconhecimento ao passado arquitetônico, histórico e cultural da cidade, o título é, acima de tudo, uma grande oportunidade de reflexão sobre o seu futuro urbanístico.

Museu de Arte Moderna. Projeto do arquiteto carioca Affonso Eduardo Reidy.

 

“O Rio, que se tornou referência mundial de arquitetura de qualidade em meados do século passado, e que recentemente teve sua paisagem cultural declarada Patrimônio Cultural pela Unesco, dá agora outro passo importante para o reconhecimento de seus valores arquitetônicos, urbanísticos e paisagísticos. Esperamos que as atividades e debates que acontecerão ao longo de todo o ano de 2020 no Rio, cuja paisagem é formada por contrastes não apenas geográficos mas também sociais, reforcem a compreensão, por parte da sociedade em geral, do papel dos arquitetos e urbanistas na melhoria da qualidade de vida das pessoas, e em especial daquelas que vivem em condições mais precárias”, defende o arquiteto e urbanista Nivaldo Andrade.

 

Porto Maravilha. Em primeiro plano está o Museu do Amanhã, projeto do arquiteto espanhol Santiago Calatrava.

 

Sobre o Dia Mundial da Arquitetura 

Para o arquiteto e urbanista Roberto Simon, vice-presidente para as Américas da UIA, “a concessão do titulo de primeira Capital Mundial da Arquitetura ao Rio de Janeiro, em associação á realização do 27 Congresso Mundial de Arquitetos, maior evento internacional do segmento, é uma oportunidade de promoção a altura dos grandes eventos mundiais. Parabéns necessários aos envolvidos nessa conquista!”

 

Desde 1948, a UIA realiza regularmente 26 congressos mundiais em diferentes cidades do mundo. Em 2017, a UIA UNESCO proposto para citar as cidades realizou um Conselho da UIA como Capital Mundial de Arquitetura (CMA).

 

Em novembro de 2017, a UNESCO aprovou a proposta da UIA com um esquema de protocolo de operação para a eleição de cidades.

 

Edifício Ipu, na Glória, do “circuito art-deco”. Projeto de Ari Leon Rey e Floriano Brilhante.

 

A criação de um comitê conjunto, UNESCO-UIA, é proposto para a pré-seleção das próximas cidades-sede do Congresso da UIA + Capital Mundial da Arquitetura (CMA) e o acompanhamento dos planos e preparação logística até a nomeação final pelo Diretor Geral da UNESCO e a celebração do evento, passando pela assinatura da nomeação.

 

A expectativa inicial era que a UNESCO só conferisse o título a partir da 28ª edição do congresso, marcada para 2023, em Copenhague (Dinamarca). Isso porque há apenas dois meses, em novembro de 2018, a UNESCO e a UIA formalizaram a parceria. O título foi antecipado graças à organização do evento brasileiro que conseguiu reunir os documentos necessários a tempo.

 

Pronunciamento do presidente da UIA Thomas Vonier

“Como a única organização global representando os 3,2 milhões de arquitetos do mundo, a União Internacional de Arquitetos vê seu novo programa de Capital Mundial da Arquitetura com a UNESCO como uma forma de demonstrar para uma grande audiência como a arquitetura pode melhorar vidas humanas – como a arquitetura pode nos ajudar lidar com alguns dos desafios mais críticos que enfrentam nossas cidades e nosso planeta.

 

Nós conseguiremos isso através dos ativos e características únicas das cidades designadas como Capitais Mundiais da Arquitetura. Estes são lugares de grande distinção internacional e alta reputação por sua arquitetura, desenho urbano, patrimônio cultural, beleza física e importância histórica. Somos gratos à UNESCO pela visão e sabedoria refletidas em seu apoio.

 

As cidades escolhidas para essa distinção destacarão e promoverão seu patrimônio arquitetônico, tornando-o facilmente acessível a visitantes públicos e profissionais, demonstrando como o design e a arquitetura criaram novas oportunidades e enfrentaram desafios prementes. O Rio de Janeiro possui todos esses atributos, e estamos satisfeitos e orgulhosos por ser a primeira Capital.

 

Se esperamos neutralizar os padrões destrutivos de desenvolvimento que agravam os problemas climáticos, se esperamos elevar a qualidade de vida de todas as pessoas, se esperamos alojar os milhões que vivem em extrema necessidade, então devemos ter um ótimo planejamento urbano e um excelente design. – tudo com visão, imaginação e otimismo. A Capital Mundial da Arquitetura nos ajudará a alcançar esses objetivos”.

 

Sobre o 27º Congresso Mundial de Arquitetos UIA2020RIO

Maior fórum mundial de arquitetura, o Congresso Mundial de Arquitetos UIA2020Rio é promovido pela União Internacional dos Arquitetos (UIA) – entidade sediada em Paris – e organizado pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB). Pela primeira vez no país, o evento será realizado entre 19 e 26 de julho de 2020 no Rio com atividades em locais diversos da região central da cidade, entre elas o Palácio Gustavo Capanema que deverá receber exposições, palestras e workshops. A expectativa é de que 25 mil arquitetos e acadêmicos de arquitetura de todo o mundo visitem a cidade durante a realização do UIA2020Rio.

 

Palácio do Catete. Sede da Presidência da República entre 1897 e 1960.  Projeto do arquiteto alemão Carl Friedrich Gustav Waehneldt.

 

 

 

10 respostas

  1. Edifício Ipu
    Certamente o nome é uma homenagem à Archimedes Memória aluno da ENBA foi também professor de “Grandes Composições de Arquitetura” naquela instituição.
    Cearense de Ipu, foi para Rio aos dezoito anos de idade em 1911, onde ficou pelo resto de sua vida projetando edifícios importantes.
    Justa homenagem para quem teve como aluno Oscar Niemeyer.

  2. Boa tarde.
    Gostaria de saber se o UIA 2020 será aberto para estudantes da área de arquitetura e urbanismo, e onde posso fazer o credenciamento, quais são os valores, etc. Pois já entrei no site oficial deles e em nenhum lugar tem as respostas para essas dúvidas.
    Desde já agradeço , aguardo um retorno.

  3. Momento ímpar na história da Arquitetura e do Urbanismo mundial.
    Que doravante nós façamos nossos projetos inspirados nessa conquista!

  4. Como mantrificam uma imagem negativa da única cidade brasileira que Nos 4 cantos do planêta É chamada de “MARAVILHOSA”. Esse mantra se repete incansavelmente em função de um ranço bairrista provinciano no Brasil “out off” Rio que atribui uma auto estima em ouvir falar mal, e os problemas dea megalópole mais bela do planêta porém com problemas que qualquer metrópole num país como o Brasil até mesmo como os EUA, França, Espanha, etc… possui !
    O mundo reconhece a “CIDADE MARAVILHOSA” no TOP mundial de suas listas elogiosas, mais dignamente seletivas, estreladas por personalidades e grandes nomes em vários segmentos .
    Triste esse sentimento tão pequeno dos brasileiros de outros estados em não suportarem o podio que o Rio ocupa no Brasil !
    Eu vejo uma clara realidade que fora do Rio de Janeiro aos olhos do mundo, principalmente de uma vanguarda de pensadores,profissionais, lideres, personalidades, turistas, etc… saindo da “CIDADE MARAVILHOSA” o restante do Brasil não passa de um grande e inexpressivo Paraguai !

  5. Na maioria das metrópoles do Brasil se salva apenas uma única avenida, ou o entorno de um ou dois parques ou uma orla. O Rio tem subúrbios vítimas do descaso da prefeitura, mas há dezenas de bairros belíssimos que lhe conferem o título de “Cidade Maravilhosa”.
    Prédios históricos, poucas cidades no mundo tem uma história arquitetônica tão valiosa como aqui.

  6. Congratulações por esta escolha ímpar, da Cidade do Rio de Janeiro como a primeira Capital Mundial da Arquitetura em associação á realização do 27º Congresso Mundial de Arquitetos, maior evento internacional do segmento. Que este evento traga a esperança de o Rio se tornar novamente referência mundial de arquitetura de qualidade!

  7. Dádiva mas que merecida a está CIDADE MARAVILHOSA, caprichosamente criada por Belezas Naturais e acrescidas por Projetos Arquitetônicos Dignos de Bons Profissionais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

CAU/BR

CAU/BR aponta protagonismo feminino na arquitetura e urbanismo durante 98º ENIC

CAU/BR

Comissões do CAU/BR debatem temas de interesse dos arquitetos e urbanistas

CAU/BR

CAU/BR celebra uma década dos primeiros empregados públicos efetivos

CIDADES

Iniciadas Convocações para a 6ª Conferência Nacional das Cidades

Pular para o conteúdo